Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

CPF cancelado: ato falho diz muito sobre Bolsonaro

Em total dissonância com a realidade fúnebre do País, presidente posa feliz e comemora mortes


26/04/2021 11:19 - atualizado 26/04/2021 11:41

(foto: Alan Santos/PR)
(foto: Alan Santos/PR)
O verdugo do Planalto não conhece limites quando o objetivo é debochar dos brasileiros enlutados. Bolsonaro busca, a cada aparição pública, pisotear, humilhar, enxovalhar a dor de quem se tornou órfão, viúvo ou perdeu um filho ou irmão para a COVID-19. Este senhor eleva ao estado da arte a crueldade humana.

Em passeio a Manaus, cidade que viveu uma das maiores tragédias durante a pandemia, o devoto da cloroquina, cujo governo levou amazonenses à morte por asfixia, foi visitar Sikêra Jr. e posou para fotos, sorridente, com uma placa em alusão a quem morreu em suas mãos. O duplo sentido aqui é proposital.

Além da absoluta falta de empatia pelo sofrimento da população, o gesto comprova a tese de que o maníaco do tratamento precoce sofre de severas psicopatia e sociopatia, e que já não reúne a menor condição - nunca reuniu, é verdade - de presidir o Brasil. É surpreendente que ainda esteja como chefe de Estado.

Responsável direto, através de falas e atitudes homicidas, pela morte de brasileiros, o sócio do coronavírus, consorte da COVID, praticamente confessou, ainda que por ato falho, a culpa por 400 mil CPF’s cancelados. Como pensa que é Deus, inconscientemente crê ser capaz de tanto. Mas exagera. Ajudou a matar “apenas” uma parte.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade