Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas BRAD PITT É CEGO?

Prosopagnosia, a cegueira de Brad Pitt

Ator descobriu condição que é a incapacidade parcial ou total de reconhecer o rosto dos conhecidos


08/07/2022 06:00

Brad Pitt
(foto: Valerie Macon)

Brad Pitt é cego? Essa é o tipo de pergunta que poderia gerar um burburinho em torno do assunto e, até mesmo, algumas fake news. Então, antes de compartilharmos fragmentos de conteúdos, vamos entender o que é essa história de cegueira, revelada pelo ator americano. Segundo declarações dadas por ele, "as pessoas simplesmente não acreditam".

Vamos tentar uma explicação plausível para você não ficar perdido nas informações. O que Brad Pitt descobriu em um auto-teste é que ele tem prosopagnosia, uma incapacidade parcial ou total de reconhecer o rosto dos conhecidos. O mais interessante é que não há comprometimento da lembrança dos nomes e outras características individuais.

O cérebro é uma máquina magnífica, todavia esses bugs podem acontecer. A região do cérebro que está associada ao reconhecimento facial é diferente da que se lembra dos nomes e características pessoais. Brad declarou que as pessoas simplesmente não acreditam e associam essa deficiência a comportamentos egoístas, antipáticos e esnobes, porém trata-se de não se lembrar mesmo dos rostos que supostamente deveriam ser reconhecidos.

De maneira mais técnica, é uma alteração da região cerebral nomeada como giro fusiforme. Alguns estudos falam que uma em cada cinquenta pessoas pode ter alguma alteração desse tipo, o que não está associado à perda de memória, demência ou cegueira visual - a que todos conhecem.

É uma condição congênita, ou seja, que aparece desde o nascimento, mas também pode ser fruto de acidente vascular cerebral, traumas mecânicos e outros mecanismos de lesões na região relacionada. O diagnóstico não é tão simples e também não há um tratamento específico. Podemos encontrar vários comportamentos que o paciente adota para manejar essas dificuldades e também é importante para ele iniciar rotinas que irão melhorar o manejo das dificuldades diárias.

Brad afirma que a dificuldade fez com que ele se tornasse mais recluso e optasse por ficar mais em casa. Ele é grato quando as pessoas o auxiliam. Muitas pessoas não acreditam e ele deixa bem claro que deseja conhecer as pessoas. Essa inabilidade pode causar ansiedade e também transtornos depressivos, o que deve ser manejado para não impulsionar outros danos.

Ao ler sobre o assunto me lembrei que as pessoas com déficit visual são injustiçadas por não enxergar bem as pessoas ou não reconhecerem.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade