Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

Galo chega aos 38 pontos e é mais líder do que nunca

Sasha entrou no segundo tempo e marcou o gol de empate do Galo


23/08/2021 22:02

Sasha entrou no segundo tempo e marcou o gol de empate do Galo(foto: Pedro Souza/Atlético)
Sasha entrou no segundo tempo e marcou o gol de empate do Galo (foto: Pedro Souza/Atlético)
O Galo empatou em 1 a 1 com o Fluminense, em São Januário, aumentou a vantagem do Atlético na liderança do Brasileiro, chegando aos 38 pontos. O Galo massacrou, mas não conseguiu traduzir em gols sua superioridade. A defesa do Fluminense esteve quase impecável. O time carioca jogou na retranca, por uma bola. O Atlético pressionou, atacou o tempo todo, mas seus atacantes não estavam inspirados, muito mais pela forte marcação do Flu, do que por falta de empenho.

O Galo entrou em campo para chegar aos 40 pontos e acumular gordura, em busca do título que não vê há 49 anos. Fiz uma projeção rápida. Na temporada passada, o Flamengo, bicampeão, somou 71 pontos, o Inter, vice, ficou com 70, e o Atlético, terceiro colocado, com 68. Teoricamente, o Galo precisaria de 32 pontos para levantar o troféu. 

É sabido que Cuca ajeitou o time, que Hulk tá jogando demais, e o time encaixou. Claro que muita coisa vai acontecer, mas, pela regularidade, o Galo não deixará de fazer no mínimo 32 pontos em 57 que vai disputar. 

E o que é melhor, Renato Gaúcho, técnico do Fla, não gosta de Brasileirão. Quer ganhar o tri da Libertadores para o rubro-negro. Por sua vez, o Palmeiras está mal na competição de regularidade. Ainda é cedo para definições. São apenas palpites e proteção.

E o Galo começou mandando a bola na trave. Vargas tabelou com Nacho e chutou no canto. A bola explodiu na trave. O Fluminense jogava bem atrás, esperando um contra-ataque. Fred estava muito isolado. Vale lembrar que na quinta-feira eles voltam a se enfrentar, pelas quartas de final da Copa do Brasil no Rio de Janeiro. 

Semana que vem o Galo decidirá em casa. Aliás, os torcedores deveriam fazer um pacto e respeitar as determinações das autoridades médicas e sanitárias, para terem mais uma chance de assistirem aos jogos do Galo, no Mineirão. A torcida dá uma força incrível.

Martinelli chutou de fora da área. Everson fez grande defesa. Cruzamento na área, Hulk subiu com Lucas Claro e o árbitro deu pênalti e cartão amarelo para o atacante do Galo. Fred bateu e fez 1 a 0. 

Não era um jogo com muitas alternativas. Fred chutou da entrada da área. A bola desviou e foi a escaneio. Guga cruzou, a bola desviou e quase entrou. Escanteio. A zaga do Fluminense era alta e firme, com Nino e Lucas Claro. Arana cruzou e a bola quase entrou. O goleiro mandou a escanteio. Fred sentiu o joelho e foi para o vestiário sendo dúvida para o segundo tempo.

E ele saiu para a entrada de Abel Hernández. O Galo voltou com a mesma formação. A maior posse de bola no futebol é ilusória. O que mais tenho visto são equipes privilegiando isso e não fazendo os 3 pontos. 

Nacho chutou chão e queria pênalti. O árbitro não caiu na dele. O Atlético continuava em cima, tentando o empate e fazendo pressão. O Flu se defendia e tentava encaixar um contra-ataque. Falta para o Galo. Hulk bateu forte, rasteiro, e a bola desviou na zaga e foi a escanteio. 

O Atlético precisava traduzir seu domínio em gol. Everson não trabalhava, pois o time carioca não chegava. Savarino arriscou, Marcos Felipe pegou com tranquilidade. O Fluminense não conseguia passar do meio-campo. Era jogo de ataque contra a defesa. A zaga do Flu se revezava em fazer faltas em Nacho. Falta para o Galo. Nathan Silva tocou e a bola sobrou para Hulk que chutou na trave, pois estava sem ângulo. Júnior Alonso arriscou de longe. Marcos Felipe segurou firme. Só dava Galo e o gol ia amadurecendo. Vargas tocou para Hulk, que chutou forte. O goleiro do Flu fez outra grande defesa.

Allan chutou de longe, o goleiro espalmou. Só dava Galo. Savarino cruzou para Vargas, que cabeceou para fora. Cuca tirou os dois e pôs Nathan e Keno. Abel Hernández recebeu na área e chutou forte para fora. Primeiro bom ataque do Flu, aos 31 do segundo tempo. Sasha entrou no lugar de Zaracho. Aos 36, o Flu teve a chance de fazer o segundo tempo, mas Gabriel Teixeira, sozinho, diante de Everson, chutou na arquibancada. Uma vergonha. 

Aos 38, o Galo empatou. Sasha recebeu, girou e chutou no canto. O goleiro não saiu nem na foto. 1 a 1, que fazia justiça ao que o Atlético fez no jogo. Sávio e Tchê Tchê entraram. Hulk arriscou da entrada da área e a bola subiu. O empate não foi justo, pois o Galo foi muito melhor o jogo inteiro. Agora, os dois times viram a chave e vão se enfrentar pela Copa do Brasil, quinta-feira, no Engenhão.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade