Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA MARINA

Confira passo a passo para garantir o barbear perfeito e evitar foliculite

Entre os cuidados está a esfoliação da área da barba uma vez por semana, o que evita o encravamento dos pelos


04/09/2021 04:00 - atualizado 04/09/2021 07:44

None
(foto: Pixabay/DIVULGAÇÃO )
Moda agora é homem de barba grande, algumas delas bem definidas, outras largadas ao léu. O que não existia há pouco tempo tornou-se mais do que comum, algumas vezes combina com o personagem, outras não. E como acontece com a cabeleira feminina, que atualmente deve também que ser longa, as curtas são pouco vistas, a barba masculina deve ser tratada para ser legal. Um problema é a foliculite, velha conhecida dos homens que têm o costume de raspar ou remover os pelos do rosto ou do corpo em suas rotinas de cuidados pessoais. Em formato de pequenas bolinhas avermelhadas, com ou sem pontas brancas, trata-se de uma inflamação nos folículos pilosos motivada pelo crescimento dos pelos, podendo haver o envolvimento de bactérias ou fungos.

De acordo com a médica dermatologista Judith Cavalcante, a foliculite pode se apresentar de duas formas: a pseudofoliculite, tipo mais comum, que ocorre em pessoas predispostas quando o pelo é raspado muito rente à superfície e tem a ponta cortada retornando ao interior da pele, o que gera um trauma quando o fio cresce; e a foliculite verdadeira, que ocorre quando, através de pequenos cortes gerados pelo barbear, os folículos pilosos são infectados por micro-organismos.

"A foliculite pode piorar com o barbear traumático, que ocorre quando a lâmina é passada na pele repetidas vezes ou quando os instrumentos descartáveis já 'cegos' são reutilizados, gerando pequenos cortes e predispondo à infecção por micro-organismos", explica a médica. Ela reforça ainda que outro fator que pode agravar o problema é o uso de instrumentos de barbear infectados por bactérias ou fungos, ou não higienizados adequadamente.

Há uma tendência individual relacionada a fatores genéticos e a curvatura do pelo ao crescer, que contribui para o surgimento do problema na pele. "A foliculite afeta até 83% dos homens negros em decorrência da curvatura do folículo piloso, que é mais acentuada em fototipos mais altos como a pele negra. Mas a boa notícia é que com os devidos cuidados é possível controlar o problema", explica a especialista.

Confira o passo a passo de cuidados indicados para uma rotina de beleza masculina que garanta um barbear perfeito e saudável para a pele.

Cuidados para quem tem foliculite:

• Evite o barbear rente, com lâminas descartáveis ou navalhas se você tem tendências à pseudofoliculite

• Opte por barbeadores elétricos, que cortam o pelo a certa distância da pele, evitando a inflamação

• Antes de remover os pelos, limpe adequadamente a área a ser barbeada com sabonete específico para o seu tipo de pele e água morna

• Use espuma ou creme de barbear suaves para amenizar o atrito no barbear

• Estique a pele com a mão livre para apoiar bem o instrumento escolhido, evitando cortes e melhorando o resultado do barbear

• Raspe sempre no sentido do crescimento do pelo

• Após barbear, aplique água termal ou um hidratante suave para acalmar a pele

• Esfolie a área da barba suavemente uma vez por semana, preferencialmente quando os pelos estão saindo da pele. Isso previne o "encravamento" e melhora o resultado do barbear

O que evitar para não agravar a foliculite:

• Manipular ou espremer as lesões, pois isso atrasa a recuperação da inflamação e pode gerar novas infecções

• Usar medicamentos sem orientação médica

• Voltar a barbear a área irritada. O trauma deve ser evitado até que a pele esteja totalmente recuperada

• Falta de higiene na área de barba

• Manter a área molhada, facilitando assim a infecção por fungos

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade