Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLíTICA

O ambiente continua pesando na pesquisa

Parle-vous français Rodrigo Maia (DEM-RJ)? 'Eu acho que ele não quis dizer o que alguns interpretaram como alguma liberdade para desmatar no Brasil'


postado em 27/08/2019 04:00 / atualizado em 26/08/2019 21:11

Rodrigo Maia fez defesa de Bolsonaro em evento com empresários na Câmara de Comércio França-Brasil (foto: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo)
Rodrigo Maia fez defesa de Bolsonaro em evento com empresários na Câmara de Comércio França-Brasil (foto: Aloísio Maurício/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

“Como sinto muita amizade e respeito pelo povo brasileiro, espero que tenha rapidamente um presidente que esteja à altura”. No tweet com duas fotos, uma da primeira-dama brasileira Michelle Bolsonaro com o marido e outra com o casal Emmanuel Macron, presidente da França, e a primeira-dama francesa, Brigitte Macron.

Para deixar claro, o ataque ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) é do francês no fim de semana. O motivo: “Macron promete ajuda de países ricos à Amazônia. Será que alguém ajuda alguém – a não ser uma pessoa pobre, né? – sem retorno? Quem é que está de olho na Amazônia? O que eles querem lá?”. Só para registro: a francesa Brigitte tem 66 anos e a brasileira Michelle, 37.

Deixa para lá. Tem mais confusão na política nacional. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que o diga. Dia sim, outro dia de novo, ele volta às notícias, que de agradáveis nada têm. Só ontem esteve no Arquivo Nacional e depois passou pela Superintendência da Polícia Federal(PF) também lá no Rio de Janeiro. Em ambos casos, não falou com a imprensa. O silêncio, por si só, é ensurdecedor. Nem precisava dar entrevista mesmo.

Falar nisso, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o número BR-09430/2018. E a pesquisa CNT/MDA nada boa foi para o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Muito antes pelo contrário, foi ruim. Ao serem perguntados sobre a avaliação do governo de Jair Bolsonaro, os entrevistados responderam: Ótimo: 8%, Bom: 21,4%, Regular: 29,1%, Ruim: 12,9%, Péssimo: 26,6% e Não sabe/não respondeu: 2%. Fazendo as contas, juntando ótimo + bom o índice vai a 29,4%. Na outra ponta, Ruim Péssimo o resultado foi de 39,5%.

Parle-vous français Rodrigo Maia (DEM-RJ)? “Eu acho que ele não quis dizer o que alguns interpretaram como alguma liberdade para desmatar no Brasil”, responde o presidente da Câmara dos Deputados, em evento para empresários ontem na Câmara de Comércio França-Brasil, em defesa a Bolsonaro, com bastante sensibilidade, pelo jeito.

“Todo mundo vê a região da Floresta Amazônica como um patrimônio da humanidade. É muito sensível qualquer coisa que acontece naquela região”, declarou logo depois no mesmo evento. E pôs panos quentes: “com o discurso dele de sexta eu acho que ele reposicionou isso e colocou as Forças Armadas para irem à região amazônica e estancar esta crise”, finalizou Rodrigo Maia.


Tarde da noite

O ambiente no meio político continua agitado. Mas o que deve ter chateado mesmo os presidentes, tanto Jair Bolsonaro, quanto Donald Trump, foi o resultado na pesquisa na parte envolvendo o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). E ela indica que não convém, pelo menos por enquanto, colocá-lo na Embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Nada menos que 72,7% reprovam a sua indicação, registra ainda a pesquisa. O problema maior, no entanto, é quanto isso vai pesar nas sabatinas E olha que ele revelou nas redes sociais que está estudando até altas horas da noite para enfrentar a sabatina em que será submetido no Senado.


Tucanou...

Já que falamos no presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM–RJ), ele corre o risco de deixar o seu partido e se filiar ao PSDB, isso mesmo, ao ninho tucano e entrar em uma fria ao pular o muro e nada conseguir. “Tudo o que gerar polêmica agora não vamos pautar, mesmo tendo clareza que um projeto é importante e não avance nenhuma flexibilização no nosso meio ambiente”. E fez questão de ressaltar: “se no momento o projeto pode gerar polêmica e distorções de narrativas, é melhor deixar para depois”.

Comercial errado

“Foi oportunista. Foi um problema interno do Brasil, que prejudica a imagem do país, que já não anda muito bem. Só que o bom senso prevaleceu na reunião do G7”. Quem perdeu a oportunidade de ficar calada foi a ministra da Agricultura, Tereza Cristina”. Ela passou recibo ao trecho em que declara “que já não anda muito bem” a imagem brasileira pelo mundo afora. E mostrou-se ressabiada ao acrescentar que: “as relações comerciais com a Europa, depois da assinatura do acordo que deixou, com certeza, alguns países preocupados pela pujança do nosso agronegócio e pelo mercado que nós podemos tirar”.

Só rezando

(foto: Alan santos/PR)
(foto: Alan santos/PR)

Uma oração no tweet: “Amanhã, 27/ago, às 10h, em reunião com governadores da Amazônia, a verdade sobre o que os  outros querem com essa rica região. Será um João 8:32 imperdível, transmitido em nossa LIVE”. E tratou de detalhar o versículo bíblico 8:32 do evangelho de João Evangelista, um dos apóstolos de Jesus. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” Bem, quem disse que tudo estava sob controle e os focos de incêndio estão diminuindo, foi o ministro-general da Defesa, Fernando Azevedo e Silva (foto), que foi comandante da Brigada de Infantaria Paraquedista. Deve ter sobrevoado.



Para encerrar

O Congresso instala hoje a Comissão Mista Permanente de Mudanças Climáticas (CMMC). Ela é formada por 11 senadores e 11 deputados federais, além de suplentes. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) pretende que ela centralize o debate sobre os incêndios nos estados da Amazônia. Também deve participar o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Quem sabe o clima muda e a chuva ajude a restaurar a devastação que houve na Amazônia?

Pinga-fogo

Alô gordinhos!: “Os recursos são destinados às ações de promoção da alimentação saudável e prevenção de doenças como sobrepeso, obesidade, desnutrição e anemia, além de qualificar equipes de profissionais que atuam na área”.

O Ministério da Saúde liberou R$ 31,9 milhões para incentivar ações de alimentação e nutrição nos serviços de Atenção Primária. Deste total, são R$ 24,6 milhões para custeio dos serviços em 1.259 municípios do país. E teve ainda R$ 7,3 milhões para compra de equipamentos.

Futebol e política se discute sim. Pelo menos na Assembleia Legislativa (ALMG). A reunião foi requerida pelo deputado Professor Cleiton (DC) e está marcada para hoje, às 14h30, no Plenarinho I.

“Além da falta de acessibilidade, também são muitas as reclamações sobre a desorganização da entrada, sobretudo dos sócios torcedores do Cruzeiro, o que dificulta ainda mais o acesso de pessoas com deficiência e idosos no local”, destaca o Professor.

Melhor| então a empresa privada se explicar, já que será convidada a participar da audiência pública a Comissão de Esporte, Lazer e Juventude da ALMG. Diante disso, o melhor é pedir ao juiz para decretar logo o apito final por hoje.


Publicidade