Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Filme de maior sucesso na história do cinema faz 80 anos

Para muitos críticos, Hollywood nunca mais conseguiu igualar a qualidade de 'E o vento levou...'


postado em 15/12/2019 04:00 / atualizado em 13/12/2019 16:59

Cena do clássico 'E o vento levou...'(foto: MGM/Divulgação)
Cena do clássico 'E o vento levou...' (foto: MGM/Divulgação)

Completam-se hoje 80 anos da estreia nos Estados Unidos do filme E o vento levou..., considerado o maior sucesso cinematográfico de todos os tempos. No dia 15 de dezembro de 1939, filas enormes de espectadores se formaram em todos os cinemas do país para ver a megaprodução de Hollywood, com quatro horas de duração. A enchente se prolongou por um tempo indefinido, já que o filme arrebatava as plateias. No Brasil, a estreia ocorreu em 1º de janeiro de 1940. Foi por quase 30 anos recordista mundial de bilheteria. Na Europa, a sua estreia foi perturbada pelo início da Segunda Guerra Mundial, que tinha sido deflagrada em 1º de setembro de 1939. Ganhou 10 Oscars. Na opinião de muitos críticos, a indústria cinematográfica ainda não conseguiu fazer um filme igual.
 
 
Brasília
Festa de mineiros
A estreia para o público do documentário sobre a vida do político mineiro José Aparecido de Oliveira seguida do lançamento do livro José Aparecido de Oliveira, o maior mineiro do mundo, de Petrônio Souza, eventos realizados em Brasília, reuniram algumas figuras icônicas ligadas visceralmente à cidade criada por J.K. No grupo estavam Maria Estela Kubitschek, filha de Juscelino, Ana Maria Niemeyer, neta de Oscar Niemeyer, o ex-ministro do Supremo Sepúlveda Pertence, o advogado Técio Lins e Silva, Rosara e o advogado Eduardo Maneira e muitos outros. O ex-deputado federal José Fernando de Oliveira, filho de José Aparecido, representou a família, acompanhado de outros parentes. No lançamento, apresentava sua namorada, Juliana Safe, filha do saudoso advogado de BH Sidney Safe. Foram momentos de recordação, com José Aparecido e JK em foco.

Prestação de contas
Um ano de governo
O mês de janeiro de 2020 está chegando. No Brasil, quer se queira, quer não, haverá a primeira prestação de contas, tanto do governo da República como dos governos estaduais. Em foco, realizações, pontos positivos e, pourquoi pas, pontos negativos do primeiro ano administrativo. Muita imaginação para se dourar a pílula. Obviamente foi um ano difícil. Haja desemprego. Em matéria de recursos financeiros, o governo federal e governos estaduais entraram em 2019 com as finanças em pandarecos, lutando pela normalização do caixa. O que mais se ouviu em matéria de medidas governamentais foi o item de corte de despesas. Além do corte de árvores. Pessimismo à parte, 2019 não foi nada simpático para o administrador público, o mesmo valendo para o bravo povo tupiniquim. Quanto a 2020, só Deus dirá. Mas a luta continua, companheiro!

Oscar Niemeyer
Cartões postais
O arquiteto Oscar Niemeyer, nascido em 15 de dezembro de 1907, se estivesse vivo, completaria hoje 112 anos, idade que poderia ter alcançado, já que morreu em 2012, com 105 anos. A respeito das obras de arquitetura moderna de destaque que projetou, as primeiras foram em BH, com o conjunto arquitetônico da Pampulha. Ele mesmo dizia que foi em Minas que tudo começou. Aliás, BH tem que agradecer a Niemeyer o privilégio de lhe ter fornecido seus cartões-postais mais expressivos. Se não houvesse a igrejinha da Pampulha, o prédio do ex-cassino, a chamada Casa do Baile e o edifício Niemeyer da Praça da Liberdade, o único cartão-postal que restaria a BH seria o Palácio da Liberdade. A cidade é paupérrima em matéria de obras arquitetônicas.

Pastagens
Desleixo total
Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a conhecida Embrapa, existem no Brasil 180 milhões de hectares de área disponível para a alimentação do gado, ou seja, de pastagens. Pois bem. Segundo a mesma Embrapa, cerca de 80% dessas pastagens apresentam degradação do terreno. O que pode ser considerado como um crime de lesa majestade contra a terra. Essa circunstância alarmante e incompreensível se deve ao fato de que o fazendeiro brasileiro acha que as pastagens não são dignas de manejo, ou seja, de tratamento e de recuperação. Até há pouco tempo a solução para o problema era simples. Degradado e esgotado o terreno de uma pastagem, ele geralmente era deixado de lado, partindo-se para outra pastagem. Pois bem. Os tempos são outros e isso já não é mais possível. Com 80% das pastagens degradadas, a única solução viável, econômica e sustentável é recuperar inteligentemente o terreno. Ou o brasileiro recupera suas pastagens ou irá paulatinamente entrando pelo cano no setor. O que tem de terra degradada por aí não é brincadeira.

MRV
Locação de imóveis
Pois é. A construtora MRV não para. Continua agitando o setor. Sua mais recente novidade é que passou a atuar também no setor de locação de imóveis. Sua primeira investida na área está sendo feita através da plataforma Luggo, que constrói quatro edifícíos em Belo Horizonte, com 452 apartamentos no total. Dois estão prontos, sendo que um deles já está com todos os seus espaços alugados. Outros edifícios para locação estão sendo erguidos em Curitiba (um já está quase todo locado) e em Campinas. Outros mais virão por aí.

Fiat Chrysler
Confraternização
A festa de confraternização de fim de ano da Fiat Chrysler do Brasil com a imprensa de BH ocorre amanhã, no restaurante Nicolau Bar da Esquina, no bairro do Horto. À primeira vista, parece um restaurante comme tous les autres, mas sobe de cotação quando se sabe que é obra de Leonardo Paixão, chef do momento na cidade, criador do Glouton. Mais do que um restô à la carte, o Nicolau é uma casa de amuses gueles. De sanduíches e tira gostos mais elaborados. Evita pedidos complicados e torna os encontros menos formais. Ou, como diria o professor Chico Leite, ça va quand même.

Napoleão
Não desperte o leão
Napoleão Bonaparte, há cerca de 200 anos, discutindo a situação de completa abstração da China no mundo, com foco em uma intervenção no chamado Império do Meio, comentou: “Deixem a China adormecida, pois quando ela acordar o mundo tremerá”. Pois bem, pelo que se vê, a China acordou. E está se derramando pelo mundo. Os chineses avançam. Há poucos dias, o colunista, de repente, ao ligar a TV paga, descobre, ao lado do canal da CNN, o novo canal 199 da CGTN – China Global Television Network, transmitindo em inglês para o país noticiários jornalísticos e as glórias do regime de Pequim. Aliás, já há algum tempo a China comprou espaço em emissoras de TV brasileiras.

Topo do Mundo
Vinhos nacionais
Cerca de 90% das sessões de degustação de vinhos em BH são dedicadas a vinhos estrangeiros. Vai daí que é para se bater palmas para a noitada de experimentação de vinhos do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, a acontecer terça-feira, dia 17, no Topo do Mundo, o bonito restaurante panorâmico situado no alto da Torre Alta Vila, no Belvedere. O sommelier Inimá comandará a apresentação de vinhos de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, cidades situadas na primeira região vinícola brasileira a obter Denominação de Origem. Jantar harmonizado a cargo do chef Uamiri Menezes. A partir das 20h30.

No programa do réveillon de 2020 do Iate Tênis Clube foi incluído, como é de praxe, o tradicional espetáculo pirotécnico que a TV Alterosa promove na orla da lagoa da Pampulha, este ano na sua 30ª edição. O pessoal assiste de camarote à queima de fogos. A mesa de quatro lugares para a festa custa R$ 1.600 com tudo incluído. Bebidas e ceia. Aliás, o badalo será na base do all inclusive.

 Flash
Rosara de Oliveira Maneira, José Fernando de Oliveira, Ana Lúcia Niemeyer, Maria Estela Kubitschek e o advogado Eduardo Maneira, no lançamento em Brasília do livro José Aparecido de Oliveira, o maior mineiro do mundo(foto: Tony Windston/Divulgação)
Rosara de Oliveira Maneira, José Fernando de Oliveira, Ana Lúcia Niemeyer, Maria Estela Kubitschek e o advogado Eduardo Maneira, no lançamento em Brasília do livro José Aparecido de Oliveira, o maior mineiro do mundo (foto: Tony Windston/Divulgação)
A mineira Júlia Horta, no Miss Universo 2019. Agora são 52 anos à espera do título(foto: Priscila Prade/Divulgação)
A mineira Júlia Horta, no Miss Universo 2019. Agora são 52 anos à espera do título (foto: Priscila Prade/Divulgação)
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade