Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Vou navegar nas notícias do dia, mas em missão de paz agora

A lista dos pacificadores é grande, mas faz sentido a escalação de todos os três. Afinal, eles foram em missão de paz


postado em 20/06/2020 06:00 / atualizado em 20/06/2020 07:57

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, é relator de dois inquéritos que incomodam o Palácio do Planalto: os dos atos antidemocráticos e o das fake news(foto: Carlos Moura/STF/Divulgação - 29/6/18)
O ministro Alexandre de Moraes, do STF, é relator de dois inquéritos que incomodam o Palácio do Planalto: os dos atos antidemocráticos e o das fake news (foto: Carlos Moura/STF/Divulgação - 29/6/18)


Levantar voo, para tentar conter a crise entre os poderes. De um lado, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Do outro, com a missão de tentar pacificar o complicado cenário nacional, foram escalados o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, e também o advogado-geral da União, José Levi, que é professor de direito pela Universidade de São Paulo (USP).

A lista dos pacificadores é grande, mas faz sentido a escalação de todos os três. Afinal, eles foram em missão de paz. Daí o fato de ter sido escalado o núcleo da área jurídica. Os ministros já citados, para não pairar dúvidas. Eles disseram que o objetivo do encontro foi promover uma aproximação. Não é uma tarefa fácil, mas a tentativa faz todo o sentido.

Afinal, no meio do caminho, está a marca de um milhão de casos por conta da COVID-19. Isso mesmo, é essa marca do coronavírus foi atingida ontem. Não é oficial, já que a informação vem do consórcio de imprensa, que já dispensa mais apresentações. Os números acabam sendo sempre antecipados aos oficiais.

Falar nisso, o terceiro relatório semanal da comissão mista do Congresso que acompanha os gastos do governo federal com a pandemia deixou claro ontem que há um baixo aproveitamento dos recursos já autorizados para ações de combate ao novo coronavírus. Isso mesmo, dinheiro tem, mas não é usado.

Basta o exemplo oficial da comissão: o auxílio financeiro a estados, municípios e ao Distrito Federal foi o que menos atingiu os objetivos: apenas 3%, isso mesmo, só R$ 1,97 bilhão de um total de R$ 76,19 bilhões autorizados foram efetivamente pagos. Bastaria, mas tem mais falta de empenho.

Os dados, atualizados da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados, mostram que, de um total de R$ 404,18 bilhões previstos para gastos com a pandemia, menos da metade, R$ 175,7 bilhões (43,48%), foi efetivamente pago. A COVID-19 “agradece” a falta do uso empenhado.

Para encerrar, vale o registro: “construímos essa arca de Noé para enfrentar o dilúvio. A arca de Noé não evita o dilúvio, ela enfrenta o dilúvio. E é isso o que estamos fazendo.” A frase é do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos). Sendo assim, o melhor a fazer é navegar para bem longe por hoje.

Teletrabalho

Desta vez, é na Assembleia Legislativa (ALMG). O plenário aprovou, quinta-feira, em turno único e numa reunião extraordinária, dois projetos de lei que tratam do teletrabalho no serviço público estadual. Ele deve durar até que a pandemia da COVID-19 esteja devidamente contida. Um deles trata como teletrabalho a atividade executada, no todo ou em parte, em local diverso daquele estabelecido para o trabalho presencial. O uso de tecnologias de informação e de comunicação é que vai permitir a execução remota das atribuições ao cargo, emprego ou função que ocupa.

Mas com…

… o detalhe: “A adoção do trabalho remoto por parte dos responsáveis legais de criança em idade escolar constitui uma medida de saúde pública, haja vista que as escolas e creches de todo o estado estão com as atividades presenciais suspensas em virtude do alto risco de contaminação pelo coronavírus”. O texto aprovado teve alterações que foram propostas por meio do relator, deputado Cássio Soares (PSD), para limitar a abrangência da proposição ao âmbito do serviço público estadual.

Pena, né?

Primeiro, ele alertou: “Ainda é preciso esperar mais um pouco para haver mais clareza, diante de um quadro que é complexo pelas incertezas com a pandemia”. Depois, ele avisou que a economia americana passa por um processo de “volta ao trabalho”. Trata-se do vice-presidente do Federal Reserve (FED), o banco central dos Estados Unidos, Richard Clarida. Por outro lado, ele comentou que uma vacina para a doença seria “obviamente” um fator muito positivo para o cenário, mas alertou que “certamente isso não está no horizonte de curto prazo agora”.

E tem mais

Do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. É que também ontem ele prorrogou, por mais cinco dias, a prisão da ativista Sara Fernanda Geromini, conhecida como Sara Winter, que dispensa maiores apresentações, diante de suas pregações sobre pedidos de intervenção militar e o fechamento do Congresso e do próprio Supremo. A líder do grupo 300 do Brasil, de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, anda mais encrencada do que as encrencas que ela já criou. Como se diz, bemfeito! Quem mandou aprontar?

Aterrissou

A deportação dos brasileiros nos Estados Unidos (EUA) continua. Ontem, aterrissaram e desembarcaram, no aeroporto internacional de Belo Horizonte, em Confins, mais uma leva no 17º voo que chegou com deportados brasileiros. Isso mesmo, o décimo sétimo voo. Mais uma vez, teve prisão. Um dos 39 deportados era foragido da Justiça e foi detido pela Polícia Federal (PF) ao desembarcar em BH. É que havia mandado de prisão contra ele. Motivo: violência doméstica. Mais um que não vai poder voltar para casa.
 

Pinga fogo 

O alerta foi feito pela deputada federal Leandre (PV-PR), que é a coordenadora da Frente Parlamentar da Primeira Infância. “A pandemia veio mostrar que há processos que são morosos demais. O isolamento social provoca a diminuição no ritmo da prestação de serviços em geral.”

A deputada ainda acrescenta que “a gente sabe que o sistema de acolhimento é um serviço essencial, não pode parar e precisa funcionar sem aglomerações”. Faz sentido, já que acrescenta citando orientações da Secretaria Nacional de Assistência Social.

Ibope informa: A pesquisa Epicovid19-BR, que estima a proporção de casos de infecção por coronavírus no Brasil, inicia nova etapa a partir deste domingo (21), com a meta de realizar 33.250 testes rápidos e entrevistas em Belo Horizonte e em mais 132 cidades de todos os estados do país.

Cerca de 2,6 mil pesquisadores do Ibope Inteligência vão às ruas, nos dias 21, 22 e 23 deste mês, para visitar residências e convidar 250 moradores a realizarem testes rápidos para o coronavírus em cada uma das cidades incluídas na pesquisa.

O que mais dizer? Só uma pequena frase: basta por hoje. Agora o fim de semana chegou de fato. Amanhã tem mais, se tudo correr bem. Bom dia a todos!
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade