Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas BOMBA DO JAECI

Sérgio Rodrigues, ótima e única opção no Cruzeiro

"Sérgio Rodrigues é advogado independente e competente. A única solução para o momento azul"


postado em 01/02/2020 06:00 / atualizado em 01/02/2020 08:08

Sérgio Rodrigues foi candidato na última eleição para presidente do Cruzeiro e acabou derrotado por Wagner Pires de Sá(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 7/6/17)
Sérgio Rodrigues foi candidato na última eleição para presidente do Cruzeiro e acabou derrotado por Wagner Pires de Sá (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 7/6/17)

O Cruzeiro perde tempo ao não fazer eleições imediatamente. Sérgio Rodrigues (foto) é o único nome e a melhor opção para ser o candidato de consenso. É um cara íntegro, cruzeirense apaixonado, independente, e saberá gerir o clube com mão de ferro. Se os conselheiros são realmente apaixonados pelo clube, deveriam abrir mão de mesquinharias e apoiá-lo, mesmo porque não há outro nome que aceite a empreitada de reequilibrar o Cruzeiro. Com dívida de R$ 1 bilhão, até mesmo os chamados “poderosos” financeiramente pularam fora do barco. Por que esperar até maio, se a coisa pode ser resolvida agora? E com um detalhe: os homens do conselho gestor são íntegros e fazem o que podem para minimizar os problemas do Cruzeiro, porém, de futebol não entendem nada. O time precisa voltar à elite do futebol nacional, e o objetivo principal tem que ser a Série B. Aqueles que derrotaram Sérgio Rodrigues nas urnas, elegendo Wagner Pires, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, deveriam fazer mea-culpa e se unir em prol da candidatura de Sérgio.

Ou treina ou sai!

O técnico Vanderlei Luxemburgo já peitou jogadores como Romário, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho. Agora, no Palmeiras, já mandou um recado direto para Dudu olhos nos olhos. Ou o atleta treina como os demais, e se esforça para fazer aquilo que ele pede, ou vai ficar no banco, com possibilidade de ser negociado. Dudu é o maior salário do Palmeiras, 400 mil dólares por mês (cerca de R$ 1,7 milhão), mas sua bolinha é pequena. Um jogador médio, que deu sorte na vida e que hoje está rico graças aos desmandos de quem o contratou no Palmeiras. Luxa já recuperou Lucas Lima e Gustavo Scarpa, que estão voando com o treinador. Fez a cabeça de Felipe Melo para ser zagueiro e pôs Ramires como primeiro volante, recuperando também o atleta, que estava encostado. Luxa gosta da velocidade de Dudu e acha que ele é importante para o time, desde que treine com afinco, coisa que não vinha fazendo, e que ajude o grupo em campo. Se achar que é estrela, a chance de Dudu jogar com Luxa é perto de zero.

Não dá para entender

O goleiro Cleiton surgiu como um excepcional arqueiro no Atlético, chegando à Seleção Brasileira Pré-Olímpica. Há uma proposta de R$ 21 milhões por ele, feita pelo Bragantino, e o Galo está disposto a vendê-lo. Não seria melhor segurá-lo, já que tem 21 anos e pode ser o titular do gol atleticano por pelo menos uma década em vez de negociá-lo e buscar outro goleiro no mercado? Fala-se que o Galo pensa em Rafael, de 30, que está em litígio com o Cruzeiro. Excelente goleiro e profissional exemplar. Mas, o que vai gastar com ele em contrato e luvas, daria para manter Cleiton, que tem história no clube. É o caso do Flamengo, que tinha Reinier, jovem e promissor, mas preferiu gastar R$ 90 milhões para ficar com Gabigol. Pensando a curto prazo pode até funcionar, mas, a médio e longo prazos, é besteira.

Cerco apertando

A Fifa já está apertando a participação de agentes de futebol em negociações, limitando a cota de recebimento de comissões. Os clubes brasileiros parecem ter acordado para o problema, e já há dirigente ligando para os seus pares e negociando diretamente, sem a ação de intermediário. Alguns presidentes sérios e honestos querem acabar com a promiscuidade de negociatas entre diretores de futebol e empresários, pois há suspeitas de que os empresários estão dividindo comissões com tais diretores de futebol. Há várias denúncias no mercado e a polícia apura, detalhadamente, principalmente no Cruzeiro. O cerco está se fechando. Tem gente que diz que empresário dividir a comissão com diretor de futebol não é ilegal. Pode até não ser, mas que é imoral, ah isso é! Tem gente que entrou no ramo de diretor de futebol há bem pouco tempo e está riquíssima, passando os pés pelas mãos. Jogadores e técnicos sabem que são, mas é difícil provar, principalmente pela suspeita de que os empresários dividem essas comissões, pondo o dinheiro da partilha em contas no exterior, em paraísos fiscais. Mas o cerco está se fechando.


Publicidade