Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas HIT

Companhia de teatro de Belo Horizonte comemora parceria com Gabriel Villela

O diretor assina a montagem de O auto da compadecida com o grupo Maria Cutia. O espetáculo, que estreou em São Paulo, terá sessões no Sesc Palladium


postado em 24/09/2019 04:00

 NO PALCO
SONHO REALIZADO

(foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS )
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS )
Atuar sob a direção de Gabriel Villela é um dos grandes desejos das companhias de teatro do país. E o grupo Maria Cutia celebra essa realização com a montagem de O auto da compadecida, que estreou em junho deste ano no interior de São Paulo, e chega ao palco do Sesc Palladium, em BH, em 5 e 6 de outubro. “É um namoro antigo. Conhecemos o Gabriel em 2012, na temporada do Romeu e Julieta, em Londres. Mas foi só em 2015 que essa parceria começou a caminhar e hoje estamos no palco, encenando com todo o talento desse diretor, que considero um dos maiores nomes do teatro brasileiro”, elogia o ator e fundador da companhia, Leonardo Rocha.

>>>

O desejo foi tão grande que a montagem saiu do papel sem patrocínio e apenas três meses de ensaio.
Leonardo Rocha conta que foi um período intenso e profundo, de janeiro a abril. "Depois de leituras, estudos, pesquisas de figurino e ideias de cenário, voltamos para Belo Horizonte para ensaiar na Toca da Cutia, nossa sede. Foi um período de muita aprendizagem e deslumbramento, profissionalíssimos, entre toda a equipe, dos atores à produção”, recorda, lembrando que a primeira parte do trabalho foi feita na fazenda de Gabriel, em Carmo do Rio Claro.

>>>

A falta de patrocínio não foi o único desafio enfrentado pela trupe. A atriz Mariana Arruda, umas das fundadoras do Maria Cutia, estava grávida quando o projeto começou a ganhar vida. “Ensaiei até 13 dias antes de a Violeta nascer e oito dias antes da estreia oficial, que ocorreu em junho, em Ribeirão Preto, com a atriz Jimena Castiglioni me substituindo. Na temporada em São Paulo, em agosto, já estávamos de volta, eu e Violeta, agora fora da barriga, num mês intenso de teatro, amor e leite materno," conta a atriz. Todo esse esforço não é para menos. Gabriel Villela conta que um dos seus desejos, ao completar 60 anos, em dezembro passado, era comemorar com a direção de uma companhia mineira. “O Maria Cutia representa o encontro com as minhas raízes”, diz o diretor.

TARDEZINHA
MAIS UMA DE SUCESSO

A próxima edição da Tardezinha, festa comandada pelo cantor Thiaguinho, está marcada para 1º de dezembro, mas o sucesso do evento é tão grande que apenas no primeiro dia de abertura das vendas foram comercializados 15 mil ingressos. Nada mal levando em consideração que há mais de 60 dias até o evento, que será realizado no Mineirão. Entre as novidades deste ano, um espaço, o Surreal, para quem tem 16 anos, e o Tardezinha para maiores de 18.

PRIMAVERA DOS MUSEUS
OPORTUNIDADE NO MINAS

Amanhã (25), das 14h30 às 16h, e sexta-feira, das 9h30 às 11h e das 14h30 às 16h, o Centro de Memória do Centro Cultural Minas Tênis Clube estará aberto para quem quiser conhecer a Reserva Técnica, espaço de acesso restrito onde está guardado todo o acervo da história do Minas (premiações, documentação arquivística, acervo fotográfico, indumentária e equipamentos esportivos). As inscrições, limitadas a 20 pessoas por visita, podem ser feitas pelo telefone (31) 3516-1025/1028 ou pelo e-mail centrodememoria@minastc.com.br. A ação faz parte da programação da 13ª Primavera dos Museus, temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).


Publicidade