Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

O Ceará quer cair. O Cruzeiro também. A decisão será domingo

O problema é o Cruzeiro vencer, já que o time atual não inspira confiança em ninguém


postado em 05/12/2019 04:00 / atualizado em 05/12/2019 00:09

Técnico Adilson Batista tenta salvar o Cruzeiro da queda para a Série B do Campeonato Brasileiro(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Técnico Adilson Batista tenta salvar o Cruzeiro da queda para a Série B do Campeonato Brasileiro (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)


O Ceará está dizendo para o Cruzeiro: “Deixa que eu caio, pois sou mesmo de Segunda Divisão e quero voltar”. O Cruzeiro retruca: “Não, eu quero cair e saber como é jogar a Segundona”. Parece a briga do gato e do rato, de Tom e Jerry, tamanha a incompetência das duas equipes. A verdade é que o Corinthians honrou sua gloriosa história e derrotou o Ceará, no Castelão, por 1 a 0, mantendo suas chances de disputar a Copa Libertadores e deixando o time cearense apenas com dois pontos à frente do Cruzeiro. Ou seja: se o Cruzeiro vencer o Grêmio hoje, em Porto Alegre, ultrapassará o Ceará e dependerá única e exclusivamente dele mesmo, para se manter na elite.

O problema é o Cruzeiro vencer, já que o time atual não inspira confiança em ninguém. Porém, é preciso jogar a partida da vida, comer grama, se desdobrar e buscar o único resultado que interessa. Empate ou derrota de nada vão adiantar. De qualquer forma, tudo será definido no domingo, quando o Ceará vai ao Rio, enfrentar o Botafogo, e o Cruzeiro receberá o Palmeiras. Não me espantaria se a diretoria do Cruzeiro, mesmo quebrada, mandar uma mala branca, um doping financeiro para os jogadores do Botafogo se esforçarem mais e ganharem a partida. Como a situação financeira do alvinegro carioca é gravíssima, a possível ajuda financeira deixaria os jogadores mais felizes no Natal.

Dois pontos separam o Cruzeiro do Ceará. Por isso, só uma vitória hoje o colocará à frente do rival pelo descenso e o deixará em condições de depender de si próprio. Empate ou derrota deixará tudo do mesmo tamanho. O “se” não existe no futebol, mas o Cruzeiro perdeu tantos pontos para equipes inexpressivas, e esses pontos estão fazendo falta agora. Os internautas me perguntam se houve mala branca para o Corinthians, ontem. Pode ter havido, pois o time paulista jogou com muita disposição e seriedade.

Vale lembrar que a vitória era imprescindível para o Timão ficar na zona de classificação para a Libertadores, e, pode ser até de forma direta. O torcedor do Cruzeiro vai dormir mais aliviado, na certeza de que se seu time fizer os três pontos, escapará da morte, pois pega o Palmeiras, domingo, no Mineirão, lotado. E, se não fizer, terá que ganhar do Palmeiras e torcer pelo Botafogo. Sinceramente, se juntar Botafogo e Ceará não dá um time decente. Por isso mesmo, o doping financeiro para vencer, a chamada “mala branca”, deve rondar o Engenhão.

Galo

Uma vitória tranquila sobre o fraco Botafogo, chegando aos 48 pontos, e com vaga garantida na Sul-Americana. Um consolo para quem esteve ameaçado pelo rebaixamento, mas que jogou com propriedade, nos últimos dois jogos no Horto. O presidente Sérgio Sette Câmara tem agora a chance de repaginar seu clube, mandar embora os engodos e contratar jogadores com a pele alvinegra. Além disso, olhar com carinho para os jogadores da base, pois, neste fim de campeonato, foram eles que resolveram, nos momentos mais difíceis. O Galo terá muito trabalho para montar um time decente para 2020, que possa lhe dar a chance de disputar as taças e não apenas de figurar nas competições. O torcedor alvinegro não está feliz, mas aliviado. Sua maior vitória será um possível rebaixamento do Cruzeiro. Se isso acontecer no domingo, a Praça Sete se transformará num palco semelhante ao da conquista da Copa Libertadores. Não tenho a menor dúvida disso.

Prendam os bandidos

Uma moça foi agredida após o jogo de vôlei do Cruzeiro, em Betim. Uma covardia só. Até quando esses bandidos ficarão impunes? Será que não há câmeras na rua para identificar esses vagabundos? Ou as autoridades tomam providências enérgicas, prendendo esses bandidos por muitos anos nas cadeias, ou a sociedade de bem vai desistir. Será que não há uma autoridade, de “saco roxo”, capaz de acabar com as facções organizadas no Brasil?


Publicidade