Publicidade

Estado de Minas EXCLUSIVO

André Cury diz que deu R$ 300 milhões de lucro ao Atlético

O empresário disse que não teme que o clube entre contra ele e suas empresas no MPF e na Receita Federal, pois diz que paga seus impostos em dia


14/04/2021 14:53 - atualizado 14/04/2021 16:53

(foto: Instagram/Reprodução )
(foto: Instagram/Reprodução )
 O empresário André Cury deu entrevista exclusiva ao Estado de Minas, e diz que não deve nada a ninguém, e quem é o devedor é o Atlético. Ele não teme que o clube entre contra ele e suas empresas no MPF e na Receita Federal, pois diz que paga seus impostos em dia, e não tem nada a temer. Veja a entrevista abaixo.

EM – O Atlético vai te denunciar no MPF e na Receita Federal. O que você tem a dizer?

André Cury – Isso é uma piada. No Brasil eles querem processar o credor, quando quem deveria ser processado é o devedor. Pago meus impostos e não devo nada a ninguém. Estou muito tranquilo com relação a isso. 

EM – O Atlético te deve R$ 40 milhões de comissões em vários jogadores. Por que esse valor tão alto?

ANDRÉ CURY – Porque é uma conta que vem de várias gestões. Ninguém se prontificou a me pagar, e quando a gente cobra, é taxado disso e daquilo. Dei um lucro de R$ 300 milhões ao Atlético nas vendas de Emerson, Lucas Pratto, Maicosuel, Douglas Santos, Luan, Otero. O clube poderia ter tirado desse dinheiro e pago meu trabalho.

EM – Você chegou a aceitar um parcelamento da dívida?

ANDRÉ CURY – Sim. Eu estive com o Rubens Menin e o Renato Salvador, quando eles me pediram um jogador. Falei que dividiria a dívida em 5 anos, mas o Renato Salvador nunca me ligou ou me procurou. Eu não tenho problema em dividir dívida, mas é desleal você levar um jogador para o clube, depois vende-lo e não receber a comissão nem da chegada, nem da saída. Isso não é correto.

EM – Por que só você fazia negócios com o Atlético?

ANDRÉ CURY – Porque sou sério, conceituado no mercado e tenho sociedade com vários empresários. É como a Drogaria Araújo, que todo mundo procura porque é a melhor. Portanto, o mercado é assim. Trabalho nisso há 30 anos, com seriedade, disciplina, ajudando os clubes. Cobro minha comissão como agente Fifa que sou. 15 anos trabalhando no Barcelona me credenciam como empresário sério e correto. O mercado me conhece e confia em mim.

EM – Uma fonte do clube alegou que você não era empresário do Vargas, mas entrou no negócio para receber comissão.

ANDRÉ CURY – Mentira. Eu trabalho em parceria com o agente do Vargas, e ainda ajudei o Atlético, pois eu recebendo a comissão fiz com que o Atlético não precisasse mandar remessa para o exterior. O imposto foi pago no próprio Brasil. Eu só cobro aquilo que me é de direito.

EM – Você pretende confrontar o Atlético no MPF e na Receita Federal?

ANDRÉ CURY – Estou aguardando um comunicado oficial. Fiquei sabendo agora, por você. Não temo nada. Se eles entrarem, eu vou tomar as minhas providências, dentro da lei. Pago meus impostos, sou correto e tudo meu é declarado. Minhas empresas estão dentro da lei.

EM – O que você diria para a nova gestão do Galo, que trata o clube com austeridade e transparência?

ANDRÉ CURY – Diria que eles devem me pagar e que eu estou disposto a manter o parcelamento de 5 anos. Não tem o menor problema. O que não pode é inverter os papéis. O credor sou eu. O Atlético é o devedor. Ele tem que me chamar e tentar um acordo. Não tenho problema nenhum em parcelar, desde que façamos um documento e tudo seja transparente e claro. Sou um trabalhador, que paga impostos e que exerce sua profissão com dignidade e respeito. Mereço ser respeitado e receber aquilo que me é de direito.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade