Publicidade

Estado de Minas

Atlético injustiçado em Itaquera

O Galo volta para BH com o sentimento de um grande jogo, mas sem os três pontos e se distanciando ainda mais dos líderes


postado em 02/09/2019 04:00 / atualizado em 01/09/2019 23:30

Foi um grande jogo, em nível de Europa, com belas tabelas, dribles e jogadas de duas equipes que procuraram o gol o tempo todo(foto: Bruno Cantini/Atlético)
Foi um grande jogo, em nível de Europa, com belas tabelas, dribles e jogadas de duas equipes que procuraram o gol o tempo todo (foto: Bruno Cantini/Atlético)


O Atlético fez uma bela partida contra o Corinthians. O goleiro Cleiton foi um dos destaques do time alvinegro, mas quis o destino que ele se tornasse o vilão no finalzinho da partida, ao errar uma saída de bola e entregar nos pés de Mateus Vital, que tocou para Gustavo chutar na saída do goleiro atleticano. Timão 1 a 0. Um castigo que ele não merecia. O jogo foi muito igual, com destaque para Cássio e o próprio Cleiton, que fizeram defesas impossíveis. Um 3 a 3 seria um placar justo.

Foi um grande jogo, em nível de Europa, com belas tabelas, dribles e jogadas de duas equipes que procuraram o gol o tempo todo. Uma pena. Pelo futebol apresentado, o time mineiro não merecia a derrota. Mas, quando dois gigantes se enfrentam, a partida é decidida em detalhes ou em erros crassos. Infelizmente, Cleiton fez como uma vaca holandesa: deu 80 litros de leite e chutou o balde, derrubando todo o leite no chão.

O Atlético jogou um belo futebol no primeiro tempo. Encarou o Corinthians de igual para igual e criou as melhores chances de gols. Cássio foi o melhor jogador do Timão, com defesas espetaculares, garantindo o 0 a 0. É verdade que o time paulista também criou situações, mas, quando foi preciso, Cleiton também fez boas defesas. Ele se apresentará hoje à Seleção Olímpica para amistosos em São Paulo.

Foi um jogo em ritmo eletrizante, com belas jogadas e poucas faltas. Em alto nível mesmo. O técnico Rodrigo Santana merece ter mais tempo para mostrar seu trabalho. É conhecedor de futebol, tem o grupo nas mãos e a gente percebe que os jogadores fazem o máximo por ele. Quando técnico e jogadores se gostam e fazem um pacto, a coisa funciona. O Galo, que todos nós apontávamos como uma equipe que apenas figuraria no Brasileirão, está surpreendendo, fazendo bons jogos, impondo-se fora e dentro de casa, como nos primeiros 45 minutos de ontem. Se houvesse um vencedor nessa etapa, com certeza deveria ser o Galo, pois criou muito mais que o dono da casa.

Na fase final, os dois times mantiveram o ritmo, a pegada, com qualidade nos passes e jogadas em profundidade. Cazares comandava os atleticanos. Vinícius fazia bela partida. A gente percebe que Rodrigo Santana sabe mexer o doce e tem uma equipe muito bem armada. O problema é que encarar o Corinthians, em sua casa, nunca foi fácil, e não seria ontem.

A zaga atleticana esteve segura, sem dar chances a Vágner Love e Gustavo. O mesmo fez a dupla de zaga corintiana, que não deu espaços a Ricardo Oliveira. Por isso, o empate teria sido o resultado mais justo, pois foi uma partida intensa e igual. Já vi muitas injustiças no futebol, mas a de ontem foi das piores. Este garoto, Cleiton, é excelente goleiro e tem um futuro brilhante. Errou num momento crucial. Logo ele, que é o goleiro da Seleção Olímpica do Brasil. Coisas do futebol.

O Galo volta para BH com o sentimento de um grande jogo, mas sem os três pontos e se distanciando ainda mais dos líderes. Vale lembrar que pontos perdidos para uma equipe grande são recuperáveis, quando enfrentá-las em casa, porém aqueles três pontos contra o Bahia, esses sim são irrecuperáveis. Por isso, critiquei tanto a decisão equivocada do treinador. Vida que segue, esse Atlético, no qual nenhum de nós acreditava, disputa, de igual para igual, com os melhores times do Brasil. Pelo menos, tem mostrado isso no Brasileirão.

Cruzeiro vence


No Mineirão, o Cruzeiro derrotou o Vasco por 1 a 0, gol de Maurício, e melhorou sua posição na tabela. Como optei por assistir à Corinthians x Galo, não posso comentar sobre o jogo do Mineirão, pois não o assisti.

Futebol de europeu


O Flamengo tem que pagar às famílias dos 10 garotos mortos queimados, no Ninho do Urubu. A vida não tem preço. Porém, é preciso calcular o tempo de vida útil dos garotos, e dirimir o sofrimento. Isso é ponto pacífico, do qual não abro mão. Entretanto, falando de time, o Flamengo é a única equipe no Brasil que pratica futebol em nível de Europa. De Arrascaeta, Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique estão voando, com tabelas, dribles, passes e gols geniais. Ontem, na vitória de 3 a 0 sobre o Felipão, aquele que tomou de 7 a 1 da Alemanha, na Copa do Mundo no Brasil, o time rubro-negro mostrou futebol, qualidade, competência. O técnico português Jorge Jesus está dando aula de futebol, mostrando aos medíocres técnicos brasileiros como se monta uma equipe. E o Palmeiras, da “dona Leila”, aquela dona da empresa que empresta dinheiro a juros a velhinhos, gastou uma fortuna e nada. O Palmeiras é um time absolutamente ruim, sob o comando de um técnico ultrapassado e retrógrado.

Seleção Brasileira


Os treinos de hoje e amanhã na Universidade de Berry foram cancelados em função do furacão Dorian, que deve tocar o solo da Carolina do Norte nesta manhã. Como o furacão deve atingir a velocidade de 300 km/h, chegando à categoria máxima, que é 5, deve ter reflexos sérios em Miami, mesmo a 1.200 km de distância. Tempestades tropicais, categoria 1 ou 2 são esperadas para Miami hoje e amanhã. A comissão técnica ainda não decidiu onde treinar, já que alguns jogadores chegarão hoje, e outros, amanhã.



Publicidade