Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Se estivesse vivo, Tancredo Neves faria nesta quarta 110 anos

Advogado e político nasceu em 10 de março de 1910 e morreu antes de usufruir da posição que sempre almejou na vida: a de presidente da república


postado em 04/03/2020 04:00 / atualizado em 03/03/2020 18:22

(foto: Arquivo EM/D.A Press)
(foto: Arquivo EM/D.A Press)

 
 
Tancredo Neves
Aniversário 110 anos

Em 4 de março de 1910, nascia em São João del-Rei o advogado e político Tancredo Neves que, se estivesse vivo, completaria hoje 110 anos. Na galeria de dezenas de políticos mineiros de presença significativa na história da República, Tancredo desponta como uma das figuras mais carismáticas e expressivas, que consolidou seu prestígio nacional ao se tornar o símbolo do renascimento da democracia no país depois dos 21 anos de regime militar; quando se transformou, pelos desígnios cruéis do destino, no grande mártir imolado na campanha pelo retorno dos direitos constitucionais. Tornou-se também o exemplo dolorido de um episódio de frustração, que não tem paralelo na história do país. Um dito popular representaria o episódio irônico de sua morte, comparando-o com aquele náufrago que, após nadar e nadar em mar encapelado, acaba morrendo na praia. No entanto, morreu dono da posição que sempre almejou a vida toda e da qual, infelizmente, não usufruiu: a de presidente da República.


Direitos Humanos
Brumadinho na ONU

Dom Vicente de Paula Ferreira, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, que no momento encontra-se na Europa, na segunda-feira participou em Genebra, na Suíça, de reunião da 43ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre Meio Ambiente, quando abordou a situação das comunidades de Brumadinho, vítimas do rompimento da barragem de mineração no Córrego do Feijão. Em pronunciamento perante os representantes dos países que integram o conselho, o bispo contestou o relatório das Nações Unidas que considera boas as práticas do Brasil na preservação do meio ambiente.

***

Destacou que as populações não são consultadas no processo de licenciamento para a implantação de megaprojetos e pediu que o governo do Brasil ratifique o Acordo de Escazú, fornecendo informações, consultas e participação suficientes das comunidades e da sociedade nos processos de licenciamento. Dom Vicente ressaltou também que os rompimentos das barragens em Brumadinho – há pouco mais de um ano – e em Mariana – há quase cinco anos – continuam produzindo efeitos nocivos nas comunidades e no meio ambiente, e que pouco tem sido feito para impedir outros eventos semelhantes. Dom Vicente, que integra a Comissão Episcopal de Ecologia Integral e Mineração da CNBB, está cumprindo intensa agenda de compromissos na Europa, ao lado do frei franciscano Rodrigo Peret, da Arquidiocese de BH.
 
João Doria
Efeito dominó

Dentre os integrantes da chamada Frente dos Governadores formada para contestar medidas tomadas pelo Palácio do Planalto, o governador de São Paulo, João Doria, como não podia deixar de ser, é o que mais tem se manifestado. Na continuação, Doria resolveu se manifestar também contra o governador mineiro Romeu Zema pelo aumento de 41,7% concedido aos policiais do estado. Afirmou que é um mau exemplo dado ao país, já que as forças policiais dos demais estados, estimulados pelo aumento decretado em Minas Gerais, intensificaram seu jogo de pressões visando aumento salarial. A se ver o caso do Ceará. Alega, inclusive, que Minas não tem fundo de caixa para bancar o aumento. E finalizou: “É inviável”. Vejam só!
 
Ivan Serpa
A expressão do concreto

Será inaugurada hoje no Centro Cultural do Banco do Brasil do Rio de Janeiro a exposição Ivan Serpa – A expressão do concreto, considerada como a maior mostra retrospectiva do artista, uma das figuras mais importantes do modernismo brasileiro. Serpa, que chegou a ser chamado de “Picasso brasileiro” faleceu em 1973, com apenas 50 anos, tendo deixado uma obra considerável. A mostra a ser aberta hoje conta com mais de 200 trabalhos, cobrindo diversas fases do artista. A se destacar que a exposição será apresentada no segundo semestre em Belo Horizonte, no Centro Cultural do Banco do Brasil da Praça da Liberdade, após ser mostrada no Rio, São Paulo e Brasília.
 
Barbacena
Fórum Mendes Pimentel

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desembargador Nelson Missias, ao apresentar em Barbacena o projeto do novo fórum da cidade, anunciou que no inicio de abril será publicado o edital de concorrência para construção do fórum, sendo que as obras poderão ter início no segundo semestre. O juiz Alexandre Werneck foi o anfitrião do evento. Na comitiva do presidente Missias estavam dois desembargadores:  Marcelo Rodrigues e Adilson Lamounier, que foram juízes em Barbacena, e ainda os desembargadores Saldanha da Fonseca, Mariangela Meyer e Amauri Pinto.
 
Anastasia
Processo inevitável

Nos bate-papos entre senadores e nos fuxicos do cafezinho e dos corredores da Câmara Alta, o assunto debatido de forma cordial e amena é a de que o senador Antonio Anastasia será mesmo candidato à presidência do Senado em 2021, contando com o apoio da maioria dos senadores. Anastasia, agindo à la mode de Benedito Valadares, no momento está rouco de tanto ouvir. Como é o atual vice´-presidente, não quer contrariar as pretensões do atual presidente Davi Alcolumbre. Mas tudo indica que vai ter de competir.

Mulheres normais
Pedindo a palavra

Tendo em vista que 8 de março é o Dia Internacional da Mulher, feministas estão aproveitando o ensejo para alargar suas manifestações. Por exemplo, a escritora curitibana Izabella de Macedo acaba de lançar na praça o livro Mulheres normais, uma série de contos abordando o dia a dia das mulheres atuais, suas mazelas, triunfos e decepções. Diz o seguinte sobre as mulheres que focaliza: “Elas conquistaram independência financeira, sofrem por amor, precisam ser fortes, gostam de comprar uma roupa nova, querem um amor para chamar de seu, trabalham para melhorar a autoestima, bebem um vinho de vez em quando, curtem um filme água com açúcar. São fortes, decididas e muitas vezes precisam esconder sua sensibilidade, seus sentimentos.” São as mulheres modernas, é claro.

Calçados
NEGÓCIOS EM NOVA SERRANA

Com coronavírus ou sem, os negócios continuam. Por exemplo, o Sindicato das Indústrias de Calçados de Nova Serrana, no Sul de Minas, promove de 17 a 19 de março a sua tradicional Feira Nacional de Calçados (Fenova), debaixo dos melhores auspícios. A previsão é de vender mais de 1 milhão de pares de calçados, com aumento de 6% no faturamento. Mais de 100 marcas do polo calçadista de Nova Serrana, o maior de Minas Gerais, participam do evento que atrai compradores de todo o Brasil.

Castaño
Retorno às canchas

O veterano pintor mineiro Castaño, que andava meio posto em sossego, retorna à cena no próximo dia 7, com a abertura, na Galeria Labyrinthus, da exposição Paisagens interiores, que apresentará 42 obras recentes do artista,  criadas entre 2018 e 2019. A curadoria é de Orange Feitosa, que é também dona da galeria, a mais nova da cidade. Paulista, ela fundou a Labyrinthus em 2019,  na Rua Hermílio Alves, no bairro boêmio de Santa Tereza (ou seria bairro familiar?). A abertura para o público será em 10 de março. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade