Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

A moto de Bolsonaro e o Natal dos Correios

Presidente compra e vai buscar motocicleta e promete enviar reforma administrativa ao Congresso


postado em 03/11/2019 06:00 / atualizado em 03/11/2019 08:03

Campanha Papai Noel dos Correios de 2019 será lançada a amanhã e busca recolher presentes, como em anos anteriores, para crianças carentes(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )
Campanha Papai Noel dos Correios de 2019 será lançada a amanhã e busca recolher presentes, como em anos anteriores, para crianças carentes (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press )

Uma motoca. Moto para abreviar. Motocicleta para ser usada nas dependências do Palácio do Planalto. Ela é um modelo Honda NC 750 X azul. “Ninguém me deu de presente, eu paguei no meu cartão”. Isso mesmo, quem comprou foi o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e pagou com o cartão de crédito pessoal, sem dinheiro público no meio.
 
Ele está olhando para o futuro. Calma, o presidente não se referia a uma eventual disputa pela reeleição. “Não posso garantir que vai sair nesta semana, mas está quase tudo pronto para a criança nascer”, declarou ao tratar da reforma administrativa.
 
Só falou dela, mas a lista é grande. Inclua ainda a tributária e acelerar o pacote de privatizações, aquele do ministro da Economia, Paulo Guedes. Quanto à reforma na administração pública, ao ser questionado sobre ela ressaltou que deve valer só para os futuros concursados.
 
Mudando de assunto, se a melhor defesa é o ataque, basta um tweet: “Processar a esquerdalha democrática”. Isso, se não der certo a estratégia de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que pretende acionar o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Caso contrário, a ideia é tomar outras “medidas cabíveis”. Quais ele não deixou claro.
 
Se tem óleo derramado ainda nas notícias, prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em pleno domingo, baleias jubartes, raridades de corais em Caravelas e na Ilha Santa Bárbara, em Abrolhos, barris de petróleo derramados, o que mais falta? Bem, dá para acrescentar que, sempre inspirada, a Polícia Federal (PF) deu o nome de “Operação Mácula” para investigar o óleo derramado.
Como provavelmente se trata de um navio que já zarpou... Melhor mudar de assunto. Qual? Se for uma boa notícia, a dificuldade é ainda maior, mesmo que esteja em alto-mar. Ora, quem diria, foi possível encontrar uma.
 
Amanhã, haverá o lançamento da campanha Papai Noel dos Correios, uma das mais belas iniciativas para alegrar o Natal de quem nem sequer consegue comprar um presentinho para as crianças. E ela tem história. Completa agora nada mais, nada menos que três décadas. Isso mesmo, 30 anos. Quem vai prestigiar é Neguinho da Beija-Flor, ajudante oficial do Papai Noel e padrinho número 1 da campanha em 2019. Tem tudo para dar samba.
 
Sendo assim, para encerrar, vale o tweet oficial do presidente Bolsonaro: “Hoje (ontem) busquei minha moto na concessionária. Motocicleta, paraquedismo e mergulho sempre foram minhas paixões. Bom fim de semana a todos. Irrúúú!”.

Literatura na USP
“Ao contrário de adotar procedimentos próprios da democracia, como a busca de diálogo e entendimento com outras forças políticas, eles se voltam para políticas de exceção, como a hipótese de um golpe ou de uma radicalização dos conflitos políticos.” A frase é do professor e diretor do Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo (USP), José Álvaro Moisés. Ele se refere às questões envolvendo o AI-5 e traz o lançamento quentinho do livro Crises da democracia – O papel do Congresso, dos deputados e dos partidos. O evento será amanhã, às 9h30. O seminário é gratuito e aberto ao público, com inscrição prévia.

Retaliação
A justificativa vale mais que a notícia. “O chefe do Executivo fez questão de ressaltar que a decisão foi uma retribuição dele a parte dos ataques que diz ter sofrido da imprensa”, e quem assim justificou foi o deputado Aliel Machado (PSB-PR). Ele contesta a mudança, alegando que a publicação de balanços de grandes empresas nos jornais impressos “a divulgação perde transparência”. É só um exemplo. A Medida Provisória (MP) editada pelo presidente Bolsonaro recebeu nada menos que 39 emendas de deputados e senadores. Melhor esperar.

Trilha sonora
“‘Todo artista tem que ir aonde o povo está’, como já diziam Milton Nascimento (foto) e Fernando Brant. E o povo está nos transportes públicos, seja nas estações de metrô de São Paulo, seja no trajeto das balsas do Rio de Janeiro ou nas estações de ônibus de Campina Grande.” Quem entoou a trilha sonora foi o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), autor do Projeto de Lei 3.964/2019, que regulamenta e incentiva manifestações artísticas e apresentações culturais em vias e demais logradouros públicos, como estacionamentos, terminais e estações de transporte, garantindo aos artistas profissionais o direito ao trabalho.
 
Livro de poesia
Mesmo com o devido pedido de desculpas do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), ainda vale o registro do deputado Junior Bozzella (PSL-SP): “O filho do presidente calado é um poeta”, disse Bozzella, que é o principal porta-voz de Luciano Bivar (PSL-PE). E ele acrescentou ainda: “É espantoso para não falar repugnante. Nós representamos a democracia e a valorização da liberdade de expressão do cidadão brasileiro, qualquer que seja a sua ideologia”. Tudo por causa da polêmica em torno da declaração que pregava um novo AI-5, que endureceu a ditadura militar no século passado.

Socialismo atual
O primeiro estatuto remete à década de 40, quando o Partido Socialista Brasileiro (PSB) se opôs à ditadura de Getúlio Vargas. Registro feito, melhor tratar dos tempos atuais. E quem atualiza é o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) ao relatar à coluna sobre o Encontro Nacional, em 27, 28 e 29 deste mês, para tratar de questões dogmáticas e da participação popular. Tanto que entre os convidados para o evento estão, entre outros, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e mais à esquerda Glauber Braga (Psol-RJ), o sucessor de Jean Wyllys, cujo exílio voluntário todo mundo conhece.

pingafogo

• Sem Refis, “teremos que vender o almoço para pagar o jantar”. Primeiro, deixar claro que se trata do mecanismo para regularizar débitos relativos a tributos e contribuições administrados pelos órgãos federais. Quem diz é o secretário da Fazenda, Gustavo de Oliveira Barbosa (foto).

• Leia-se: dívidas com a Receita Federal do Brasil (RFB), Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além das secretarias da Fazenda estaduais e municipais. É, tudo isso que o estado deve. Quanto, nem dá para saber direito.

• E tem a tribo Guajajara para manchar ainda mais a imagem brasileira, por causa do assassinato de um índio e deixou ainda outro ferido, dentro da reserva de Arariboia, no Maranhão, que tem parte do seu território na Amazônia. Diante das polêmicas por lá vira notícia internacional.

• Se o papa Francisco tratou dos “cristãos perseguidos” e mortos em uma das catacumbas mais antigas de Roma, só rezando mesmo para tentar conseguir alguma notícia que melhore o humor do domingo.

• Sendo assim, só resta fazer uma prece e encerrar a coluna por hoje. Afinal, vale repetir, hoje é domingo, o dia é tão lindo... Aproveite. Ah! Boa sorte para a turma que vai fazer o Enem. Boa prova a todos.


Publicidade