Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLíTICA

Pavimentar é urgente para evitar acidentes

''Cinco militares que seriam condecorados sofrem acidente quando se dirigiam à solenidade de inauguração do trecho de pavimentação da BR-163''


postado em 15/02/2020 04:00 / atualizado em 15/02/2020 08:54

(foto: Evaristo Sá/ AFP )
(foto: Evaristo Sá/ AFP )

O presidente Jair Bolsonaro destacou ontem que “governar é eleger prioridades e não buscar deixar obras paradas. Não é inventar obras para aparecer e ser reeleito lá na frente. Não estou preocupado com reeleição. A reeleição e algo natural. Se você trabalhar ela vem e não é com propaganda também”, discursou.

E fez logo um afago. Melhor ele próprio destacar.  “Trata-se um momento de alegria depois de 40 anos de sofrimento. Essa obra começou a ser tratada no final de 2018 com o ministro Tarcísio Gomes de Freitas ainda na época da transição do governo. Presentes também estavam o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB) e o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM).

Um grupo de cinco militares que seriam condecorados pelo presidente Jair Bolsonaro sofreu um acidente quando se dirigia à solenidade de inauguração do trecho de pavimentação da BR-163, o último trecho dela no Pará. Ela é importante, por se tratar do principal corredor de exportação de grãos do país. Caminhoneiros, produtores e moradores da região aguardavam a obra há 40 anos.

O que traz mais um registro. E vem do o coronel Marcello Linhares, que atuou por dois como comandante do 8º Batalhão de Engenharia de Construção. Outros 18 militares de variadas patentes, desde soldados até o comandante também foram devidamente condecorados com a honraria.

Melhor mudar de assunto, um pouco só. Afinal, deu no Diário Oficial da União (DOU) que o presidente Bolsonaro publicou a nomeação do almirante Flávio Augusto Viana Rocha para comandar a Secretaria Especial da Assuntos Estratégicos (SAE), para deixar claro que ela fica a sob a sua “subordinação direta”. Assim, fica oficial. Afinal, a pasta já teve duas baixas desde o início do governo.

Vale lembrar que o almirante Flávio foi quem acompanhou, ao lado de Bolsonaro, o discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o amigo do presidente norte-americano, que foi absolvido pelo Senado no processo de impeachment.

Com o desfecho, já era esperado mesmo, Donald Trump permanece como presidente norte-americano e já está em campanha para disputar a reeleição em 3 de novembro. Como os democratas andam confusos, ele é favorito para se reeleger. Pelo menos, por enquanto.

Mas será difícil, muito difícil. Um homem que precisa passar por hemodiálise três vezes por semana, na Flórida, está chateado por não poder levar um modelo de papelão em tamanho natural do presidente Donald Trump como apoio emocional.

O rosário

Durante o encontro no Vaticano, Lula recebeu do Papa Francisco um rosário abençoado. E retribuiu o gesto presenteando o pontífice com uma imagem de Bejá Kayapó. A foto do indígena, foi registrada pelas lentes do fotógrafo oficial de Lula, Ricardo Stuckert (...) Foi feita na aldeia Metuktire, no Parque Indígena do Xingu, e integra o projeto Índios Brasileiros, em que Stuckert retrata, desde 1997, os povos originários do Brasil. De acordo com a agência AFP, a Santa Sé não vai divulgar um comunicado oficial devido ao caráter privado da reunião.

Pegou carona

“A logística sempre foi o maior obstáculo para esse crescimento. É muito importante para nós, hoje, estamos presenciando esse marco”. Quem destacou foi o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (Democratas). Argumento até que ele pode ter. Pelo menos é o que faz questão de ressaltar ressalta diante do fato de o Mato Grosso ser o maior produtor de grãos do país, o que significa ser o líder na produção de commodities como soja, milho e algodão. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, não perdeu a carona: “Os caminhoneiros mereciam que essa rodovia fosse pavimentada, eles mereciam essa consideração do Estado brasileiro com eles”.

A compaixão

Em janeiro, o presidente argentino Alberto Fernández já havia anunciado que Francisco receberia Lula. O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno: Parabéns ao Papa Francisco pelo gesto de compaixão. Ele recebeu Lula, no Vaticano. Confraternizar com um criminoso, condenado, em 2ª instância, a mais de 29 anos de prisão, não chega a ser comovente, mas é um exemplo de solidariedade a malfeitores, tão a gosto dos esquerdistas.

Olhe o mapa

Embora seja necessário colocar um bombeiro em ação. “O conhecimento de ter vivido na Amazônia e de ser filho de amazonense também é, em primeiro lugar, essa é a minha opinião, e do governo também, de que as terras foram demarcadas de forma excessiva em tamanho para cada uma delas e o grupo que ela engloba. Se você olhar o mapa, verá terras enormes”. Assim destacou o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ontem, em entrevista a uma rádio. E acrescentou:  “Isso não se pode mudar mais. Temos que entender que isso é dado do problema, faz parte da questão”.

A localização

A União levantou R$ 29,5 bilhões em desestatizações apenas em janeiro, informou ontem o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar. O valor ajuda e muito o cumprimento da meta de R$ 150 bilhões estabelecida para este ano. O valor alcançado em janeiro foi obtido por meio da venda de participações da União em empresas estatais. Bem, localizar onde achar recursos, o secretário especial conhece bem o caminho.

Pinga-fogo

Em tempo, sobre a nota “A localização”. É para deixar claro, já que o secretário especial Salim Mattar é nada mais, nada menos, que o dono da Localiza, empresa considerada líder no aluguel de frotas de caminhões e carros. E olha que ele queria mesmo é ser pianista, mas o pai não deixou.

Em nota, a TÜV SÜD respondeu que “reitera seu compromisso em ver os fatos sobre o rompimento da barragem esclarecidos. Por isso, continuamos oferecendo nossa cooperação às autoridades e instituições no Brasil e na Alemanha no contexto das investigações em andamento”.

Para deixar claro de uma vez, trata-se da denúncia feita pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) referente ao rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão que foi acatada na Justiça de Brumadinho.

“General Heleno tá nervoso porque o papa recebeu Lula. Vai dar murro na mesa, @gen_heleno? Fica nervoso não”. A frase é da presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). Ele atacou o Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Tudo por causa da ida de Lula ao Vaticano.

Sendo assim, melhor encerrar por hoje. Afinal, nem rezando a política não consegue trazer, pelo menos, uma boa notícia.
 


Publicidade