Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

A economia versus a política nacional nas contas de Bolsonaro e Guedes

"Se Deus quiser, teremos dias melhores à frente e vamos celebrar o fim dessa doença, mas o auxílio emergencial é uma arma". Trecho de reza de Paulo Guedes


28/05/2021 04:00 - atualizado 28/05/2021 07:18

O ministro da Economia, Paulo Guedes, aposta no avanço da imunização, mas admite prorrogar ajuda emergencial(foto: Credito Reproducao da Internet - 31/3/20)
O ministro da Economia, Paulo Guedes, aposta no avanço da imunização, mas admite prorrogar ajuda emergencial (foto: Credito Reproducao da Internet - 31/3/20)
 
 
“É a maior taxa e o maior contingente de desocupados de todos os trimestres da série histórica, iniciada em 2012.” O desemprego no Brasil atingiu a taxa recorde de 14,7% no 1º trimestre de 2021 e bateu um novo recorde, chegando a 14,8 milhões de pessoas.

Está explicado por que o @jairmessias.bolsonaro ter publicado no Twitter: “Apesar de todas as dificuldades causadas por medidas restritivas radicais, irracionais e irresponsáveis, nossos esforços para, além de combater o vírus, garantir a dignidade dos brasileiros que precisam trabalhar, hoje se traduzem em quase 1 milhão de empregos gerados em 2021”.

A calculadora presidencial pelo jeito está sem pilha. Ocupação de empregados do setor privado e público sem carteira caiu e somente a categoria dos trabalhadores por conta própria cresceu. Informalidade fica estável (39,6%), com 34 milhões de pessoas. Contingente de pessoas subutilizadas chegou a 33,2 milhões e atinge recorde da série. Tudo isso está na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, mais conhecida como a PNAD Contínua do IBGE, divulgada ontem.

“Sabemos que não há muito o que comemorar, mas é preciso restabelecer a verdade do que foi e está sendo feito na prática, para que o pânico e o caos promovido pelos que desejam retomar o poder e suas práticas nefastas não triunfem. Brasil acima de tudo; Deus acima de todos!” Nem precisa dizer de onde veio.

Quem sabe rezando? A resposta vem do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele tratou da prorrogação do auxílio emergencial da COVID-19, aquele que será pago, pelo menos, até julho. E ele demonstrou estar otimista: “Se Deus quiser, teremos dias melhores à frente e vamos celebrar o fim dessa doença, mas o auxílio emergencial é uma arma que nós temos e pode, sim, ser renovado”.

E Guedes continuou: “A expectativa é que está avançando a imunização, mas vamos observar. O auxílio é uma ferramenta para uma camada de proteção e, sim, que tem que ser renovado”. Quem anda pessimista, ao contrário do ministro, é a agência de classificação de risco Fitch.

Ela manteve negativa a perspectiva da nota da dívida pública brasileira, mas deixou um sopro de esperança: o comunicado citou as elevadas reservas internacionais do país, a taxa de câmbio flexível e a renda per capita maior que a de outros países com economias semelhantes.

A última vez em que a Fitch tinha rebaixado a nota brasileira tinha sido em fevereiro de 2018, quando a classificação do país foi reduzida para três níveis abaixo do grau de investimento. Sendo assim, já basta por hoje.

Aviso teve

Dimas Covas, que é diretor do Instituto Butantan, disse que a politização da vacina, pelo governo federal, atrasou a imunização de milhões de brasileiros e é uma das causas para que o Brasil seja o segundo país com mais mortes pela COVID-19. Ele deixou claro e objetivo que o acordo do instituto com o Ministério da Saúde, em outubro, incorporaria na ocasião 46 milhões de doses de vacinas ao Plano Nacional de Imunização. Mas a interferência do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, vetou o acordo. Deu no que deu, né?

Parque linear

O deputado João Leite (PSDB) entregou, ontem, ao procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares, proposta de criação de um parque linear aberto ao público para práticas esportivas, manifestações culturais e ligação ao Parque Inhotim, usando um veículo leve sobre trilhos. De acordo com ele, a proposta sugere que o parque seja construído na Estação Cercadinho, onde está previsto um gigantesco projeto de edificação. “Queremos a proteção do aquífero, da flora e do solo, o projeto tem um investidor privado e não vai gerar qualquer custo aos cofres públicos”, diz João Leite. Ele foi acompanhado de lideranças que defendem a preservação dos mananciais do Cercadinho.

Vá em paz!

O arquiteto Jaime Lerner recebeu o prêmio Criança e Paz do Unicef, para os programas Da rua para a escola, Protegendo a vida e Universidade do professor. O prêmio foi instituído em 1986 e é atribuído anualmente a personalidades e instituições que se destacam na defesa dos direitos da criança e dos adolescentes. O ex-governador do Paraná morreu ontem, aos 83 anos. Ele dizia com entusiasmo e sabedoria: “Quem cria, nasce todo dia”, lembrou o atual prefeito, Rafael Greca. A Prefeitura de Curitiba decretou luto oficial de três dias.

Enigmático

O presidente Jair Bolsonaro almoçou ontem com integrantes das Forças Armadas em São Gabriel da Cachoeira (AM). E foi lá que ele deu esta declaração: “Tenho conversado muito com Braga Netto, nosso ministro da Defesa. Mais do que obrigação e dever, tenho certeza de que vocês agirão dentro das quatro linhas da Constituição, se necessário for. Ninguém pode acusar o atual presidente da República de ser uma pessoa que não seja democrática; que não respeita as leis; e que não age a contento da Constituição.” Eu hein! Que fala é essa?

Partido Brasil

“A regra tem que ser aplicada para evitar que a anarquia se instaure dentro das Forças, porque assim como tem gente que é simpática ao governo, tem gente que não é. Então, cada um tem que permanecer dentro da linha que as Forças Armadas têm que adotar. As Forças Armadas são apartidárias. Elas não têm partido. O partido das Forças Armadas é o Brasil.” Quem diz ao UOL é o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão. Sensato ele.

PINGA FOGO

  • O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados ouviu, ontem, duas testemunhas do ainda deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), aquele que publicou vídeo nas redes sociais com ataques e ofensas contra os integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF).

  • O detalhe é que, das oito testemunhas arroladas, seis não puderam comparecer. Sintomático né? “Uma delas não quis se pronunciar sobre os fatos, a outra fez colocações sobre democracia, pandemia”, resumiu a relatora do caso, a deputada Professora Rosa Neide (PT-MT).

  • Em tempo da nota Vá em paz!: o principal legado foi a adoção do sistema de transporte BRT, que instalou canaletas exclusivas para ônibus e terminais integrados pela cidade, em 1974. Nos anos seguintes, o exemplo curitibano foi replicado em várias cidades do mundo, inclusive em BH.

  • Mais um Em tempo: “Vocês é que decidem, em qualquer país do mundo, como aquele povo vai viver. Ninguém está aqui para fazer discurso político, mas somos seres políticos. Se Deus deu essa missão para nós, vamos aproveitá-la no bom sentido”. É mais do presidente Bolsonaro.

  • Que semana é esta? Haja confusão. Ainda bem que hoje é sexta-feira. O que mais tem de acontecer? Resposta rápida: não dá para prever. FIM!
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade