Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas PADECENDO

Música 'Masculinidade' trouxe à tona um debate necessário para os homens

A dor de um homem que é vítima do machismo nunca será maior que a dor da mulher vítima do mesmo sistema


28/11/2021 04:00 - atualizado 28/11/2021 12:08



Tiago Iorc
Tiago Iorc (foto: Divulgação)

A música “Masculinidade”, do Tiago Iorc, trouxe à tona um debate necessário para os homens, mas que já é feito por nós, mulheres, há muito tempo. O debate sobre a masculinidade tóxica.


“Meu pai foi minha referência de homem forte
Trabalhador, generoso, decidido
Mas ele sempre teve dificuldade de falar
O pai do meu pai também não soube se expressar”


Esse silêncio, essa dificuldade de se expressar me remete ao tratamento de silêncio. A recusa em ouvir ou conversar com o parceiro ou o filho após uma briga. O tratamento de silêncio é uma forma de abuso emocional. Uma forma de punição que não resolve o problema, e ainda causa sofrimento em quem o recebe. A autoestima fica destruída. A gente perde a confiança. Perde a força. Se sente incapaz.

Às vezes essa falta do homem saber se expressar é conveniente. Covardia é narcisista que foi aprendida, que vai passando de uma geração para a outra. Mas que pode ter fim. Tudo que se aprende, pode-se desaprender. Ter consciência e assumir o erro é o primeiro passo.

Dificuldade de se expressar é consequência da cultura machista e não deveria ser usada como justificativa para o tratamento de silêncio. Não sabe falar? Não aprendeu a expressar seus sentimentos quando eles são relativos à dor, tristeza, decepção? Não sabe expressar afeto, medo? Mas aprendeu a expressar a raiva, a legitimar a violência, mesmo quando é uma violência silenciosa. Quem alimenta esse sistema que é violento com as mulheres são os homens.

É fácil se colocar de vítima do machismo quando você sustenta esse sistema. Onde está sua autorresponsabilidade? É dificuldade de falar, ou é não falar buscando a submissão do outro? Essa herança de uma educação silenciosa e autoritária precisa ser perpetuada ou pode acabar em você? Se te fez mal, você deseja mesmo passar isso para outras pessoas?


“Cuidado com o excesso de orgulho
Cuidado com o complexo de 
superioridade, mas
Cuidado com desculpa pra tudo
Cuidado com viver na eterna
infantilidade”


O que é, de fato, a masculinidade? Os homens se interessam por essas pautas, ou elas vão continuar sendo de interesse apenas das mulheres? A dor de um homem que é vítima do machismo nunca será maior que a dor da mulher vítima do mesmo sistema. A masculinidade tóxica é ruim para os homens, mas é bem pior para as mulheres.


“Eu tive medo do meu feminino
Eu me tornei um homem reprimido
Meio sem alma, meio adormecido
Um ato fálico, autodestrutivo”


O discurso do Tiago é sedutor para as mulheres. As dores do homem privilegiado. O homem branco, cis, hétero, rico. O sujeito que é a última bala chita do pacote se colocando como vítima do machismo. Apesar de ser vítima, ele também se beneficia.

Foi preciso que esse homem, lá do alto, do topo da pirâmide, falasse sobre masculinidade para que houvesse repercussão. Repercutiu nos homens, ou só aqui, entre as mulheres que sempre falam sobre isso sem serem ouvidas?
Nós esperamos uma mudança de postura real. Esperamos ser ouvidas. Esperamos sair da invisibilidade. Homens, vocês estão ouvindo?


“Ah!
Ser homem exige muito mais 
do que coragem
Muito mais do que masculinidade
Ser homem exige escolha, meu irmão
E aí?"

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade