Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

América mantém vice-liderança; Cruzeiro vence com gol de placa de Sobis

Sobis está marcado na história do futebol mundial com esse gol.


06/12/2020 00:16

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
O América foi a Alagoas, venceu o CSA por 1 a 0, e manteve a vice-liderança da Série B, com 47 pontos, quatro atrás da Chapecoense. É sabido, pela qualidade do Coelho, que dificilmente ele deixará de voltar à elite do nosso futebol. Além disso, está na semifinal da Copa do Brasile pode sonhar em chegar à final. Por que, não? Acredito ser o América o melhor time de Minas Gerais no momento, com um grande treinador, uma equipe muito bem dirigida por Lisca, e um grupo coeso. 


Depois, tivemos o Cruzeiro enfrentando o Brasil de Pelotas, no Mineirão. E o time azul goleou por 4 a 1, com uma pintura no último gol. Rafael Sobis pegou a bola ainda no seu campo, viu o goleiro adiantado e tocou por cobertura. O gol que Pelé sonhou em fazer, Sobis fez, no Mineirão. Que providenciem logo uma placa para ele. Um golaço, digno dos grandes jogadores. 

Sobis está marcado na história do futebol mundial com esse gol. 

A expectativa, é claro, era de mais uma vitória azul, principalmente pelo fato de o Cruzeiro ter vencido o clássico contra o América, embora a arbitragem tenha sido decisiva. E o Cruzeiro não tomou muito conhecimento do adversário. Com 15 minutos, já vencia por 2 a 0, gols de Arthur Caíke e Jarro Pedroso, contra. 

O primeiro gol surgiu numa jogada de Sobis, que cruzou, e Caíke chutou cruzado. 1 a 0. O segundo gol foi contra. Machado cobrou falta, Rafael Martins saiu mal do gol e Jarro Pedroso jogou contra o próprio patrimônio. 2 a 0. 

O Cruzeiro era soberano e teve chances de ampliar, mas o goleiro do Brasil fez algumas boas defesas. E, como o Cruzeiro não aumentou, o Brasil acabou diminuindo. Jarro recebeu na entrada da área e tocou para Bruno José. Ele recebeu sozinho e chutou cruzado. Cruzeiro 2 a 1.

Já no fim do primeiro tempo, Arthur Caíke pedalou e foi derrubado na área por Everton. Pênalti claro. Rafael Sobis bateu e fez Cruzeiro 3 Brasil de Pelotas 1. E dessa forma, terminou o primeiro tempo.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou disposto a construir um placar maior. Ele precisava confirmar sua boa fase e mostrar que ainda há chance de subir, embora os números sejam desfavoráveis. 

A vitória o colocava a 8 pontos do quarto colocado, o Juventude, com 42 pontos. O time azul chegava aos 34 pontos. Embora os números desmintam, o torcedor azul acredita é na bola entrando na casinha, e isso tem acontecido ultimamente. Mas o Brasil se fechou mais, na esperança de conseguir contra-atacar. Não há muito o que falar, pois Rafael Sobis fez o gol que nem Pelé conseguiu fazer. Recebeu no seu próprio campo e chutou por cobertura. O goleiro nem viu onde ela entrou. Um golaço, um gol de placa, um gol para não ser esquecido jamais. Confesso que não me lembro de um gol assim. Cruzeiro 4 a 1. Que golaço. 

Me faltam palavras para descrever esse gol. Uma pintura. Só esse gol já valeu a volta dele. Como é bonito ver um gol desses. O Rei Pelé deve estar em casa pensando: “nem eu consegui fazer um gol assim”. Realmente, Sobis fez bem ao Cruzeiro e o time azul fez bem a ele. Depois de um gol desses, dizer mais o quê? Eu paro por aqui. Cruzeiro 4 x Brasil de Pelotas 1. Décimo primeiro colocado, revivendo, ressurgindo das cinzas. Felipão, como eu sugeri, é o cara. Com ele, o time cresceu, embora não jogue bonito, mas vai pegando confiança para tentar o que é quase impossível: a volta à elite. 

Enquanto há vida, há esperança. E o torcedor azul acredita mais do que nunca.  Se fosse um jogo com torcida, eu sugeriria que todos saíssem do Mineirão e pagassem um novo ingresso. O gol de Rafael Sobis deveria concorrer entre os gols mais lindos do mundo. Como no prêmio Puskas, não há mais tempo, quem sabe para o ano que vem! Foi um sábado mágico para o futebol mineiro. O América pertinho da Série A e o Cruzeiro renovando a esperança de sua torcida. 

Sobis, obrigado por fazer um gol tão mágico e por mostrar que o futebol só tem sentido se for assim, com essa plasticidade e essa magia. Que o Mineirão encomende logo uma placa. Um gol desses tem que se homenageado o mais rapidamente possível. Obrigado por tornar o esporte bretão tão maravilhoso. Quando vejo um gol como esse, percebo que o nosso futebol ainda tem solução. Obrigado, Sobis!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade