Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Atlético de Cuca, o maior pontuador da Libertadores

Tarimbado e experiente, Cuca sabe que qualquer revés na Libertadores e as críticas voltarão pesadas e desumanas


24/05/2021 04:00 - atualizado 23/05/2021 21:18

Técnico Cuca tentará levar o Atlético de novo a um título de expressão, como fez em 2013(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Técnico Cuca tentará levar o Atlético de novo a um título de expressão, como fez em 2013 (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


Bicampeão estadual, o Atlético Mineiro vai em busca de ser o maior pontuador da fase de grupos da Libertadores, para levar a vantagem de decidir, em casa, os jogos, até as semifinais, caso avance na competição. Uma vitória sobre o fraquíssimo Deportivo La Guaira, no Mineirão, deixará o time mineiro com 16 pontos, não podendo ser alcançado por mais ninguém.

O técnico Cuca, tão contestado por grande parte da torcida, fatura o título estadual e põe sua equipe como a melhor da fase de grupos. O que o torcedor pode querer mais?

Outro dia, conversando com o técnico atleticano, que é meu amigo, ele me dizia da tristeza de perceber que as pessoas estão tão odiosas. Assim como eu, Cuca é muito religioso e vê o mundo de outra forma, com mais amor, mais compaixão. Tarimbado e experiente, sabe que qualquer revés na Libertadores e as críticas voltarão pesadas e desumanas.

Os torcedores agem assim, incentivados por uma legião de blogueiros e analistas que sequer sabem falar o português ou que tiveram uma formação universitária. São os novos tempos.

Eu não gosto dos campeonatos estaduais, competições falidas e ultrapassadas, mas quem ganha comemora. Rogério Ceni e Cuca estão felizes. Os jogadores também, e, é claro, o torcedor do bem, que quer tirar sarro com os rivais.

As competições mais importantes começam agora e vão se juntar à Libertadores: o Brasileirão e a Copa do Brasil. O Galo não vê o caneco nacional desde 1971, meio século na fila, e Cuca terá a missão de acabar com esse longo jejum.

Com um grupo inchado, mas bem limitado, com muitos jogadores medianos, o time mineiro vai tentar superar Palmeiras, São Paulo, Inter, Grêmio e Flamengo, que continuam sendo apontados como favoritos aos títulos que estão disputando.

O Flamengo vai em busca do eneacampeonato brasileiro e do tri, seguido, façanha conseguida somente pelo São Paulo de Muricy Ramalho, em 2006/07/08. O time carioca tem sérios problemas defensivos, assim como o Galo.

Se ambos pegarem adversários mais qualificados nas oitavas de final, não tenho dúvidas, serão eliminados. Rodrigo Caio, o menos ruim, Gustavo Henrique, Leo Pereira e Bruno são péssimos.

No Galo, o menos ruim é Junior Alonso. Igor Rabello e Gabriel são fracos, e Réver, mesmo com grandes serviços prestados, já está na descendente. Portanto, se os técnicos das duas equipes não abrirem os olhos, a coisa pode se complicar de forma precoce na Libertadores.

Já no Brasileirão, campeonato de 38 rodadas em que cada partida é uma decisão, é preciso largar bem e ir acumulando pontos. Equipes com grupos mais qualificados terão vantagem, e como Fla e Palmeiras mantiveram suas bases, o São Paulo e o Grêmio se reforçaram, acabam se tornando favoritos.

Já o Galo, que investiu quase R$ 300 milhões em jogadores medianos, estaria correndo por fora. Não é apontado como favorito. Mas não subestimem Cuca. Ele foi campeão brasileiro com o Palmeiras e sabe jogar uma competição longa. Tem ainda a Copa do Brasil que, para muitos, é o caminho mais curto para a Libertadores.

A expectativa do torcedor alvinegro é de conquistar pelo menos um título importante nesta temporada. É isso que tenho ouvido de amigos atleticanos responsáveis, do bem e de caráter. Gente que analisa o futebol de forma racional, sem paixão exagerada, sem rotular profissionais.

No próximo fim de semana começa o Brasileirão com a esperança do torcedor do Atlético Mineiro, em reviver 1971, quando foi o primeiro campeão da competição. De lá para cá, bateu na trave, várias vezes, como na temporada passada, quando ficou a 3 pontos do troféu.

Dias melhores e conquistas é o desejo do torcedor alvinegro. Ele já sonha com a inauguração do estádio Presidente Elias Kalil, com uma grande taça para por na sala de troféus, que com certeza será inaugurada por lá.

Quem sabe não chegou o ano de o Galo voltar a levantar o troféu do Brasileirão? Com certeza, é o grande sonho de sua torcida.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade