Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Greta Thunberg é uma fortaleza capaz de fazer até Trump tremer

Ativista ambiental sueca de 16 anos impressiona pela clareza e a ênfase com que expressa suas ideias em inglês


postado em 29/09/2019 04:00 / atualizado em 27/09/2019 18:35

(foto: FABRICE COFFRINI/AFP)
(foto: FABRICE COFFRINI/AFP)

Impressionante a segurança, a inteligência e a clareza com que manifesta seus pontos de vista a jovem sueca Greta Thunberg, a musa do meio ambiente universal, que, aos 16 anos, despontou para o mundo com um prestígio inesperado. Apesar de ter o sueco, uma língua bárbara, como seu idioma natal, se expressa em inglês com uma espontaneidade que espanta a todos que a ouvem. Obviamente, trata-se de um fenômeno de precocidade juvenil, uma superdotada intelectual, tipo Mozart, que assumiu uma tarefa que moças de 16 anos jamais cogitam em abordar. Com sua força consolidada na sua campanha contra o aquecimento global e defesa do meio ambiente, pode fazer até o indestrutível Trump tremer 
nas bases.

40 anos
Carro a álcool

Neste mês de setembro completam-se 40 anos do nascimento oficial do carro a álcool no Brasil, quando, em solenidade realizada em 1979, em Brasília, o então vice-presidente da República, o mineiro Aureliano Chaves, e o ministro da Indústria e Comércio, o também mineiro João Camilo Pena, assinaram junto com o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos (Anfavea), Mário Garnero, o protocolo de intenções que viabilizou a fabricação no Brasil de veículos movidos totalmente a álcool. Fato histórico, marcou pela primeira vez a utilização em grande escala de um combustível não poluente, que estimulou a produção nacional da cana de açúcar e que ajudou a diminuir o índice de poluição nas grandes cidades, como São Paulo e Rio. A produção em alta quantidade do carro a álcool marcou também um fato novo na indústria automobilística mundial, tornando o Brasil pioneiro nessa área.

***

O uso do álcool como combustível é praticado desde o início da indústria automobilística, mas jamais houve um processo em grande escala na área. Na 2ª Guerra Mundial, os alemães chegaram a usar álcool de batatas nos motores dos foguetes V-2. Embora a indústria do veículo a álcool no Brasil tenha passado por altos e baixos, durante 40 anos foram economizados milhões dos recursos nacionais que seriam destinados à compra de gasolina. É para assinalar também que o primeiro carro totalmente a álcool no país foi produzido pela Fiat, em Betim, em 1978. Nos avanços no setor, surgiu o motor flex, sendo que já foram fabricados milhões de carros flex, movidos a álcool e gasolina.

Doria
Abriu o jogo

l Os comentários que o governador de São Paulo, João Doria, fez sobre o discurso que o presidente Jair Bolsonaro pronunciou na Assembleia-Geral da ONU acabaram por demonstrar de uma vez por todas que ele entrou mesmo em reta de colisão com Bolsonaro. Disse abertamente que o discurso foi “inadequado e inoportuno”, que a “repercussão internacional foi péssima” e que o presidente “perdeu uma grande oportunidade de valorizar o Brasil”. Candidato à presidência em 2022, Doria já está mandando brasa. Não quer nem saber.

Cervantes
Curiosidades cervantinas

O mundo literário comemora hoje os 472 anos de nascimento de Miguel de Cervantes, uma das maiores figuras da literatura universal, autor de Dom Quixote, considerado o primeiro romance moderno e uma das maiores obras da história literária. A se destacar que Cervantes teve uma vida das mais atribuladas. Capturado por piratas mouros quando tinha 25 anos, ficou preso por mais de cinco anos em Argel. Os fatos marcantes de sua vida ocorreram quando ele tinha mais de 30 anos. Escreveu suas primeiras peças de teatro com 34 anos e casou-se com dona Catalina Palácios com 36 anos. Com 50 anos, em Sevilha, foi preso novamente. Publicou a primeira parte do imortal Dom Quixote já com 58 anos.Ordenado frade, publicou a segunda parte com 68 anos. Pouco depois, em 1616, falecia com 69 anos. Quase não lança o Dom Quixote. Nunca supôs que se tornaria imortal.

Cármen Lúcia
Saudades da ministra

Após uma fase borbulhante na presidência do Supremo Tribunal Federal, as recentes decisões da ministra Cármen Lúcia, a única representante de Minas Gerais no mais alto tribunal do país, não têm sido devidamente focalizadas pela mídia. No entanto, ela tem colocado suas manguinhas de fora. Por exemplo, na semana passada, deu uma bronca no subprocurador geral da República, Moacir Guimarães, por este ter entrado com um processo no Supremo contra a então procuradora geral Raquel Doge, alegando que ela negou uma vaga na garagem da Procuradoria para um seu auxiliar. Sentenciou Cármen Lúcia: “Muito estranha a pequeneza da discussão trazida a este Supremo Tribunal, em um país angustiado por problemas essenciais da vida pessoal e social dos cidadãos. A questão posta nos autos (vaga na garagem) não tem, na forma nem na matéria, substância ou qualquer importância significativa”. Realmente.

Geraldo Carneiro
Encara Hamlet

O poeta e dramaturgo mineiro Geraldo Carneiro, que este mês comemora o terceiro aniversário de sua eleição para a Academia Brasileira de Letras, promove quinta-feira, no Rio de Janeiro, onde vive, o lançamento de sua mais nova produção literária, o livro Hamlet. Na obra, ele faz uma análise da famosa peça de William Shakspeare. Detalhe extra sobre o lançamento é que não será nem na Academia nem em uma livraria.Vai ser no escritório de advocacia de seu amigo mineiro Eduardo Maneira, natural de Araxá, diretor da Ordem dos Advogados do Brasil. Depois, Carneiro promete lançar o livro em BH, cidade onde nasceu.

Juízes
Na base do contracheques

A pesquisa do Partido Novo sobre os salários dos magistrados brasileiros, tanto os da justiça federal como os das justiças estaduais, que mostrou que 65% dos juízes recebem mais do que o teto do funcionalismo, que é de R$ 39,3 mil mensais até agora, pelo que se sabe, não foi contestada pelo Conselho Nacional de Justiça, apesar do excesso ser inconstitucional. O ponto forte de sustentação da pesquisa do Novo é que toda ela foi baseada em 200 mil contracheques de membros do Judiciário. De 1997 para cá, o Poder Judiciário foi o que mais expandiu, por conta própria, os salários de seus integrantes. No momento, a questão está pendente. É como diz um leitor, que exige a instalação de um comitê público e o fim dos penduricalhos: “Ou restaure-se a moralidade ou locupletemo-nos todos”.

Tecnologia
Profissões em alta

Não há por onde escapar. Com o uso cada vez maior dos drones em dezenas de atividades, sejam elas pacíficas ou bélicas, uma nova profissão vem por aí: a de mecânico de drones. Para o pessoal que tem aptidão e está sem emprego, é bom ir se preparando. Outra profissão nova que já deve ter evoluído mais do que a de mecânico de drones é a de mecânico de robôs. As fábricas de automóveis e a indústria moderna estão utilizando robôs em escala cada vez maior. Já no lado da internet, as novas profissões não só se consolidam como também aumentam, à medida em que a tecnologia cresce. O diabo é que essas novas profissões não atendem nem um quinto dos que perdem o emprego por essas ou por aquelas. No Brasil e no mundo.

Mercado aéreo
Invasão das low cost

O rebu no momento no setor da aviação comercial no Brasil é o da entrada no mercado de companhias aéreas estrangeiras low cost, tanto em voos internacionais como domésticos, devido às novas leis baixadas pelo governo, que acabou liberando muita coisa antes proibida. No momento, seriam 10 as novas empresas que já abriram negociações com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operar no mercado brasileiro, sendo que duas delas, a Norwegian e a Sky Airlines já estão voando por aí. Uma terceira, a argentina Flybondi, iniciaria seus voos em outubro. As demais empresas são a JetSmart, a Virgin Atlantic, a Gulf Air, a Air Europa, a Frontier, a Spirit Airlines e até mesmo a Ryanair. A confusão está formada. Viagens a baixo custo. Concorrência. Haja passageiros.

Bananas
Para dar e vender

Minas Gerais é o terceiro maior produtor de bananas do Brasil, faturando mais de R$ 800 milhões por ano com a fruta. O Norte de Minas é a região de maior produção da fruta, onde se faz necessária a irrigação, o que não ocorre no Sul do estado. A nota aqui vai porque a Epamig e a Emater estão empenhadas, no momento, em descobrir uma banana com maior período de amadurecimento, a fim de que seja exportada para a Europa e os Estados Unidos com maior facilidade. O pesquisador que descobrir um tipo de banana que demore mais a amadurecer e não estrague no caminho está feito. Enquanto isso, em Minas cai cada vez mais a produção da apreciada banana-maçã, que não resiste às pragas, como a banana-prata. O mal do Panamá está acabando com a banana-maçã no Brasil.











Publicidade