Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas FORA DA CAIXA

Empresas antecipam tendências, desenhando a vida na era digital

Com visão estratégica e o apoio da tecnologia, hospital, startup de serviços de alimentação, construtora e fabricante de software oferecem produtos inovadores para a população


postado em 07/12/2019 04:00 / atualizado em 07/12/2019 07:54

 Para Henrique Salvador, presidente do Mater Dei, o futuro é a %u201CMedicina 4P%u201D: preventiva, preditiva, personalizada e participativa(foto: Fotos: Phillipe Guimarães/BS Fotografias)
Para Henrique Salvador, presidente do Mater Dei, o futuro é a %u201CMedicina 4P%u201D: preventiva, preditiva, personalizada e participativa (foto: Fotos: Phillipe Guimarães/BS Fotografias)

Na era digital, onde observamos cada vez mais transformações e em curto espaço de tempo, empresas estão agindo para antecipar tendências e ser protagonistas em seus mercados. Lideranças da Salesforce, uma das maiores empresas de software do mundo, a construtora MRV, a Rede Mater Dei e o iFood participaram nesta semana, em Belo Horizonte, da terceira edição do “Orbitar I/O”, promovido pelo hub de inovação e aceleradora de conexões Órbi Conecta. Na plateia, estiveram quase 400 interessados em como promover transformação digital ou escalar os negócios de suas empresas.
 
O presidente da Rede Mater Dei de Saúde, Henrique Salvador, destacou que hoje o Brasil investe 9% do Produto Interno Bruto (PIB) em saúde, enquanto a Holanda gasta 11% e os Estados Unidos o dobro. “Temos que nos preparar para um novo contexto”, disse. Para ele, o futuro é a “Medicina 4P”: preventiva, preditiva, personalizada e participativa. “Uma análise de DNA, simples e mais barata, poderá melhorar a vida das pessoas”, exemplificou.
 
A diretora do iFood empresas, Paula Rabelo, diz que o fogão poderá ser uma peça de museu
A diretora do iFood empresas, Paula Rabelo, diz que o fogão poderá ser uma peça de museu
 
A diretora do iFood empresas, Paula Rabelo,  fez uma provocação: “O fogão poderá ser uma peça de museu”. A hoje startup unicórnio (empresa de base tecnológica com venda de produto ou serviço escalável avaliada em mais de US$ 1 bilhão) foi criada em 2011. Naquele ano, recebia cerca de 12 mil pedidos de comida por meio do seu site. Neste ano, a média mensal é de 20 milhões de pedidos. Em seu marketplace tem cadastrados 116 mil restaurantes, 83 mil empregadores, em 882 cidades.
 
A construtora MRV, de Rafael Menin, desenvolve projeto para que o cliente possa comprar on-line o mobiliário e eletrodomésticos para seu apartamento, pagando 10% menos que o preço de mercado desses itens
A construtora MRV, de Rafael Menin, desenvolve projeto para que o cliente possa comprar on-line o mobiliário e eletrodomésticos para seu apartamento, pagando 10% menos que o preço de mercado desses itens
 
Atualmente, um em cada 180 brasileiros moram numa habitação feita pela construtora MRV. Desde 2007, a empresa vem fortalecendo os seus investimentos em tecnologia, segundo o co-presidente Rafael Menin. Neste momento, foca esforços na construção de uma plataforma habitacional. Para além da MRV, voltada à construção e venda de imóveis e casas para a classe C, há novas empresas no grupo, como a Urba, de venda de loteamentos urbanizados; a Luggo, de locação de imóveis para as classes B e C; e a Linha Premium, de construção e venda de imóveis para as classes B e C.
 
Em desenvolvimento pela MRV, está o “Mundo da Casa”. “Queremos ser o marketplace da moradia. O morador poderá, por exemplo, contratar uma decoradora virtual dentro do site, comprar on-line o mobiliário inteiro e eletrodomésticos, pagando 10% menos que o preço do mercado”, disse Menin.
 
 
Fábio Costa, gerente-geral da Salesforce, recomenda que as empresas pensem
Fábio Costa, gerente-geral da Salesforce, recomenda que as empresas pensem "fora da máquina"
 
Para a Salesforce, a gigante americana que dá as condições para que as empresas criem as suas plataformas e conectem com os seus clientes, a transformação digital tem como centro as pessoas. “É preciso pensar fora da máquina”, afirmou Fábio Costa, gerente-geral da Salesforce.
 
 
"O futuro está sendo hackeado por aqueles que entenderam e que se entenderam%u201D Lígia Zotini, Fundadora do Voicers e TEDx Speaker, Lídia Zotini afirma que o futuro está sendo hackeado por quem o entendeu (foto: Phillipe Guimarães/BS Fotografias)

"O futuro está sendo hackeado por aqueles que entenderam 
e que se entenderam”
Lígia Zotini, 
fundadora do Voicers e TEDx Speaker, sobre as novas 
economias e a importância do autoconhecimento


Publicidade