Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas SEU INVESTIMENTO

A Renda Fixa está com os dias contados, e agora?

Para quem possui apenas renda fixa ou até mesmo está com seus recursos na poupança, um bom primeiro passo na renda variável é começar a investir em fundos imobiliários (FIIs)%u2019


postado em 07/12/2019 04:00 / atualizado em 06/12/2019 20:42




Rafael Panonko


O investidor conservador está preocupado, a época das “vacas gordas” já virou história a ser contada. O motivo? A taxa básica de juros da economia (Selic) – que remunera os títulos públicos e a caderneta de poupança – vem caindo ao longo dos últimos dois anos, fazendo com que os investimentos em renda fixa rentabilizem cada vez menos. Para você ter uma ideia, no início de 2017, a Selic era de 13,75% ao ano e agora devemos encerrar 2019 com ela no patamar de 4,75% ao ano.

Diante desse movimento, o investidor que não aceitar correr algum risco vai simplesmente manter o seu poder de compra, se considerarmos o juros real, que é a taxa de juros descontada a inflação, ou seja, o patrimônio do investidor conservador não vai crescer no futuro se a conjuntura atual se mantiver nos próximos anos.

Eu vejo com bons olhos este cenário de queda da taxa Selic, o juro é o custo do dinheiro e se ele está baixo significa que o empreendedor vai conseguir investir no seu negócio a um custo menor, promovendo o crescimento econômico. Pelo ponto de vista do consumo, teremos também crescimento, pois o brasileiro vai ter acesso a crédito mais barato para comprar bens de consumo. Agora, olhando o lado do investidor,  o cenário é diferente do que tínhamos há alguns anos, quando a taxa Selic era elevada. Naquela época, para ganhar dinheiro era preciso apenas deixar o dinheiro parado em algum título de renda fixa. Mas isso não gera crescimento econômico.

O investidor deve estar se perguntando: “E agora, onde investir?”.

Para quem possui apenas renda fixa ou até mesmo está com seus recursos na poupança, um bom primeiro passo na renda variável é começar a investir em fundos imobiliários (FIIs). Você deve conhecer alguém na sua família ou amigo que investe em imóveis, comprando imóveis para alugar. Hoje, para investir nesse mercado não é mais preciso comprar um imóvel. O investimento é feito em fundos imobiliários, uma forma muito mais eficiente e rentável de investir em imóveis.

Investir em fundos imobiliários permite que o investidor tenha acesso a um portfólio de grandes empreendimentos imobiliários, boa diversificação de ativos, investimento inicial acessível ao bolso, excelente liquidez, pois suas cotas são negociadas diariamente na bolsa de valores, e o que é melhor: seus rendimentos mensais são livres de Imposto de Renda.

Um grande diferencial que acredito ser de extrema relevância, quando comparamos os fundos imobiliários com a modalidade de comprar um imóvel para ter a renda da locação, é que os FIIs são muito mais fáceis de acumular patrimônio, pois todo mês o investidor recebe o rendimento mensal e compra mais cotas de fundos. Dessa forma, o investimento vai crescendo mais rápido. Isso já não acontece quando você tem o imóvel, pois o valor do aluguel recebido normalmente é incorporado à renda mensal, o que não permite crescer patrimônio na mesma velocidade.

Infelizmente, essa modalidade de investimento em fundos imobiliários, apesar de simples, não é de conhecimento da grande maioria da população. Nesse quesito, o brasileiro precisa buscar educação financeira e se informar sobre os melhores investimentos que atendem ao seu perfil de investidor. Você, nosso leitor, já está dando um bom passo na busca por melhores investimentos que remuneram mais que a renda fixa.


Publicidade