Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

A semana começa cheia de bolas fora com o anúncio da Copa América no Brasil

Senadores da CPI reagem ao torneio no país e querem convocar o presidente da CBF para dar explicações


01/06/2021 04:00 - atualizado 01/06/2021 07:05

Senador Randolfe Rodrigues reagiu com indignação ao anúncio da realização da Copa América no Brasil(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Senador Randolfe Rodrigues reagiu com indignação ao anúncio da realização da Copa América no Brasil (foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
 
 
Os atos aconteceram em pelo menos 180 municípios, de 24 estados além do Distrito Federal. O que ele mostraram é que há uma ampla diversidade geográfica na parcela da população que se opõe ao ainda presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro.

Os analistas de plantão não perderam tempo para dar o resumo: o impeachment está de volta à mesa e a fatura do Centrão aumenta. Quanto mais isso acontece, mais caro fica. E não demorou para chamar a atenção dos jornais mundo afora.

Alguns registros deixam claro. The Guardian, The Economist, até a Al Jazeera. E ainda o Le Monde, o NY Post, La Nación e até na Índia, no Indian Times. E claro que tudo isso fez deslanchar o desgaste da imagem internacional do político brasileiro, tratado como de “extrema direita”.

No Congresso, ontem, também houve pesados ataques, só que envolvendo o que não deveria, já que futebol e política não se discute. Só que ela veio de nada menos diante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19, a que cuida sobre o coronavírus.

Sobrou para a CBF. Os senadores pretendem cobrar explicações do presidente Rogério Caboclo. Ele comanda a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que aceitou o evento, após recusa da Argentina.

“Enquanto o povo cobra movimentos do governo no caminho da vacinação, Bolsonaro dá mais uma demonstração de descaso e insanidade confirmando a Copa América no Brasil”. Quem diz é o senador Humberto Costa (PT-PE), integrante da CPI.

O Brasil receberá a Conmebol @CopaAmerica 2021! O melhor futebol do mundo levará alegria e paixão a milhões de sul-americanos. A Conmebol agradece ao presidente @jairbolsonaro e sua equipe, assim como à Confederação Brasileira de Futebol @CBF-Futebol, por abrir as portas do país ao que hoje em dia é o evento esportivo mais seguro do mundo. A América do Sul brilhará no Brasil com todas suas estrelas!

Melhor o próprio relator da CPI da COVID-19, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) deixar claro, que foi direto ao ponto em suas redes sociais: “Com mais de 462 mil mortes sediar a Copa América é um campeonato da morte. Sindicato de negacionistas: governo, Conmebol e CBF. As ofertas de vacinas mofaram em gavetas mas o OK para o torneio foi ágil. Escárnio”.

Com este resumo do parlamentar alagoano, o jeito é esperar pela Copa do Mundo, porque tem muitas bolas quadradas na política nacional aqui mesmo no país.

Fim da novela

“É motivo de muita honra ser convidado para entrar num partido em que, talvez, eu devesse ter me filiado lá atrás. Me sinto um dos fundadores, participei da escolha do nome. Minha vinda para esse partido é para somar. Quero fazer um convite para que a gente forme o maior partido do Brasil a partir das eleições de 2022”, disse o filho senador Flávio Bolsonaro. Acrescentou que “agora, com Bolsonaro na Presidência da República, não tenho dúvida que a gente pode construir partido maior ainda que o PSL”. Ou seja, o presidente Jair Messias Bolsonaro, vai finalmente se filiar ao Patriota.

A cegueira

“As cenas de truculência e brutalidade da ação policial em Recife causam imensa preocupação com o despreparo das forças para lidar com manifestações de grande porte, que tendem a se tornar frequentes em 2022. Dois homens que sequer manifestavam perderam um olho. Até quando?” Desta vez, em suas redes sociais, quem indaga é o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Foi diante do uso de balas de borracha, spray de pimenta e bombas de efeito moral que atingiram os manifestantes de forma pacífica em ato contra Bolsonaro, sábado, em Recife.

Crime cibernético

A nova lei prevê até oito anos de prisão para delitos cometidos por meio de dispositivo eletrônico ou informático. O ex-deputado federal Eduardo Azeredo comemora a decisão. Ele foi relator e defensor do primeiro projeto de combate aos crimes cibernéticos no Senado Federal e na Câmara dos Deputados. Por que tudo isso? É que o presidente Jair Messias Bolsonaro sancionou um outro projeto atualizando e agravando a pena. “Estou satisfeito em ver as sementes do nosso trabalho, germinando e prosperando”, comemora o ex-deputado, senador e governador de Minas.

Pós-pandemia

A retomada do turismo só vai dar certo depois da vacinação em massa da população, exigindo a adoção de novos protocolos de segurança em todo o setor e a redefinição da imagem do Brasil em relação ao mercado externo, visto que o país não atrai nem 1% do fluxo mundial de turistas. Foi esta a avaliação dos especialistas em mais uma rodada do ciclo de debates sobre a retomada do turismo no pós-pandemia. Foi na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, presidida por Fernando Collor de Mello  (Pros-AL), autor da iniciativa.

Está otimista

“A economia brasileira está de novo em uma rota surpreendente. Está dando indicações de que pode crescer bem acima dos 3,4% este ano. As revisões do mercado para crescimento estão acima de 4% e há quem preveja 5%”. É ainda do Fórum de Investimentos Brasil 2021, só que o registro, desta vez, vem de quem entende. Partiu do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Estamos preparando o ambiente de negócios para retomarmos o caminho da prosperidade”, ainda ressaltou. É praia dele, já que é da Escola de Chicago, que dispensa maiores apresentações.

PINGA FOGO

  • E como tudo na política nacional tem um detalhe sobre o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele se graduou economista aqui Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). E chegou a ser banqueiro, já que foi um dos fundadores do Banco Pactual.

  • E tem mais do senador Fernando Collor, que considera ainda que a recuperação da atividade turística avançará paralelamente ao recuo da pandemia, e, “para isso, só havendo vacina no braço, comida no prato e carteira assinada”. Faz todo sentido né do ex-presidente?

  • Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que os protestos tiveram “pouca gente” porque “faltou maconha”. “Vocês sabem por que teve pouca gente nessa manifestação da esquerda no fim de semana?

  • Porque a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão apreendendo muita maconha pelo Brasil. Faltou erva e dinheiro para o movimento aí”, disse o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro.

  • Sendo assim, não há alternativa. O jeito é encerrar por hoje. Será que as multidões inteiras em vários estados estavam eram se drogando? Deixa para lá, né?
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade