Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

A bela ação de socorro feita pela Polícia Militar de Minas Gerais

Agentes do estado estão ajudando no dramático combate às queimadas no Pantanal


20/09/2020 04:00 - atualizado 19/09/2020 21:23

Incêndios seguem destruindo reservas naturais e matando animais no Pantanal do Mato Grosso(foto: MAURO PIMENTEL/AFP)
Incêndios seguem destruindo reservas naturais e matando animais no Pantanal do Mato Grosso (foto: MAURO PIMENTEL/AFP)

"Atuam na missão dois pilotos, dois tripulantes, dois apoios de solo e um mecânico. A ideia é que a força-tarefa permaneça em campo por, pelo menos, duas semanas"


A informação oficial: o governo de Minas Gerais enviou, ontem à tarde, apoio militar ao Mato Grosso do Sul para ajudar no combate aos incêndios no Pantanal. A ação foi autorizada pelo governador Romeu Zema (Novo) depois de atender a um pedido do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB). O objetivo foi compor a força-tarefa que atua no combate aos incêndios ocorridos na região do Pantanal sul-mato-grossense.

A missão: esforço integrado em conjunto da Polícia Militar com o gabinete militar do governador e ainda a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), conta com equipe de policiais militares do Comando de Aviação do Estado (Comave-PMMG) do Pégasus 10, o helicóptero capaz de realizar combates aos incêndios e tem capacidade para lançar 540 litros de água por viagem.

Os integrantes: atuam na missão dois pilotos, dois tripulantes, dois apoios de solo e um mecânico. A ideia é que os militares permaneçam em campo por, pelo menos, duas semanas. A força-tarefa tem também participação da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

A devida união: a missão demonstra integração e união dos estados em defesa do meio ambiente, notadamente no combate aos incêndios que devastam a região afetada. Melhor mudar de assunto, ressaltando a bela iniciativa mineira.

Sendo assim… Melhor voltar à política com uma interrogação. No ataque, ele diz: “Fico muito preocupado quando nacionalismo exacerbado é tomado por um lado ou por outro”. E citou ainda o Bolsa-Família, do qual integrantes do governo Bolsonaro querem tirar o carimbo petista. Destacou o fato de um terço dos alunos que ganharam medalhas na Olimpíada Brasileira de Matemática era beneficiários do programa. O ele que ataca é o apresentador Luciano Huck.

Uai, e a candidatura? “Eu acho que meu papel neste momento é potencializar as ideias para que possamos apresentar para o país, não personalizando em mim, um projeto. O país não tem projeto.” Basta, né? Melhor esperar e ver para crer se será candidato ou se vai correr fora na última hora.

Antes de encerrar, melhor voltar no tempo, um pouquinho só, há 10 dias. “Tenho apelado para eles, ninguém vai usar a caneta Bic para tabelar nada...” Ontem, o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) não foi diferente: “Se os problemas do Brasil... são só o arroz, tá resolvido”. A dona da minha casa, que é quem manda de fato, discorda, viu?

Julgamento
Durante debate virtual sobre violência contra mulheres na política, na sexta-feira, Flordelis (PSD-RJ) reclamou que sofre perseguição política pelo fato de ser deputada federal. Na Câmara dos Deputados, ela foi notificada pelo corregedor, deputado Paulo Bengston (PTB-PA), sobre o pedido de representação feito contra ela pelo deputado Léo Motta (PSL-MG). Ela já entregou sua defesa e aguarda decisão da corregedoria sobre o envio ou não do caso ao Conselho de Ética. 

Terá apoio?
E Flordelis não perdeu a caminhada. Pediu o apoio das colegas da bancada feminina para evitar a perda do mandato parlamentar. “Está acontecendo comigo uma violência muito grande contra mim por ser deputada federal. Aconteceu um crime na minha casa e eu não cometi tal crime. As acusações contra mim não têm nada a ver, são acusações absurdas”, disse a deputada ao pedir o apoio da bancada feminina para não perder o mandato.

Haja sabatina
A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado promove, amanhã, a primeira reunião com votação presencial desde meados de março. Foi quando começou a quarentena da COVID-19. Daí ter sido adiada por causa da pandemia do coronavírus, que dispensa apresentações. Ao longo do dia, a CRE fará três reuniões deliberativas para sabatinar 32 diplomatas indicados para chefiar embaixadas do Brasil. O presidente da comissão, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), informou que serão feitas 11 sabatinas pela manhã, mais 11 à tarde e 10 à noite.

Clima quente
O evento é amanhã às 9h e será realizado na Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). A entrada será restrita a poucos palestrantes que optaram por estar presentes e terão que usar máscaras e manter distância dos demais presentes. Se tem COVID-19, diferente não seria. O fato é a audiência pública comandada pelo ministro Luís Roberto Barroso, relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental para debater o funcionamento do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima. Ou seja, a omissão do governo federal, que não tomou providências para ele funcionar adequadamente e foi indevidamente paralisado em 2019 e 2020.

Sem detalhes
A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República informa que “ainda não há detalhes sobre o assunto até o momento”. Diante disso, vale o registro: o presidente Jair Messias Bolsonaro será submetido a uma operação cirúrgica para retirar cálculo na bexiga. O responsável pelo procedimento é o urologista Miguel Srougi. Ah! E será em São Paulo, sexta-feira que vem, no Hospital Vila Nova Star.

pingafogo

Para detalhar: “queria pedir o apoio das mulheres, que me apoiem, que me ajudem. Eu vou conseguir provar minha inocência. Eu sou inocente”. Sexta-feira, a Justiça do Rio de Janeiro determinou que Flordelis seja monitorada por tornozeleira eletrônica e fique em casa das 23h às 6h.

Melhor deixar claro de uma vez do que se trata. Tudo isso é por causa da acusação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. O crime ocorreu em junho do ano passado.

A propósito: haja sabatina mesmo. O senador Nelsinho Trad informou ainda que o Itamaraty poderá encaminhar ainda mais diplomatas para embaixadas em Israel, Chile, Argentina, Áustria, Dinamarca e Irã. Por enquanto, já que há a possibilidade de  
mais indicados.

Para encerrar, quem não sabia, agora ficou devidamente informado. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, respondeu ontem às críticas que foram feitas pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo 
Maia (DEM-RJ).

O fato é que o chanceler aproveitou: “O povo brasileiro tem apego profundo pela democracia e o regime Maduro trabalha permanentemente para solapar a democracia em toda a América do Sul”. É apenas um trecho, resumido mesmo, mas basta para encerrar por hoje.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade