Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Ó, Minas Gerais! E a notícia do dia

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, garante que vai provar a sua inocência e que tudo não passa de uma campanha difamatória


postado em 05/10/2019 04:00 / atualizado em 04/10/2019 21:14

Marcelo Álvaro Antônio, denunciado pelo MP, foi o deputado mais votado em Minas(foto: JAIR AMARAL/EM/D.A. PRESS)
Marcelo Álvaro Antônio, denunciado pelo MP, foi o deputado mais votado em Minas (foto: JAIR AMARAL/EM/D.A. PRESS)

O “por enquanto” inquietante da notícia do dia é a que envolve o mineiro Marcelo Álvaro Antônio, aliás, o único mineiro na equipe ministerial do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele comanda o Ministério do Turismo e é um campeão de votos. Foi o mais votado na eleição do ano passado em Minas Gerais, com 230.008 votos, e informou à Justiça Eleitoral ter bens de R$ 773.125.

De volta ao que interessa, entra a questão: e agora Bolsonaro?. Fica ou não fica? Resposta rápida e curta do porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros: “O presidente da República aguardará o desenrolar do processo. O ministro permanece no cargo”.

Vale antes um registro: Marcelo Henrique Teixeira Dias, o seu nome de batismo, é filho de Álvaro Antônio, que foi presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vice-prefeito de Sérgio Ferrara e deputado na Assembleia Legislativa (ALMG) em quatro mandatos.

De volta ao que interessa, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, garante que vai provar a sua inocência e que tudo não passa de uma campanha difamatória. O processo está em segredo de Justiça e o inquérito foi entregue ao Ministério Público Eleitoral (MPE-MG). É lá que será decidido se a denúncia será apresentada ou não. Então, melhor esperar.

Mudando de assunto, o fato é que “se é criminosa, é criminosa... Quebra de sigilo, se seguiu a lei, tudo bem. Não seguiu, está errado”. A frase é do jurista Jair Bolsonaro, em referência à possibilidade de o Supremo Tribunal Federal (STF) validar as mensagens vazadas da Operação Lava-Jato.

O presidente se referia ao site Intercept. E condenou as provas obtidas por meio da quebra de sigilo de forma ilegal, como, de fato, foi. Bolsonaro usou a sensatez. Já que interceptamos a notícia, vale o registro de que teve seu celular atacado e vários arquivos do seu telefone foram apagados. Simples assim, sumiram. Hacker?

Pesquisa do Instituto Data Popular, denominada Data Check-up Brasil, tem foco na elaboração de pesquisas quantitativas, qualitativas e consultorias com o público das classes C, D e E. Nunca tinha ouvido falar. O gerente Marcio Falcão Lopes diz que o objetivo é “dar voz àquela que é a maior classe social brasileira”.

Com números assim, será necessário levantar a voz e gritar a plenos pulmões: “92% opinaram que ela está muito presente no Legislativo; 86% no Executivo; 80% no Judiciário; e chega a 87% entre o empresariado.

Com números percentuais deste tamanho assim, o jeito é encerrar por aqui hoje. Uma gritaria os números dispensam.

Paz nas Farc

Minas Gerais terá um representante nas eleições da Colômbia, marcadas para 27 de outubro. O ex-ouvidor do governo de Minas Gerais, atual professor da Polícia Militar, Fábio Caldeira, foi convidado para ser um dos observadores do processo de escolha dos representantes regionais, que é o primeiro depois do acordo de paz com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Os gastos serão pagos pela Organização Eleitoral da Colômbia. Serão escolhidos governadores, prefeitos, deputados, vereadores e conselheiros. Para registro, Fábio foi vereador em Belo Horizonte pelo PSB. E ele é, de fato, da paz.

Mais cacau

Proposição Sujeita à Apreciação Conclusiva pelas Comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; Defesa do Consumidor; e Constituição e Justiça e de Cidadania. Ou seja, aprovadas, só é votada em plenário se houver algum recurso. Neste caso, quem terá coragem de dar um “chocolate”, no sentido pejorativo, na boa ideia da deputada Lídice da Mata (PSB-BA)? Afinal, a proposta dela é que os chocolates tenham no mínimo 35% de sólidos totais de cacau. Melhor ela própria deixar claro: “O chocolate no Brasil apresenta qualidade aquém da observada em mercados mais desenvolvidos”.

''Acredito que a discussão da violência das escolas passa por várias frentes e uma delas, fundamental, é a falta de estrutura de pequenas cidades. As pessoas migram para cidades maiores e, sem oportunidades, acabam sendo peças que movem o motor da violência, nas escolas e até fora delas, em centros urbanos''

A declaração é do deputado Mário Henriger (PDT-MG), ao assumir, na quarta-feira, a coordenação na Região Sudeste da Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência nas Escolas, comandada pela deputada Rejane Dias (PT-PI).

Agora vai?

O deputado João Leite (PSDB) anunciou, quinta-feira, na Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras da Assembleia Legislativa (ALMG), que já está no Tribunal de Contas da União (TCU) o relatório elaborado pela comissão que tenta barrar as intenções da Vale de explorar por mais 40 anos a linha férrea Vitória/Minas. “Depois de o todo trabalho feito pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), chegou, enfim, o relatório capaz de antecipar a renovação da concessão dela. Os técnicos do Tribunal de Contas da União já estão concluindo parecer que será anunciado no TCU pelo ministro-relator Bruno Dantas.


Boa literatura

Deve dar quórum o evento. Afinal, na quinta-feira da semana que vem, dia 10 para ficar bem claro, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot estará em Belo Horizonte para o lançamento do seu livro Nada menos que tudo, publicado pela Editora Planeta. É bem provável que ele deve chamar a atenção dos presentes na Loja Leitura do Shopping Pátio Savassi. Afinal, em seu livro, Rodrigo Janot revisita os bastidores das investigações da Operação Lava-Jato e faz revelações importantes sobre grandes nomes da política nacional. Agenda aos interessados: o evento, aberto ao público, acontece a partir das 19h.

Pinga-fogo

Em tempo: sobre violência nas escolas citada pelo deputado Mário Heringer. Pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos para o SindUTE-MG indica que 43,8% dos professores já sofreram alguma agressão física, verbal ou psicológica por parte dos alunos.

Política e futebol não deveriam se misturar, mas o ex-senador Zezé Perrella quer afastar o atual presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá. É capaz de Perrela querer voltar no tempo e subir na tribuna cruzeirense para discursar contra ele.

Plano do Softbank para segundo megafundo de investimento é atingido por fracasso do WeWork. Eu, hein! Que notícia é essa? “Problemas no WeWork e o fraco desempenho no mercado de empresas que perdem dinheiro podem provocar queda nos investimentos em startups”.

Continuo sem entender nada. Bem, trata-se de uma empresa emergente que tem como objetivo desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio, preferencialmente escalável e repetível. Ou uma empresa recém-criada ainda em fase de desenvolvimento que é normalmente de base tecnológica.

Ficamos assim, então. Melhor aprimorar a tecnologia da coluna por hoje, se é que tem jeito. Melhor então encerrar devidamente por hoje. Até amanhã. E bom fim de semana.
 


Publicidade