Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Natal com boa notícia na receita de impostos e frustração na Previdência

Arrecadação de tributos federais bateu recorde em novembro, com R$ 157,34 bilhões, enquanto contribuições previdenciárias perderam 6,42% frente a 2020


22/12/2021 04:00 - atualizado 22/12/2021 07:17

Iluminação do palácio da Liberdade este ano
Iluminação do Palácio da Liberdade este ano (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )

Primeiro a má notícia. A arrecadação da Previdência Social, que reflete o emprego formal, caiu 6,42%, descontada a inflação pelo IPCA em novembro, na comparação com o mesmo mês de 2020. Influenciada pela desaceleração das vendas e do setor de serviços, a arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) caiu 11,10%, também descontada a inflação.

Já que estamos perto do Natal, melhor dar logo a boa notícia. Impulsionada pela recuperação da economia e por receitas extras de impostos ligados ao lucro das empresas, a arrecadação federal bateu recorde para meses de novembro.

De acordo com os dados divulgados ontem pela Receita Federal, o que garante credibilidade, o governo federal arrecadou R$ 157,34 bilhões no mês passado, com aumento de 1,41% acima da inflação em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Agora, um susto para deixar os brasileiros um pouco mais otimistas. O valor é o maior da história para meses de novembro desde o início da série histórica da Receita Federal, em 1995, em valores corrigidos pela inflação.

De janeiro a novembro, a arrecadação federal soma R$ 1,685 trilhão, com alta de 18,13% acima da inflação pelo IPCA, também recorde para o período. A arrecadação superou as previsões das instituições financeiras.

Como nem tudo são flores na política e, em especial, na economia, a arrecadação da Previdência Social, que reflete o emprego formal, teve queda real. Então, chega disso.

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), alegou que transcorreram apenas 7 dias entre a filiação do presidente Jair Messias Bolsonaro e a comunicação ao parlamentar de que sua permanência na legenda causaria constrangimento insustentável.

“Não é possível negar a magnitude dos impactos políticos que advêm do ingresso do presidente da República em uma legenda, especialmente para os filiados que assumam publicamente posição contrária.”

E ressaltou ainda o ministro da mais alta corte de Justiça do país: “Esta é a situação do requerente, que possui atuação notoriamente contrária ao governo federal e tem sido, por isso, alvo de ataques do grupo que passará a ter forte influência nos rumos da legenda”.

E Barroso permitiu que Marcelo Ramos pudesse deixar o Partido Liberal (PL) sem a perda do mandato. Detalhe: ele é o vice-presidente da Câmara dos Deputados.

Pare o jogo!

O técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, disse que está com dificuldade de encontrar a melhor formação com os jogadores que tem disponíveis para enfrentar o Athletic Bilbao no campo do rival, na próxima quarta-feira, em meio a um surto do novo coronavírus da COVID-19. Jogadores como Luka Modric, Marco Asensio, Gareth Bale e Andriy Lunin tiveram exames positivos do vírus na semana passada, e Isco foi o caso mais recente a ser confirmado pelo clube. Dois brasileiros estão na área da COVID-19, Rodrygo e Marcelo foram infectados. E, desta vez, não é bola fora.

Burrice carioca

O Comitê Especial de Enfrentamento à COVID-19, que assessora a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro, deliberou por não impor restrições à realização do carnaval na cidade. Em 2022, o evento será de 26 de fevereiro a 1º de março, uma terça-feira. Quanto à vacinação em crianças, os técnicos demonstraram apoio à medida, salientando que ela se baseia em evidências disponíveis até o momento. As duas recomendações foram tomadas em reunião e divulgadas ontem. Ah!

Até navios?

O orçamento para o setor de turismo no Brasil em 2022 deverá ficar aquém do necessário para apoiar políticas públicas importantes de retomada do setor diante dos impactos causados pela pandemia. A avaliação é do ministro da pasta, Gilson Machado Neto, que fez balanço do ano e discutiu perspectivas para 2022 em evento com jornalistas. E é o ministro quem informa, otimista: “No Rio de Janeiro, hotéis estão todos ocupados. A gente vê o setor de cruzeiros voltando. Companhias aéreas voltando com grande força”.

A bolsonarista


“Não tenho partido. Não sou política. Não sei ainda qual partido vou acolher, mas sei que serei uma pessoa independente. Estou dizendo que vou ter uma candidatura independente. Qual vai ser o partido? O mais ético que encontrar, o mais correto que encontrar.” Quem diz é a médica Nise Yamaguchi, indiciada pela CPI da COVID-19 por defender o tratamento precoce. A médica negou durante o depoimento à comissão ter feito parte de “gabinete paralelo”. Ela terminou dizendo que “se Deus não permitir que eu seja senadora, continuarei meu trabalho de formiguinha”.

A preocupação

A Casa Branca anunciou ontem novas medidas que o país vai adotar para combater a variante Ômicron da COVID-19 . O presidente dos Estados Unidos da América (EUA), o democrata Joe Biden, alertou os norte-americanos não vacinados de que eles estão colocando a si mesmos e seus entes queridos em risco. “Se você não está vacinado como convém, tem um bom motivo para se preocupar.” Desde que Biden assumiu, 73% dos adultos americanos já estão completamente imunizados e o país está aplicando em média 1 milhão de doses de reforço por dia.

Pingafogo

. Em tempo sobre a nota A preocupação: os Estados Unidos da América (EUA) também seguem como o país mais afetado do mundo, com mais de 51 milhões de infectados e 807 mil mortos por COVID-19 desde o início da pandemia.

. O Projeto de Lei 1.550/19 obriga bares, lanchonetes e restaurantes com 90 lugares 
ou mais a oferecerem cardápios em braile. Já aprovada no Senado, a proposta tramita na Câmara dos Deputados.

. O texto, de autoria do senador licenciado Confúcio Moura (RO), também obriga a inclusão de códigos de barra ou QRcodes para permitir a conversão do cardápio em áudio via celular. Apenas os restaurantes self-service estão excluídos dessas exigências.

. “Caro amigo Baptista, desejo a você e sua família um Natal feliz e repleto de bons sentimentos. E que 2021 seja um ano mais leve, com fé, amor, esperança e muita saúde! Um forte abraço.” A coluna retribui o abraço ao Danilo de Castro.

. Sendo assim, com toda gentileza, é chegada a hora de encerrar com esta boa companhia. FIM!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade