Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Coluna

O voto espacial na eleição americana e o ambiente hostil no Brasil

A astronauta Kate Rubins foi a única que usou uma urna na Estação Espacial Internacional e votou perto da Terra. Pertinho, pouco mais de 408 quilômetros


25/10/2020 04:00 - atualizado 25/10/2020 07:15

(foto: YouTube/Reprodução)
(foto: YouTube/Reprodução)

Mais uma vez, em um dia com a agenda presidencial registrando que Jair Messias Bolsonaro (sem partido) não tinha compromissos oficiais, quem partiu para o ataque foi o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, aquele que, na prática, inverteu as bolas e, ao contrário do que deveria defender, se tornou o principal agente no país do desmonte de toda a política ambiental

Só que, desta vez, o tiro saiu pela culatra. Com bençãos ou não do presidente Bolsonaro, que se esconde deste assunto diante da postura do vice-presidente general Hamilton Mourão (PRTB), um defensor da Amazônia, Ricardo Salles apanhou muito de gente graúda.

“O ministro Ricardo Salles, não satisfeito em destruir o meio ambiente do Brasil, agora resolveu destruir o próprio governo”, destacou o @RodrigoMaia. Foi até econômico, mas outros registros colocam Salles como alvo de uma verdadeira artilharia política.

“Sem entrar no mérito da questão, faço duas ressalvas.1 – Como chefe do Legislativo, registro a importância do @MinLuizRamos na relação institucional com o Congresso. 2 – Não é saudável que um ministro ofenda publicamente outro ministro. Isto só apequena o governo e faz mal ao Brasil.” Desta vez, foi o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM–AP).

Tudo isso foi por causa de outro tweet: “Ministro Luiz Ramos, não estiquei a corda com ninguém. Tenho enorme respeito e apreço pela instituição militar. Atuo da forma que entendo correto. Chega dessa postura de #mariafofoca”. É ainda o ministro do Meio Ambiente.

Melhor então alçar voo e dar uma passada nos Estados Unidos, onde a disputa eleitoral é que anda em um verdadeiro ambiente hostil. “Vocês estarão muito ocupados hoje – leia-se ontem – porque vamos trabalhar duro.” 

O recado foi dado aos jornalistas que acompanham o presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump. Jogar a toalha, pelo jeito, nem pensar. O fato é que ele votou antecipadamente em um centro eleitoral em West Palm Beach, na Flórida. 

E teve mais três compromissos de campanha. Foi à Carolina do Norte, em Ohio e Wisconsin. Todos eles estados que registram, nas pesquisas, estarem diante de votações apertadas. A eleição está marcada para 4 de novembro.

Para encerrar, a astronauta Kate Rubins, que foi a única que usou uma urna na Estação Espacial Internacional e votou perto da Terra. Pertinho mesmo, pouco mais de 408 quilômetros de distância do nosso planeta. Sendo assim, melhor voar rapidinho e desejar um com domingo a todos.

Chegou tarde


O volume de chuva necessário para as lavouras – são 300 mil hectares na região Sul e Sudeste de Minas –  vem de abril a setembro, ou seja, não choveu quando deveria. O café por causa disso não floriu. O sol queimou e trouxe um efeito parecido com uma geada. A safra deste ano foi recorde.

Uma pena que não deve se repetir ano que vem. A panha do café deve ficar comprometida e muita gente ficará sem emprego e sustento. É gente humilde da trilha sonora desafinada na colheita. Tudo isso vem do deputado estadual Antonio Carlos Arantes (foto)  (PSDB). Ele usou o plenário virtual da Assembleia Legislativa (ALMG) para denunciar a maior seca da história na região cafeeira de Minas.

Em família


Ela é neta do ex-governador Miguel Arraes (PSB). É prima do ex-governador, o também socialista Eduardo Campos e é sobrinha da ex-deputada e atual ministra do Tribunal de Contas da União Ana Arraes. A notícia é que Marília Arraes (PT–PE) está preocupada com as fake news, em situações delicadas, em especial por figuras públicas.

E delas exige discernimento: “quase que diariamente o presidente da República promove ataques às medidas tomadas pelos governadores diante da pandemia da COVID-19”. O fato é ela já fala em crime de responsabilidade contra Bolsonaro. Ah! Ela está na disputa eleitoral pela Prefeitura de Recife.


Milionário


O fato é que existe um passivo acumulado de R$ 212 milhões que deveria ser aplicado na Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), mas não é isso que acontece. Melhor que a reitora da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), Lavínia Rodrigues, deixe claro a necessidade de “garantir que em Minas a pesquisa seja vista como fator de desenvolvimento, não como despesa, mas como investimento”.

O alerta foi consenso entre pesquisadores, professores e estudantes que participaram de audiência pública sobre a importância da fundação e seu orçamento para 2021.

Esquerda, volver!


O governo brasileiro felicita os senhores Luis Alberto Arce Catacora e David Choquehuanca por sua eleição à Presidência e Vice-Presidência do Estado Plurinacional da Bolívia e saúda o povo e o governo bolivianos pela realização do processo eleitoral em clima de tranquilidade e harmonia… Haja falta de imaginação, quase tucanou, mas, pelo menos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi coerente.

O economista de esquerda Luis Arce, apoiado pelo ex-presidente Evo Morales, foi proclamado presidente e em primeiro turno. Detalhe, na América do Sul, o Brasil foi o último a cumprimentar.


Para encerrar


O Senado promove, amanhã, às 16h, sessão especial em homenagem aos médicos nesta temporada de COVID-19. Será remota, óbvio. Quem requereu foi o senador Izalci Lucas (PSDB-DF).

O argumento é o fato de os médicos estarem trabalhando de “forma incansável nas emergências e UTIs para salvar vidas”. Destacou que eles merecem “nosso respeito, gratidão e reconhecimento”. Será que a praia dele é a medicina? Que nada, é contador e professor. E está em seu primeiro mandato como senador. Antes foi deputado distrital e federal pelo Distrito Federal (DF).


– Mensagem do ex-coronel e ex-comandante da Polícia Militar (PMMG) Giovanne Gomes da Silva: “Vou receber, amanhã, a honrosa visita do governador Romeu Zema (Novo) em meu gabinete”. Atualmente, ele preside a Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

– O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, o astronauta Marcos Pontes afirmou que o medicamento é uma ferramenta para enfrentar a pandemia da COVID-19. Destacou ser o primeiro resultado positivo do estudo clínico com a nitazoxanida.

– “Depois do final do tratamento de cinco dias, nos próximos sete dias após a medicação, já há pacientes que têm a carga viral negativada”, ressaltou o ministro-astronauta. A professora Patrícia Rocco ponderou que o medicamento não é “bala de prata”, mas o estudo foi bem desenhado.

– Em tempo sobre a nota Milionário: o debate foi realizado pela Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa (ALMG). Ela atendeu ao pedido feito pela deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT).

– Mais um, desta vez do senador Izalci Lucas (PSDB–DF): ele propõe uma lista tríplice para os indicados ao Supremo Tribunal Federal. Alega que esse mecanismo poderá dar mais qualidade às nomeações, que hoje dependem de escolha do presidente da República e aprovação pelo Senado.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade