Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Bomba do Jaeci

Cruzeiro busca uma retomada histórica. Que venha o Cuiabá!

A Raposa terá de remar, remar e remar, se quiser cumprir o acordo entre jogadores e o técnico, de terminar o turno entre os quatro primeiros ou perto deles


03/10/2020 04:00

Na volta de Sassá, o Cruzeiro venceu a Ponte Preta e convenceu: ele deve ser mantido no ataque contra o Cuiabá(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Na volta de Sassá, o Cruzeiro venceu a Ponte Preta e convenceu: ele deve ser mantido no ataque contra o Cuiabá (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)


“Nos embalos de sábado à noite”, o Cruzeiro vai a Cuiabá encarar o time local. Depois de uma vitória convincente sobre a Ponte Preta, uma das ponteiras do Brasileiro, por 3 a 0, que poderia ter sido de 5 ou 6, o time tem a tranquilidade que havia perdido nas últimas rodadas, com a ameaça de queda para a Série C, e a distância do pelotão da frente da B. Ao contrário do que muitos pensam, o time não saiu do inferno para o céu em 90 minutos. Nada disso. Está longe do ideal, mas já mostrou uma postura diferente, com o objetivo de vencer, procurando o gol o tempo todo e não se acomodando. Chegaram Sassá, que fora rejeitado pelo clube por indisciplina e mandado embora para o Coritiba, onde também cometeu erros. E Marquinhos Gabriel, outro que estava inscrito pelo Cruzeiro. No mais, é um time que tem dado chances aos laterais – o esquerdo é muito bom por ser apenas um garoto. A saída de Ariel Cabral, que estava suspenso, é um alento. Até vejo nele qualidades técnicas, mas é um cara que não é útil em nada. Lento, não lembra nem de longe ser um jogador argentino, tamanha a sua apatia. Na zaga, Manoel mostrou ser o novo xerife, e gostei muito do garoto que atuou ao seu lado.

Escalar ou tirar do time é um problema para Ney Franco, é ele quem ganha para isso. Porém, achei injusto ter sacado Marcelo Moreno. Justamente no jogo em que o time mais se encaixou, ele puniu um cara que vinha fazendo das tripas coração para ajudar o grupo. Sassá jogou até bem. Mas a indisciplina fica premiada, pois ele foi mandado embora do Coritiba por esse motivo e voltou ao Cruzeiro, que, como escrevi acima, o dispensou pela mesma razão.

Sei que o torcedor é passional e que pode levar um jogador do inferno ao céu em 90 minutos ou vice-versa. Na hora em que a coisa aperta, o cara pode ser o maior gandaeiro que o torcedor esquece. Desde que jogue bem ou faça gols, estará perdoado. O futebol brasileiro é pouco profissional. Já contei aqui a história de Oliver Khan, ex-goleiro do Bayern e da Seleção Alemã, que estava fora do time por uma lesão e aos cuidados dos fisioterapeutas. Mas resolveu ir a uma boate depois de um dia se tratando e, no dia seguinte, o clube alemão emitiu comunicado oficial, multando o jogador em 20% dos salários. Isso é profissionalismo. Se ele não podia jogar por uma lesão, por que foi a uma boate? No Brasil, se o time está mal, os torcedores falam que o jogador está na “cachaça”. Se está bem, nem liga. Ele pode beber 10 litros de pinga que ninguém vai reclamar.

Se Sassá fizer os gols que levarão o Cruzeiro de volta à elite, será um dos heróis da campanha. Se isso não ocorrer, mais um a ser criticado. Por parte dos torcedores é normal esse comportamento. Já os dirigentes não devem aceitar comportamentos que comprometam a imagem da instituição. O Cruzeiro é um gigante do futebol nacional, que passa por uma fase terrível, já que foi assaltado, segundo a polícia. Tenho visto muita gente massacrando o Cruzeiro, gente tirando onda e menosprezando esse grande time. Mas mesmo na Segundona, me apontem os times do Brasil com seis Copas do Brasil, quatro Brasileiros e duas Libertadores? São poucos. São Paulo, Santos, Corinthians, Palmeiras, Flamengo, Grêmio e Inter. São as equipes que têm várias taças importantes na galeria. Estar na Segundona é ruim, mas não deve diminuir um clube com essa grandeza.

O jogo de hoje será dificílimo, pois vai encarar o líder da competição, na casa dele, precisando vencer. O Cuiabá tem 25 pontos, 14 a mais que o Cruzeiro, o que significa cinco vitórias de diferença. Não se tira isso em pouco tempo. O Cruzeiro terá de remar, remar e remar, se quiser cumprir o acordo entre jogadores e o técnico, de terminar o turno entre os quatro primeiros ou perto deles. Uma derrota hoje fará o torcedor voltar ao patamar de baixo em que se encontrava antes da vitória sobre a Ponte. Portanto, se cada jogo era uma decisão, agora será ainda mais. Os 6 pontos tirados do clube pela irresponsabilidade de quem não pagou à Fifa uma dívida pelo jogador Denílson estão fazendo muita falta. Não fosse isso, o time azul estaria com 17 pontos, no bolo dos que querem subir. Recuperar esse prejuízo, encostar nos ponteiros e respirar para um segundo turno diferente é o que o Cruzeiro quer e o que deseja o seu torcedor. Que a vitória de quarta-feira não tenha sido um caso isolado e que passe a ser rotina para esse gigante do futebol brasileiro.

Inocente na cadeia

O jogador Fernando, cujo ex-funcionário está há um ano e meio na cadeia, na Rússia, deu entrevista dizendo que está pagando advogado e fazendo o possível para que Robson Oliveira saia o mais rapidamente possível do pesadelo em que se encontra. Pagar um advogado é o mínimo. Ele deveria entrar em Moscou e assumir que o rapaz não sabia o que havia na mala e que a responsabilidade é dele, Fernando, e da sua família. O remédio levado para o sogro de Fernando, para uso cardíaco, é considerado droga na Rússia. Fernando, tenha dignidade e humanidade. O rapaz está preso por um crime que não cometeu. Será que você consegue dormir ou encarar seus filhos? A Justiça dos homens pode até cometer suas falhas, mas a divina, ah, meu caro, essa vai te punir, não tenha dúvidas disso. Pra mim, você não passa de um canalha!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade