Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

De marcha a ré ontem Bolsonaro monopoliza

E o presidente começou perguntando: 'O que eu falei de mais para vocês? Me respondam. O que eu tive conhecimento na época. Eu ofendi o pai dele?'


postado em 03/08/2019 06:00 / atualizado em 03/08/2019 08:58

(foto: YOUTUBE/REPRODUÇÃO INTERNET)
(foto: YOUTUBE/REPRODUÇÃO INTERNET)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) engatou, ou tentou, uma marcha a ré sobre as suas declarações nos últimos dias, que não foram poucas, mesmo se tratando de documentos oficiais e devidamente comprovados. Ontem foi sexta-feira, mas é melhor não brincar com coisa séria, embora haja tantos memes quando o fim de semana se aproxima.

E o presidente começou perguntando: “O que eu falei de mais para vocês? Me respondam. O que eu tive conhecimento na época. Eu ofendi o pai dele?”. Ele próprio respondeu: “Não ofendi o pai dele. O que eu tive conhecimento na época, o assunto foi esse”. Bolsonaro tratava do pai de Felipe Santa Cruz, atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, de acordo com a Comissão da Verdade, foi alvo da ditadura militar e o último registro disponível sobre é que ele foi preso em fevereiro de 1974 e nunca mais foi visto depois disso.

Quem quer ver, no entanto, são os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Bolsonaro, no entanto, não é obrigado a responder aos questionamentos feitos pelos ministros da mais alta corte de Justiça do país. Mas não passou recibo: “Mesmo não sendo obrigado, eu presto. Eu não falei nada de mais, eu vou entregar o vídeo, vou fazer a degravação e mandar”.

Se índio não quer apito e o presidente da República desistiu também da demarcação de terras indígenas com endereço certo para a bancada ruralista se esbaldar, o melhor a fazer é ficar por aqui. É recomendável, porque a Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, a ministra da Agricultura, já tinha sido devidamente jogada para escanteio em outra decisão do Supremo. Para deixar claro, foram os ruralistas que a indicaram ao presidente Bolsonaro para o cargo.

“É ou não é feio de doer?” A pergunta provocativa não é da coluna, é de Abraham Weintraub, ministro da Educação, que publicou no Twitter um mural de Paulo Freire que fica em frente ao MEC. De fato, deve ter doído em Weintraub, já que Paulo Freire é estudado em universidades norte-americanas, homenageado com escultura na Suécia, nome de centro de estudos na Finlândia e inclua ainda Kosovo (que era parte da antiga Iugoslávia).

E tem mais. De acordo com levantamento do pesquisador Elliott Green, professor da Escola de Economia e Ciência Política de Londres, na Inglaterra, o livro fundamental da obra do educador, Pedagogia do oprimido, escrito em 1968, é o terceiro mais citado em trabalhos acadêmicos na área de humanas em todo o mundo. Basta!

Nave espacial
Quem pegou, para voar com destino ao espaço sideral, foi o comandante do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Ricardo Galvão, embora tenha estado no governo a convite e junto com o ministro-astronauta Marcos Pontes (foto), que foi ao espaço na Soyuz TMA-8. A sua presença, vale lembrar, coincidiu com o centenário de Alberto Santos Dumont, o que voou em 1906 no 14 Bis. Voltando ao ex-presidente do INPE, ele é físico, engenheiro, professor titular do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP) e integrante da Academia Brasileira de Ciências.

A viva voz
Devidamente ensaiada. “Não existe nenhuma indicação para não favorecer uma região ou outra. Isso não existe, pelo contrário. Este ano tivemos muito mais dinheiro para a Região Nordeste. O que acontece é que você tem uma série de esteiras de análise. Neste momento, estamos analisando, inclusive, para o estado da Paraíba e para o município de São Luís.” O presidente Bolsonaro permitiu que repórteres ouvissem a declaração do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, sobre a discriminação ao Nordeste. Adiantou não, números não mentem: R$ 4 bilhões para governadores e prefeitos de todo o país. Ao Nordeste, 10 operações financeiras, cerca de 2,2%, ou R$ 89 milhões.

Jogo pesado
Pressão de cá, vem que não tem de lá. Supremo quer afastar o procurador Deltan Dallagnol por causa do presidente da mais alta corte de Justiça do país, Dias Toffoli. “Em suma, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, não convocou, nem fez reunião na quinta-feira, nem em qualquer outra data anterior ou posterior, com o propósito de afastar o procurador Deltan Dallagnol” da condução dos processos que tramitam na Operação Lava-Jato da Polícia Federal (PF) e é em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF). Tem briga boa no ar por aí.

O currículo
“Violência injustificável”, ataca o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) Antônio Donato Nobre, nada menos que um PhD em Earth System Sciences (Biogeochemistry) pela University of New Hampshire. Hoje, é pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e pesquisador no Centro de Ciência do Sistema Terrestre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Quer mais? Atua em evolução da vida na Terra, ecologia de florestas, efeito estufa, relações ‘biosfera-atmosfera’, hidrologia, clima, sensoriamento remoto, modelagem matemática da paisagem e por aí vai.

Call Brumadinho
“Nossa mensagem continua a mesma: como ainda existe risco de a represa ceder, fiquem longe da área.” Se precisar, basta então chamar a força-tarefa que monitora Brumadinho para ajudar, já que a polícia de Derbyshire emitiu alerta de inundação grave para a área do Rio Goyt se subir rapidamente. O melhor, no entanto, é a recomendação: os moradores foram orientados a levar seus animais de estimação e todos os remédios de que necessitem consigo. Não adiantou muito, já que teve moradores que se recusaram a deixar suas casas.

pingafogo

n Com amigos assim, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seu filho Eduardo não precisam de inimigos.  “Eduardo nada tem de diplomático, haja vista ter aventado até mesmo o fechamento do STF por um cabo e um soldado.” A frase é do deputado Alexandre Frota (foto) (PSL-SP).

n Afinal, ele está contrariando nada menos que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que tem Eduardo Bolsonaro em alta conta, desde quando ele o visitou em Washington. “É extraordinário, jovem brilhante, incrível, estou muito feliz pela indicação”, ressaltou recentemente.

n Depois das férias, que tucanaram chamando de “recesso branco”, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pelo jeito, voltou com o gás todo. Marcou uma coleção de sessões para a semana que vem.

n Entre terça e quinta-feira, marcou oito sessões. É o prazo exigido para cumprir os prazos regimentais e concluir a votação em segundo turno da reforma da Previdência, aquela que foi aprovada com 379 votos, quando o exigido eram 308 dos 513 votos disponíveis.

n Para especialistas em educação ouvidos pela BBC News Brasil, entretanto, a raiz da controvérsia em torno da pedagogia de Paulo Freire não é sua aplicação em si – mas o uso político-partidário que foi feito dela, historicamente e, mais do que nunca, nos dias atuais. Sendo assim, bom dia a todos.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade