Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

O PIB derrapando e expulsão de partido

Como tudo tem de passar por Minas Gerais na política, o deputado estadual Coronel Sandro (PSL) aplaudiu a expulsão do deputado federal Alexandre Frotaa


postado em 14/08/2019 06:00 / atualizado em 14/08/2019 08:27

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
A semana já tinha começado mal com a Argentina no meio do caminho. E continuou com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), leia-se crescimento. E ele é considerado uma espécie de prévia do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de riquezas produzidas no país. Se o ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu “um ano ou dois anos” para colocar a economia nos trilhos, o risco é o próprio governo descarrilar.
 
Ainda mais com o protagonismo que não vem do governo federal, mas do Congresso, em especial do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seguido à risca pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). A reforma da Previdência fala por si. E o único gesto que Bolsonaro fez foi exonerar ministros para votá-la.
 
Como tudo tem de passar por Minas Gerais na política, bolsonarista de carteirinha, o deputado estadual Coronal Sandro (PSL) aplaudiu ontem a expulsão do deputado federal Alexandre Frota do seu partido. “Passou da hora de ser expulso. Ele contrariou todas as diretrizes partidárias e votou contra a reforma da Previdência. Mas antes disso já estava dando sinais de que aproveitou a onda do Bolsonaro para se eleger. Nunca foi nada”, comentou o coronel.
 
Ele ainda foi além ao lembrar que Frota, ator pornô, criticou atos do presidente da República, e o último foi ser contra a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador do Brasil nos Estados Unidos. O deputado estadual Bruno Engler (PSL) não perdeu caminhada e fez questão de acrescentar: “Foi embora em boa hora”. E olha que ele também é bolsonarista de primeira hora.
 
Continuando em solo mineiro, quem esteve em Belo Horizonte ontem foi a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, E ela foi em um local emblemático na cidade que abrigava a Fafich, a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, nada menos que um dos marcos, quiçá o principal, da resistência ao regime militar em Belo Horizonte.
 
Deve ser por isso que, ao visitar o canteiro de obras abandonado, no alto da Rua Carangola, será que ela temia uma manifestação por lá como nos velhos tempos? “Podemos encontrar um outro destino para esse prédio, mas o memorial, não temos recursos para isso”. Então, desmemoriado, ficamos assim. Nem adjetivos à ministra Damares, afinal, já que ela é também é da Família, melhor ser educado. Ah! E também com o ministro da Educação, Abraham Weintraub.
 
Se tem ainda a Lei da Palmada de Damares, melhor encerrar por aqui, antes de apanhar de chinelo e da mão pesada da ministra. Afinal, a xícara de cafezinho com o jeitinho bem mineiro, novinho, quentinho e coado na hora que ela tomou com o governador Romeu Zema (Novo).

É hoje!
O presidente da Assembleia Legislativa (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), e o presidente da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, João Leite (PSDB), comemoram a abertura dos trabalhos do Plano Estratégico Ferroviário (PEF). A reunião, que exigiu muito esforço de todos os envolvidos durante um bom tempo, finalmente será colocada nos trilhos oficialmente. O evento será no Salão Nobre da Casa, às 16h, e terá a devida participação de representantes de inúmeras entidades governamentais e organizações da sociedade civil.

Impacto positivo
O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe  esteve em Brasília, ontem, em compromisso importante para o estado. Nada menos que para defender a implantação de projetos estruturantes que podem impactar de forma positiva a economia mineira. E foi na antessala do gabinete presidencial ao ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Baptista Ramos Pereira, a quem Roscoe apresentou propostas que fazem parte do “Plano de Investimento – Pacto por Minas”.

Meio século
É isso mesmo, trata-se da Feira Hippie, que é patrimônio cultural de Belo Horizonte há quase 50 anos. E tem disponíveis, embora haja controvérsias, produtos como bijuterias, brinquedos, móveis, bolsas, roupas e calçados feitos de forma artesanal. A parte política é que o vereador Pedro Patrus (PT) pede à prefeitura que atualize as informações sobre tanto sobre a gestão da feira quanto aos atuais permissionários.

Registro austríaco
Brasilien hat einen Idioten gewählt. “Sieben Monate nach seinem Amtsantritt hat Brasiliens Präsident Jair Bolsonaro jede Zurückhaltung abgelegt. Er betreibt Geschichtsklitterung, verbreitet Verschwörungstheorien und macht seinen Sohn zum Botschafter in den USA”. É o jornal austríaco Die Presse tratando dos sete meses no cargo do presidente Jair Bolsonaro, não consegue se conter. E pegou pesado: “Ele é um mentiroso, espalhando teorias da conspiração e tenta nomear seu filho embaixador nos Estados Unidos”, claro que em referência ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Por fim…
Só faltava esta. Agora, tem o Instituto de Pesquisas DataBolsonaro: “54,3% dos medalhistas são atletas das nossas Forças Armadas”. O afago aos medalhistas. Vale um registro, que ele vem desde que foi criado o Programa Forças no Esporte no Ministério da Defesa em 2008. Era a preparação para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, e, como não poderia deixar de ser, para os Jogos Olímpicos do Rio em 2016.

pingafogo

Agora é lei! Foi publicada no Diário Oficial da União a Lei 13.865, que dispensa o habite-se de todas as moradias populares do Brasil com caráter unifamiliar, de pavimento térreo e construídas há mais de cinco anos.

A nova regra é oriunda do PLC 164/2015, apresentado pelo senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), que foi deputado federal antes por dois mandatos. Só que a notícia foi trocada por outra, porque o filho dele com a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) usou, de novo, carro oficial para ir à academia.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, usou o Twitter para defender a continuidade dos trabalhos da força-tarefa da Operação Lava -ato da Polícia Federal (PF) em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF).

É, pelo jeito, anda feia a coisa por lá. “Enquanto houver casos complexos de corrupção e que demandam atuação de esforço concentrado em equipe, a força-tarefa tem que continuar”. Se precisa continuar, o que seria óbvio, é sinal de que há algo mais no ar.

Sendo assim, já que teve pedido de vista da oposição, a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional sobre o uso da Base de Alcântara (foto), melhor levantar voo por hoje. E sem lançar foguetes. Um bom dia a todos, já que o clima vai começar a esfriar. O clima mesmo, não político.


Publicidade