Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas RICARDO KERTZMAN

Opinião sem medo: Bolsonaro espanca os substantivos

Não há um só autocrata, na história mundial, que não tenha atribuído sua tirania à Liberdade e à Democracia


postado em 29/05/2020 06:00

(foto: Lula Marques)
(foto: Lula Marques)

Democracia e Liberdade são dois dos substantivos mais presentes nos discursos dos militantes bolsonaristas, mas nada mais falso. Na Bolsolândia, possuem significados diferentes do que em outros lugares, digamos, mais arejados. Por exemplo:

imprensa é alvo diário de manifestações agressivas, sejam escritas, faladas e até físicas. Para a horda de bolsominions, a Globolixo tem de ser cassada; a Foice de São Paulo tem de ser fechada; os jornalistas do Estadão de Cuba, espancados. 

Por quê? Ora, porque fazem oposição ao governo de Jair Bolsonaro. E fazem? Bem, particularmente, penso que sim. Mas liberdade de imprensa (olha a palavrinha mágica aí) não é isso? Ou imprensa livre só vale se for chapa-branca, adesista? A pergunta é meramente retórica, claro, pois a resposta sabemos de cor.

Para um bolsonarista-raíz, o presidente ou qualquer aliado ofender alguém significa liberdade de expressão; um direito garantido pela Carta. Já o contrário jamais será tolerado. O risco de agressão verbal é garantido, e a chance de uns tapas no pé da orelha, altíssima. A liberdade para essa gente só tem um lado: a própria.


E Democracia?


Bem, eis outro substantivo vilipendiado pela patota da arminha. Democracia só existe quando os demais Poderes (Legislativo e Judiciário) atuam 100% consonantes com o Executivo. Basta uma mísera discordância e lá se foi a dita cuja para o espaço. O STF decidiu a favor do governo? Democracia. Decidiu contra? Ditadura do Judiciário. E por aí vai...

Quem não se chocou com a fala do presidente, na tal reunião (de botequim) ministerial, onde disse que a população deveria ser armada para reagir a um “prefeito vagabundo”, que determinasse quarentena na cidade por causa da pandemia de coronavírus

Eu sei quem não se chocou. Os fanáticos da seita. O resto das pessoas, dos verdadeiros democratas, enxergou ali o que de fato foi: a pregação explícita da luta armada; da insurgência contra o Estado; no limite, da guerra civil.

A Polícia Federal, por ordem do STJ, cumpriu mandado de busca e apreensão contra o governador do Rio, Wilson Witzel, inimigo declarado de Jair Bolsonaro? Eis o Estado de Direito funcionando. A mesma PF, também por ordem judicial (do STF), cumpriu mandados idênticos contra militantes bolsonaristas? Uma afronta à liberdade de expressão.

A apreensão do aparelho celular de Witzel foi tratada assim pelo presidente: “Parabéns à PF”. Já a hipótese de a Justiça determinar a apreensão do seu, mereceu a seguinte resposta: “quero ver quem vem pegar”. Para Bolsonaro e os seus, não há limites. A verdadeira democracia é testada dia após dia.

Não há um só autocrata, na história mundial, que não tenha atribuído sua tirania à Liberdade e à Democracia. Obviamente, sempre em nome do (e no) interesse do povo, outro substantivo usado como craca na boca dessa gente. 

Contudo, a verdade é uma só: esses ordinários não conhecem, nem reconhecem qualquer forma de liberdade e de democracia que não seja a que lhes interessa. E povo, só conhecem como massa de manobra. O pior é que funciona. Ao menos por um tempo.

Ah, antes que me perguntem: com Lula e o PT também era assim. Foi por isso que votei contra. Quebrei a cara!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade