Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Presidente Bolsonaro diz que chora escondido de Michelle no banheiro

Chefe do Executivo federal faz revelação em evento com evangélicos, ao comentar desafios de comandar o país


16/10/2021 04:00 - atualizado 16/10/2021 07:22

Presidente Jair Bolsonaro com máscara de proteção
Bolsonaro: ''Michelle acha que eu sou o machão dos machões'' (foto: EVARISTO SÁ/AFP)
 
Chegou o momento de você se erguer, de brilhar e de vencer! Do dia 12 a 16 de outubro, você será equipado, fortalecido para proclamar o reinado de Jesus neste tempo. Prepare-se para a Conferência Global 2021. Serão cinco dias de programação on-line e também presencial no CN Hípica Hall, em Brasília (DF), com conteúdo dos líderes mais influentes desta geração.

Feito esse registro, o fato são as declarações do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, dadas na noite de quinta-feira durante a Conferência Global 2021, que é um evento organizado pela igreja Comunidade das Nações. O chefe do Executivo falava sobre os desafios de estar na cadeira presidencial. Vamos a elas.

''Cada vez mais nós sabemos o que devemos fazer. Para onde devemos direcionar as nossas forças. Quantas vezes eu choro no banheiro em casa? Minha esposa, Michelle Bolsonaro, nunca viu. Ela acha que eu sou o machão dos machões. Em parte, acho que ela tem razão até.''

Brincadeiras à parte, vamos ao que interessa de fato. Basta um pequeno resumo: ''Os três poderes são independentes e harmônicos. O Legislativo é importante para fiscalizar o Executivo. O Judiciário da mesma maneira, para dirimir os conflitos. Mas o Executivo é que tem de estar na frente para tomar as decisões''.

Estava até indo bem, mas reclamou: ''A gente não pode o tempo todo ser tolhido, impedido, por qualquer coisa, de prosseguir na nossa missão''. Quem saiu em sua defesa foi o seu aliado e presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Ele enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) mensagem manifestando que o impeachment de um presidente da República é uma ''solução extrema'' e que o ''primeiro juiz de autoridades eleitas numa democracia deve ser sempre o voto popular''.

Na manifestação enviada ao STF, Lira acrescentou: ''Não há que se falar em prazo determinado em sede constitucional para que denúncia por crime de responsabilidade imputada ao presidente da República seja examinada pela presidência da Câmara dos Deputados''. Ou seja, sentou em cima.

Já que é assim, o melhor a fazer é acelerar com a próxima notícia. A temporada do ano que vem de Fórmula 1 terá 23 corridas, uma a mais que o total de provas deste ano. O Grande Prêmio (GP) do Bahrein abre o campeonato mundial em 20 de março, e o GP do Abu Dhabi será o último, em 20 de novembro.

Vale mesmo …

… acelerar o Grand Prix de Automobilismo do ano que vem. E fala quem sabe: “A principal novidade será a estreia da etapa de Miami, em 8 de maio”. Melhor quem conhece os detalhes: “Estamos entusiasmados em anunciar o calendário de 2022 enquanto nos preparamos para entrar em uma nova era para o esporte, com novos regulamentos e carros para o próximo ano que são projetados para criar corridas mais disputadas”, ressaltou Stefano Domenicali, o presidente e diretor-executivo da F1.

O laboratório

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse, ontem, que é preciso capacitar os professores para o mundo pós-pandemia da COVID-19. Ele disse ainda que a iniciativa contempla o trabalho com os professores para experimentar novos equipamentos, plataformas digitais e metodologias inovadoras. Entre os equipamentos previstos estão projetores multimídia, notebooks, impressora a laser e por aí vai.

Fala quem sabe

“Consummatum est.” Gastando o latim, vale o registro do ex-governador Alberto Pinto Coelho. Ele destaca a vanguarda do processo interativo e enriquecedor da fiscalização e correição de rumos no curso da execução orçamentária, o que dificilmente acontece com os órgãos de controle. Daí a necessidade de aprimorar as políticas públicas. O ex-governador se referia à nota Gestão, publicada na coluna, que agradece o “fraterno abraço”.

Será atentado?

O motivo para o ataque ainda não está claro, mas há uma investigação em andamento, liderada por agentes de contraterrorismo do país, a fim de determinar se houve um ataque terrorista. O fato é que o parlamentar britânico David Amess, de 69 anos, morreu depois de ter sido esfaqueado durante um ato com eleitores, ontem, no Sudeste da Inglaterra. Amess recebia eleitores em uma igreja em seu distrito eleitoral. Amess era representante do Partido Conservador, a mesma legenda do primeiro-ministro Boris Johnson. O ataque aconteceu por volta do meio-dia, no horário local.

Cuide da criança

Caso a proposta do Dr. Mário Heringer (PDT-MG) seja aprovada, automaticamente, a subtração de menor em caso de guarda compartilhada poderá ser investigada de forma criminal, uma vez tipificada penalmente. A criança será resguardada. Tudo partiu do caso da enfermeira Marina Pedroso, que foi privada bruscamente de contato com sua filha, de 8 anos. Ela divide a guarda da criança com o pai, mas, há quase três meses, não tem sequer notícias da criança. Para resolver esse equívoco jurídico, o deputado federal Mário Heringer apresentou o Projeto de Lei 3.535/2021.

PINGA FOGO

  • Em tempo, sobre a nota Cuide da criança: o presente projeto de lei pretende sanar a lacuna existente no Código Penal relativamente aos casos de subtração de menor por genitor que detém a guarda compartilhada. É registro ainda do deputado pedetista Mário Heringer.
  • Mais um Em tempo, ainda vindo da Inglaterra para detalhar. A polícia de Essex prendeu um homem de 25 anos, apontado como único suspeito pelo crime até o momento. Uma faca foi apreendida com ele. David Amess atendia presencialmente eleitores na Igreja Metodista de Belfairs.
  • O senador Alessandro Vieira (Cidadania) protocolou, ontem, na CPI da COVID-19, relatório de sua autoria sobre a apuração de erros e omissões do governo Jair Bolsonaro no combate à pandemia. Ele cita eventuais desvios ou fraudes no emprego de verbas federais e pelos estados e municípios.
  • No texto apresentado pelo senador do partido Cidadania, Bolsonaro seria indiciado por sete crimes. O relatório poderá ser aproveitado pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB), que vai apresentar o seu texto final na semana que vem. Mas Alessandro Vieira fez o seu comercial.
  • Sendo assim, chega a hora de encerrar de uma vez. O fim de semana chegou, será que vai trazer sobressaltos políticos? FIM!
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade