Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Confusão em Paris e o Brasil na eleição da segurança com as urnas

Quanto à urna eletrônica, Jatahy Júnior fez questão de deixar claro e objetivo que ela é 'um orgulho do Brasil. Nosso sistema eleitoral é seguro e já comprovou isso'...


29/11/2020 06:00 - atualizado 29/11/2020 09:27

Equipamentos de votação são checados antes e passam por auditoria depois de finalizada a votação, que hoje ocorre em segundo turno(foto: Cláudia Ramos / CCS/ TRE-MG - 21/9/16)
Equipamentos de votação são checados antes e passam por auditoria depois de finalizada a votação, que hoje ocorre em segundo turno (foto: Cláudia Ramos / CCS/ TRE-MG - 21/9/16)

“Tivemos uma grande participação dos eleitores. A abstenção foi muito menor do que a projetada ante a adversidade do momento. Não ocorreram grandes transtornos no dia da votação, e o resultado final da apuração foi divulgado ainda no próprio dia 15 de novembro, reafirmando a segurança e a celeridade dos processos de votação e apuração das eleições brasileiras”. O registro do passado é do presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais (Coptrel), desembargador Jatahy Júnior.

 

Já para a eleição de hoje ele destaca que “teremos eleições sem grandes filas, com obediência ao protocolo de segurança instituído pela Justiça Eleitoral desde o primeiro turno, e que o resultado deverá ser julgado logo nas primeiras horas do início da noite, pouco tempo depois do encerramento da tomada dos votos”.

 

Quanto à urna eletrônica, Jatahy Júnior fez questão de deixar claro e objetivo que ela é “um orgulho do Brasil. Nosso sistema eleitoral é seguro e já comprovou isso ao longo desses 24 anos de utilização. A apuração da eleição é feita no momento da impressão do boletim de urna, nas seções eleitorais, logo após a votação, de forma off–line. A auditoria está à disposição de todos os brasileiros”.

 

Já que é assim, vale mais um registro. Acontece hoje o segundo turno das eleições municipais em 18 capitais e em 39 municípios com mais de 200 mil eleitores. Em números, serão 38,2 milhões de pessoas aptas a votar. Elas representam 26% do eleitorado nacional. Detalhe: a Justiça Eleitoral recomendou que as pessoas com diagnóstico ou sintomas da COVID–19 nos últimos 14 dias não compareçam para votar.

 

Manifestantes mascarados dispararam fogos de artifício onde os policiais estavam posicionados, ergueram barricadas e atiraram pedras. A maioria dos milhares de manifestantes marchou pacificamente, mas vários pequenos grupos entraram em confronto com a polícia.

 

Calma, gente! Nenhuma confusão teve na véspera do segundo turno nas eleições do Brasil. Foi em Paris, onde manifestantes mascarados dispararam fogos de artifício e atiraram pedras em direção aos policiais que estavam devidamente posicionados. Eles também ergueram barricadas para se proteger dos policiais. É ainda na França, viu?

 

De volta ao Brasil, está previsto que o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), estará hoje no Rio de Janeiro. Como lá teve segundo turno, ele deve comparecer para votar. O comandante do país deve sufragar, como na primeira etapa, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). Sendo assim, melhor esperar o resultado das urnas. Será que o presidente leva?

 

No Roda Viva

Prefeito reeleito de Belo Horizonte e com pesquisas mostrando que adotou medidas contra o coronavírus mais bem avaliadas do que as do governador Romeu Zema (Novo) e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Alexandre Kalil (PSD) é o convidado do programa Roda Viva de amanhã. Apresentado pela jornalista Vera Magalhães, o programa vai ao ar, ao vivo, a partir das 22h, na TV Cultura, no site da emissora e também nas redes sociais. A jornalista Márcia Maria Cruz, do Estado de Minas, participará da sabatina do prefeito da capital no programa. Como Kalil não costuma ter papas na língua, vale assistir à entrevista amanhã e ver sua performance no cenário nacional.

 

(foto: Mauro Pimentel/AFP - 6/11/19)
(foto: Mauro Pimentel/AFP - 6/11/19)
 

Teletrabalho

A espera acabou! Após 50 anos de expectativa o @tarcisiogdf, leia–se o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas (foto), entregou, na sexta-feira, 50,8 km de pista pavimentada na BR-154/MG. A rodovia localizada no Triângulo Mineiro, que liga diretamente a BR-365/MG e a BR-364/MG, faz a ligação do Centro-Oeste com o Sudeste do Brasil. Horas depois, no entanto… Tarcísio Freitas testou positivo para a COVID–19, na sexta-feira. De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, ele está assintomático e seguirá normalmente com as suas funções, só que por meio de teletrabalho.

 

Salve, Jorge!

Recebemos consternados a notícia do falecimento do companheiro de longa data Jorge Espeschit. Esse mineiro de Belo Horizonte sempre partilhou dos valores mais caros ao antigo PCB – o humanismo, a igualdade, a liberdade, o respeito ao próximo, ajudando a transformar o partido no PPS, a partir das mudanças históricas vividas pela esquerda, e depois no Cidadania. Aos familiares desse grande ser humano, os nossos mais sinceros sentimentos. Que a vida dedicada às luzes lhes sirva de conforto nesse momento de partida. Salve, Jorge! Roberto Freire, presidente Nacional do Cidadania.

 

Voto a voto

Quem vai decidir é Miguel Arraes. Primeiro a dama, como convém: Marília Arraes é neta. Já João Campos é bisneto. Marília é petista. João Campos é socialista, leia-se do PSB. Pesquisa Datafolha divulgada na noite de quinta-feira, no Recife mostrou empate técnico entre os dois candidatos à prefeitura. Em disputa acirrada, Marília Arraes (PT) aparecia com 52% dos votos válidos. Seu primo João Campos (PSB), 48%. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, estavam tecnicamente empatados. Ou seja, melhor aguardar o resultado que vale de fato. O das urnas, óbvio.

 

Teve queda

Não foi na Bolsa de Valores, melhor deixar claro, mesmo com ela devidamente fechada neste sábado. O fato que interessa é o do comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, ter sofrido uma queda ao cavalgar e fraturar o fêmur. Ele está internado no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, e terá de se submeter a uma cirurgia corretiva. O comandante Pujol sofreu a queda enquanto praticava equitação no Regimento Dragões da Independência. Para lembrar, é aquele militar que ressaltou que o Exército não tem partido político uns dias atrás.

 

PINGA FOGO

 

Mais da nota oficial do Exército: o comandante Edson Leal Pujol está bem e passa por exames que são “necessários à redução da fratura”. Ressaltou que o procedimento cirúrgico é “normalmente adotado em casos dessa natureza”.

 

(foto: Fabio Frusaci/AFP/Pool)
(foto: Fabio Frusaci/AFP/Pool)

 

Dom Wilton Gregory novo cardeal: “minha relação com o rebanho é prioritária”. Ele é o primeiro cardeal americano negro que foi arcebispo de Washington. O fato é que Francisco (foto), o papa, quer refletir a diversidade da Igreja no Colégio dos Cardeais.

 

Já hoje: será o último dia da propaganda eleitoral gratuita do segundo turno no rádio e na televisão e para a divulgação paga, na imprensa escrita, de material de campanha. E por fim... Amanhã: é o último dia para debates no rádio e na televisão. E eles não podem ultrapassar a meia-noite.

 

Hein! Que baboseira é esta? A coluna errou: a propaganda eleitoral terminou, de fato, na sexta-feira. Assim como o último dia para a realização de debates no rádio e na TV. E não poderia passar da meia-noite.

 

Sendo assim, o melhor a fazer é encerrar por hoje. Bom domingo a todos. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade