Publicidade

Estado de Minas BOLA MÚNDI

Pronto para assumir o papel de vilão?

Se pretende mesmo virar a página em sua carreira, Neymar deveria aceitar o desafio


postado em 08/08/2019 04:00

Atacante Neymar pode acabar trocando o Paris Saint-Germain pelo Real Madrid(foto: FRANCK FIFE/AFP)
Atacante Neymar pode acabar trocando o Paris Saint-Germain pelo Real Madrid (foto: FRANCK FIFE/AFP)
 
 
Enquanto o mercado não é encerrado no futebol inglês, francês, espanhol e alemão, o destino de Neymar segue sendo a grande novela desta janela de transferências. E, diferentemente do que parecia ser o caminho mais fácil – o retorno ao Barcelona -, o craque brasuca pode mesmo “virar a casaca” e se transferir para o Real Madrid.

Se a saída do Barça para o PSG duas temporadas atrás já não foi lá muito amigável, com o clube francês pagando a absurda multa rescisória de 222 milhões de euros, na maior transferência do futebol mundial, Neymar se tornaria de vez persona non grata na Catalunha. Mas a história mostra que, algumas vezes, a reviravolta pode ser positiva.

Basta citar casos como os do argentino Di Stéfano, do português Figo, do romeno Hagi, do dinamarquês Michael Laudrup, do espanhol Luis Enrique ed o camaronês Samuel Eto’o. Mas o maior exemplo para Neymar neste momento devem ser Evaristo de Macedo e Ronaldo Fenômeno, que brilharam nos dois arquirrivais.

Outro motivo especial seria a presença do técnico Zinedine Zidane, que tem histórico de saber lidar com astros. Com o aval dele, o clube merengue teria oferecido 120 milhões de euros (R$ 536 milhões) mais o passe de ninguém menos que o croata Modric, atual dono do prêmio de melhor do mundo da Fifa.

Se pretende mesmo virar a página em sua carreira, Neymar deveria aceitar o desafio. Mas tem que estar preparado, especialmente na cabeça, para o festival de críticas e vaias. Parece prematuro dizer isso, porém, pode ser sua última grande chance... Que não desperdice seu talento.


Fim da seca
Amantes do futebol europeu, alegrai-vos! Depois do período de férias e dos intermináveis amistosos de pré-temporada, enfim será dado o pontapé inicial em dois dos principais campeonatos do continente. Na Inglaterra, no que promete ser mais uma reedição do duelo entre Liverpool e Manchester City, a atração principal da rodada é (já) o clássico entre Manchester United e Chelsea no domingo. No Francês, o atrativo é o duelo Monaco x Lyon, quando a equipe do Principado tentará mostrar que a temporada passada – quando lutou contra o rebaixamento – foi totalmente fora da curva. Tenho minhas dúvidas...


Do outro lado
A estreia oficial do espanhol Xavi Hernández como treinador após pendurar as chuteiras foi positiva. No duelo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões asiática, sua equipe, o Al Saad, arrancou um empate fora de casa com o Al Duhail, no clássico do Catar. Fiel a suas características de jogador, sua equipe teve mais posse de bola (58%) e trocou muito mais passes que o adversário (462 a 361), com índice de aproveitamento de quase 80%. Entretanto, chutou menos (11 contra 14). A volta será terça-feira.


Sem moleza
Mesmo tendo mantido a base da temporada passada, o Ajax, atual vice-campeão da Liga dos Campeões, não teve estreia fácil na atual edição. Na terceira pré-eliminatória, ficou no 2 a 2 com o PAOK, da Grécia, fora de casa. E chegou a estar perdendo por 2 a 1. O duelo de volta será na semana que vem. A equipe grega tem como um de seus pilares um trio brasuca: Leo Matos (lateral), Douglas (volante), e Leo Jabá (atacante).


Chaga sem fim
Infelizmente, atos de racismo seguem assolando o futebol mundial – e não somente dentro das quatro linhas. Nesta semana, o presidente do Schalke, da Alemanha (de triste passado nazista), foi afastado pelo próprio clube depois de declarações lamentáveis. Criticando o aumento dos impostos para combater as alterações climáticas, Clemens Tönnies afirmou que o dinheiro seria mais bem utilizado para financiar energia elétrica na África para que os “africanos parassem de cortar árvores e fazer bebês à noite”.


Vai ou racha
A 22ª rodada pode praticamente decidir o destino do Campeonato Chinês. Líder com 55 pontos, o Guangzhou Evergrande dos brasileiros Paulinho, Talisca e Elkeson, visita o Beijng Guoan (2º, 51), de Renato Augusto. Se vencer, o Guangzhou abre sete pontos de vantagem na ponta e ficará mais perto do título. Em caso de derrota, a reta final pegará fogo!
 
 
De olho
Samuel Chukweze
Habilidoso, veloz e de bom porte físico, o atacante nigeriano Samuel Chukwueze, de 20 anos, é uma das novas joias africanas lapidadas no futebol espanhol. Ele começou a jogar aos oito anos em academias de futebol de seu país. Aos 17, se destacou no Mundial da categoria (chuteira de bronze) e foi parar no Villarreal, que o contratou por cinco temporadas. De início, atuaria nos juvenis, mas logo foi levado para o time B. Em 2018, já estava no time principal e estreava pelos Águias Verdes.


Publicidade