Publicidade

Estado de Minas 'CARTA ABERTA'

Um apelo ao presidente: Nos dê um tempo, por favor

Desde que se recuperou do atentado que quase lhe tirou a vida, não se passou um dia sem que Jair Bolsonaro não tenha ofendido alguém


postado em 31/05/2020 02:22 / atualizado em 31/05/2020 02:33

"Presidente, estamos muito cansados. Acho que o senhor também" (foto: Flickr)

Caramba! Como estou cansado. Como estamos cansados. Todos os dias são iguais. Brigas, intrigas, ofensas, ódio. Preciso, ou melhor precisamos, de um tempo para relaxar, para respirar, para descansar.

Jair Bolsonaro é movido à raiva, só pode. Faça chuva ou faça sol, cada vez que aparece em público tem de provocar uma notícia negativa. Ou manda um jornalista calar a boca, ou ataca um adversário político, ou ameaça alguma instituição.

Custa dar um tempo? Um dia, dois dias apenas. Calado ou, se não for pedir demais, solidarizando-se com as vítimas de COVID-19, enviando apoio, dizendo palavras de conforto, incentivando boas ações, transmitindo coragem.

Chega de ódio, Presidente. Chega de bile. Chega de olhos injetados, testa franzida, lábios cerrados, palavras ruins. Sorria um pouco, por favor. Brinque com seus fãs, e não apenas os estimule a fomentar essa guerra insuportável contra a maioria do País.

Esqueça um pouco o Doria, o STF, o Maia, a Globo, a esquerda. Desfrute do cargo que legitimamente conquistou. Curta o palácio maravilhoso em que vive. Corra com sua filhotinha linda pelos jardins de Burle Marx. Namore sua encantadora esposa. Viva um pouco!!

Durma em paz ao menos uma noite. Tenha bons sonhos. Acorde feliz, bem humorado. Agradeça pela vida. Respire fundo, vista-se, tome seu café e saia para trabalhar leve, disposto apenas a fazer o bem, a aceitar as diferenças, a governar para todos.

Deixe de lado, ao menos por um tempo, 2022. Estamos no meio de uma pandemia terrível, com dezenas de milhares de mortos e centenas de milhares de doentes. Famílias sofrendo muito, presidente. Dê a eles um pouco de sossego, de paz de espírito.

Como homem religioso que é, lembre-se de São Francisco de Assis. Perdoe, compreenda, ame… console! Onde houver ódio, leve o amor; onde houver ofensa, leve o perdão; onde houver discórdia, leve a união. O Brasil precisa de união.

Tá muito difícil, presidente! Estamos com medo, angustiados, inseguros. Faça nossos dias mais tranquilos, melhores. Não piore as coisas, por favor. Não xingue mais ninguém, não ameace mais ninguém, não brigue com mais ninguém. Só por uns dias.

Precisamos descansar. Precisamos mudar de assunto. Precisamos sorrir. Ninguém suporta mais brigar com o vizinho, com o irmão, com o amigo por causa de política e de políticos. Não se constrói um país na base da discórdia e da cisão.

Presidente, estamos muito cansados. Acho que o senhor também.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade