Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Nem a excalibur salvou o ''Rei Athur'' da prisão em Miami

Já a espada sobre a prisão em segunda instância segue afiada no Supremo


postado em 26/10/2019 04:00 / atualizado em 25/10/2019 21:40

 O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral cumpre pena de 200 anos de prisão por vários crimes(foto: Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo - 19/1/18)
O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral cumpre pena de 200 anos de prisão por vários crimes (foto: Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo - 19/1/18)

Desta vez, pelo jeito, nem a poderosa espada Excalibur conseguiu salvar o empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, o 'Rei Arthur', que foi preso ontem em Miami. Depois de ter fugido há dois anos para Miami, nos Estados Unidos, ele foi preso pela International Criminal Police Organization. A sigla é conhecida. É a Interpol.

O motivo da prisão, pouco se sabe, quase nada mesmo. Mas se tem a Interpol no meio do caminho, a encrenca deve ser da pesada. A coleção de crimes é extensa. Uma delas, propina para que o Rio de Janeiro sediasse as Olimpíadas de 2016. Daí uma eventual ligação ao Brasil. Melhor esperar o detalhamento do motivo.

Quem sabe então seja mais apropriado usar a Excalibur para outras questões. Afinal, a espada sobre a prisão em segunda instância anda afiadíssima para libertar uma coleção de criminosos, em especial os de colarinho branco. E inclui até um ex-presidente da República e um ex-governador.

Claro que é Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, que distribuiu dinheiro para garantir a sede das Olimpíadas de 2016. E já abriu a boca. Com uma pena de quase 200 anos, nada mais a acrescentar. Só o registro de que o ex-presidente, claro, é o Lula. Quanto às pérolas dele em favor de Cabral, deixa pra lá. Afinal, já faz mais de três anos.

Afinal, o atual coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato da Polícia Federal (PF) em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), o procurador da República Deltan Dallagnol, esteve ontem no 7º Congresso de Direito Constitucional em Santo André, no ABC Paulista, praia do ex-presidente.

E o procurador Deltan Dallagnol foi direto ao ponto: “O fim da prisão em segunda instância vai significar a impunidade de colarinho branco e corruptos poderosos”. Tem mais, muito mais, mas basta esse registro. Não, ainda não, tem o resumo da ópera bufa na política nacional: “A corrupção afeta nossas oportunidades, nosso presente e nosso futuro”. Algo a acrescentar com a última frase?

Só se for sobre o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que já anda com a batata assando. E quem pretende não deixá-lo em paz é, quem diria, o Greenpeace. A organização ecológica pretende levá-lo à Justiça. Se tem o tal #greenpixe, o processo deve vir bem pesado mesmo. Terrorismo? Já que ele falou nisso, melhor contratar um bom advogado.

Diante de tudo isso, nada mais é necessário acrescentar, ainda mais que o fim de semana já chegou. Melhor pegar a Excalibur e passar uma espada nas notícias dos últimos dias. O jeito é tentar relaxar porque o cenário político ainda deve prometer novos sustos.

Dia do Professor

Teve sessão especial ontem no Senado para comemorar o Dia do Professor. Só que merecia mais. Registros oficiais: 11h35, quem presidia era Izalci Lucas (PSDB-DF): início da sessão e abertura do encontro. Sra. Nyedja Gennari (interpretadora narrativa) (foto). 11h42, execução do Hino Nacional, seguida de vídeo institucional. 11h53: fala da presidência. 12h10, presidente faz entrega de homenagens à professora Natanry Osório Presidente, à professora Amábile Aparecida Passos, à professora Karla Daniela Ferreira, ao professor Helder Ferreira Gonçalves e às professoras Edilene Vieira de Sales Carriel e Tatiana Pinheiro de Faria.


Os oradores

Aí, a partir de meio-dia e dez minutos, falam senhor João Pedro Ferraz dos Passos (secretário de Estado de Educação/Governo do Distrito Federal): senhora Natanry Osório (professora), senhora Patrícia Albuquerque de Lima (diretora-geral/Instituto Federal de Brasil – IFB), senhora Ana Cristina Silva (professora/representante dos professores aposentados de Brasília) e senhor Ademar Batista Pereira (presidente/Federação Nacional das Escolas 
Particulares – Fenep. 12h59: término da sessão.

Risco de caos

O deputado Sargento Rodrigues (PTB) anunciou, quinta-feira, durante a Comissão de Segurança Pública na Assembleia Legislativa (ALMG), que foi aprovado o requerimento para que seja feita uma visita ao governador Romeu Zema (Novo) acompanhado dos demais integrantes da comissão. O motivo é mostrar que a segurança pública em Minas poderá se tornar um caos, caso Zema não tome providências urgentes. O fato é que sete mil policiais militares, segundo ele, vão se aposentar antes da promulgação da reforma da Previdência. “A situação é gravíssima, o deficit hoje já é de 11 mil policiais e vai aumentar.”

MG bem na fita

O último censo agropecuário mostrou que o crescimento da área plantada foi de 2,8% no Brasil e 15,4% em Minas Gerais. O aumento se deveu à eficiência das ferramentas tecnológicas que propiciaram uma melhor cobertura do território. Em Minas, foram recenseados 607.557 estabelecimentos, o que se traduz como o maior número no histórico dos censos nesta área, totalizando nada menos que 38.168.688 hectares. Tudo isso é oficial e vem do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Detalhe: em contraponto, a agricultura familiar encolheu no país. Dados do censo apontam redução de 9,5% no número de estabelecimentos classificados como de agricultura familiar.

Não adiantou

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) havia pedido que a data fosse desmarcada. A alegação é de que o desembargador federal João Pedro Gebran Neto escolheu apreciar apenas um dos capítulos do recurso apresentado, ou seja, os advogados do petista queriam que fossem todos os demais processos incluídos. Em bloco, para ficar mais claro. Só que não deu certo. Gebran Neto alegou que “não tem conteúdo decisório, não sendo por isso impugnável pelos advogados do réu”.

Pinga-fogo

Em tempo: ainda o caos na polícia: porque a Lei de Efetivo da PM prevê um efetivo de 51 mil homens e mulheres. Nós temos um efetivo de 38 mil, sendo 2 mil reconvocados, ressalta o deputado Sargento Rodrigues.

E acrescenta com otimismo: “Sabe-se, entre os deputados, que o governador Romeu Zema vem demonstrando grande preocupação com o que pode ocorrer em Minas Gerais com as aposentadorias”.

Os crimes ambientais e as consequências da mudança do clima estão na mídia mundial, dos elefantes da Namíbia que morreram por falta de água ao óleo que polui o litoral nordestino. É o momento de discutir e se comprometer com soluções.

É esse o tema que vai marcar a Conferência Brasileira de Mudança do Clima, que vai reunir organizações não governamentais, movimentos sociais, governos subnacionais, academia e comunidade científica e pelo setor privado brasileiro e por aí vai.

Sendo assim, o melhor a fazer é esperar o clima político dar um descanso e encerrar a coluna por hoje. Vale repetir, um bom fim de semana a todos. E quem sabe a próxima traga notícias mais auspiciosas. Ihh!  Auspiciosas? Chega mesmo.


Publicidade