Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

O mais importante para os brasileiros é a correção do salário-mínimo

O salário será corrigido apenas pela inflação em 2019 e deverá ficar em R$ 1.039


postado em 09/10/2019 04:00 / atualizado em 09/10/2019 07:42

Plenário da Câmara dos Deputados, que ainda precisa votar o orçamento federal(foto: CÂMARA DOS DEPUTADOS /LUÍS MACEDO)
Plenário da Câmara dos Deputados, que ainda precisa votar o orçamento federal (foto: CÂMARA DOS DEPUTADOS /LUÍS MACEDO)

“Não há da parte do presidente agora qualquer formulação sobre uma suposta transição de partido.” A frase é do porta-voz da Presidência da República, general de divisão do Exército Otávio do Rêgo Barros. Pelo jeito, para tentar apagar, pelo menos um pouco, a confusão danada em que estava metido também o líder do PSL no Senado, senador Major Olímpio (PSL-SP).

Sendo assim, nada mais sobre este assunto é necessário tocar. Parece assunto encerrado. Se prudência pouca não é bobagem, melhor mesmo é esperar. Mesmo com a ressalva do Major: “É o nosso líder maior. Até já brinquei: é a mesma coisa que alguém morar sozinho e fugir de casa. O PSL é ele”. Chega mesmo.

Afinal, o deputado de primeiro mandato Geninho Zuliani (DEM-SP) será o relator da proposta que estabelece novo marco legal de saneamento básico. Bem, a pouca experiência não deve atrapalhar, já que os senadores, os cabeças-brancas do Senado, já aprovaram, em junho.

Bem, nem tanto assim, afinal, o teor do texto é o que facilita a abertura do setor para a iniciativa privada e a intenção de alguns estados de privatizar ou capitalizar companhias estatais. As demais relatorias que a ele cabe são de outras legislaturas, não desta, que é atual.

O certo é que não foi votado ontem. Nada a ver com o Zuliani. É que foi aberta a sessão do Congresso, aquela que reúne deputados e senadores juntos, para votar o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020 e ela fixa, como meta fiscal, um deficit primário de R$ 124,1 bilhões e inclui, além do Tesouro Nacional, a Previdência Social e Banco Central. A meta este ano estabelece déficit de R$ 139 bilhões.

Só que o mais importante e que interessa aos brasileiros é o fato de o projeto da LDO prever a correção do valor do salário-mínimo. E ano que vem, ele será corrigido apenas pela inflação, sem ganhos reais. No projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA), já enviado ao Congresso, o valor proposto do mínimo é de R$ 1.039, ante os atuais R$ 998. A oposição, claro que chiou e fez obstrução.

De cara, o governo perdeu a primeira parada. Tudo por causa do fundo eleitoral. O veto sobre ele será analisado na próxima sessão do Congresso. Claro que os parlamentares querem mais dinheiro. Quando será? Ninguém sabe, ninguém viu.

Já que ainda não tem data marcada a nova sessão, com direito a nenhuma previsão para ela, o jeito é esperar para ver e crer o que acontecerá e encerrar por hoje.

Minas na parada

(foto: WILL SHUTTER/CÂMARA DOS DEPUTADOS)
(foto: WILL SHUTTER/CÂMARA DOS DEPUTADOS)

De novo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, terá de comparecer à Câmara dos Deputados. Da última vez, foram horas e horas. Melhor esperar agora. O fato é que a Comissão de Educação agora quer saber quais são os atuais critérios de nomeação de reitores de universidades federais. “Temos tido discrepâncias, situações em que a nomeação alcança alguém que não está em primeiro lugar na lista ou que nem sequer pertence aos quadros. Isso gera muita instabilidade e não interessa às universidades brasileiras”, ressalta, já que quase tudo na política passa por Minas Gerais, a deputada Margarida Salomão (foto) (PT-MG), autora do pedido que pode convocar Weintraub mais uma vez. Ela pretende fazer o requerimento ainda esta semana.

“Gangsterismo”

Já começou assim o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), indicado por Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o que faz sentido. Depois de cobrar que não haja personalismo, fez questão de acrescentar: “Vocês assumiram o lava-jatismo militante”. Foi durante o programa Roda Viva, da TV Cultura, que ele acrescentou que “não se combate o crime cometendo crimes”. Depois, seguiu o estilo do presidente tucano: “Quando a Lava-Jato acerta, tem que ser dito que ela acerta. Quando erra, tem que ser dito que erra”. E antes de ir além, claro que acrescentou uma crítica à imprensa: “Vocês criaram falsos heróis”.

Dom Serafim

“Segura na mão de Deus.” Foi logo ressaltando o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). E acrescentou que dom Serafim Fernandes de Araújo era a “expressão tão bonita, tão marcante, muitas vezes dita de forma serena”. Afinal, neste caso, futebol, religião e política só se misturavam para o bem. Melhor ficar só com o futebol. Dom Serafim viveu intensamente a vida do Clube Atlético Mineiro (CAM). Foi conselheiro nato do Galo desde 1962, presidente do Plano de Expansão do clube e conselheiro grande benemérito.

Se prepare

A Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle (CTFC) vai ouvir o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, sobre as candidaturas de laranjas nas eleições. É, ele terá mesmo de comparecer, já que foi aprovada a convocação, ou seja, não é um convite. O argumento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi de que o ministro teve oportunidades de prestar esclarecimentos quando foi convidado e não compareceu. E Randolfe teve companhia. O senador Reguffe (Podemos-DF) enfatizou o seu voto favorável à convocação do ministro por considerar as denúncias extremamente graves. E fez questão de afirmar ainda que é preciso resgatar o papel de fiscalização do Poder Legislativo.

A relevância

O Dia das Crianças não é uma data tão relevante, se for considerado o comércio como um todo, porém ela é extremamente importante para alguns segmentos, como para o setor de brinquedos, roupas e calçados infantis, e outros setores voltados para esse público. A informação é da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). E acrescenta o economista a ela vinculado Marcel Solimeo: “Nós estamos com uma expectativa de alta de 2% nas vendas”. E ressalva: “Não é um resultado excepcional, mas acaba sendo positivo”. Me poupe, 2%?

Pinga-fogo


“Minas acordou entristecida pela perda do nosso cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo. Independentemente da religião que se professe, tenho certeza de que dom Serafim tocou o coração de todos por sua grande dedicação aos mineiros.” A frase é do deputado Aécio Neves (PSDB-MG).

O campo de Pargo foi descoberto em 1975 e os campos de Carapeba e Vermelho em 1982 tendo sua produção se iniciado em 1988. Essas concessões foram outorgadas à Petrobras em 1998, na chamada Rodada Zero de licitações.

A notícia de fato é que a Petrobras concluiu a venda da totalidade da sua participação nos campos de Pargo, Carapeba e Vermelho, localizados em águas rasas na costa do estado do Rio de Janeiro, para a empresa Perenco Petróleo e Gás do Brasil Ltda.

Com todo respeito ao @majorolimpio. Lembro-me exatamente de como foi sua campanha para senador e dos detalhes no hospital, mas que fazem parte da vida pública. Fico estarrecido da maneira como este senhor trata o presidente hoje! Ninguém é imune a críticas, mas meu Deus! É surreal!

O tweet é do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), o filho zero dois do presidente da República. E teve resposta de Major Olímpio: “Caro @CarlosBolsonaro, ninguém no Senado defende mais o PR @jairbolsonaro e seu governo do que eu”. Só um pedaço, mas basta.
 


Publicidade