Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA MARINA

Saiba como pode ser feito o tratamento de melasma

Exposição ao sol sem proteção é a principal causa do aparecimento de manchas na pele


11/09/2020 04:00 - atualizado 11/09/2020 07:51

Exposição ao sol sem proteção é a principal causa do aparecimento de melasma (foto: REPRODUÇÃO DE INTERNET)
Exposição ao sol sem proteção é a principal causa do aparecimento de melasma (foto: REPRODUÇÃO DE INTERNET)
Adolescente, ganhei no rosto, que naquela época não estava em foco com a criação de tantos cremes, aquelas famosas sardas que, parece, desapareceram do mapa. Para consertar o problema, o que se usava era um creme chamado Antisardina, que também não é visto em lugar nenhum. Como a idade cobra a passagem do tempo, estou ganhando as tradicionais manchas senis, para as quais ainda não encontrei um creme milagroso. Outro lance que marca o rosto é o melasma, caracterizado pela aparição de manchas escuras na pele.

A coloração da pele é dada por um pigmento natural do ser humano chamado melanina, que a protege contra os efeitos dos raios solares. As manchas são uma condição comum em qualquer idade e surgem devido à alta produção de melanina na região atingida. O corpo reconhece uma "mudança estranha" proveniente de diferentes fatores – heranças genéticas, alterações hormonais causadas por uma gravidez ou uso de anticoncepcionais e exposição excessiva ao sol, entre outros – e reage por meio da hiperpigmentação para proteger a pele.

"Basicamente, o corpo fabrica uma quantidade de melanina maior do que a normal que, quando acumulada, forma as manchas", explica a dermatologista Carolina Zerbini, formada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), preceptora na PUC-São Paulo, no câmpus de Sorocaba, e especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. As manchas em geral acometem as pessoas, independentemente da idade, enquanto o melasma surge com maior frequência entre mulheres adultas. Ele é muito comum no rosto, mas também pode estar presente nos braços, pescoço e colo.

A principal causa do melasma são os raios solares, já que muitas pessoas não costumam passar filtros solares. "Existe uma variedade de produtos para proteção da pele contra a radiação ultravioleta ou mesmo a luz visível: em creme, com tonalizantes, em spray e dedicados para cada tipo de pele", alerta Zerbini. Cetaphil sun é o fotoprotetor da Galderma, com fator de proteção solar (FPS) 70, com ou sem cor, de uso diário e desenvolvido especialmente para pele oleosa. Há uma outra versão em formato de spray, com FPS 30 e para todos os tipos de pele, e em loção, com FPS 50 e para pele muito sensível.

"A versão com cor ajuda a proteger ainda mais a pele, já que esse tipo de filtro solar confere proteção contra os raios UV e contra a luz visível", comenta a médica. Além de o uso imprescindível do protetor solar ajudar contra a formação de manchas, ele também evita o envelhecimento precoce. É importante que o protetor seja aplicado em qualquer estação do ano, mesmo para o dia a dia. Outra dica de cuidado para proteção da pele é hidratá-la. "Pele hidratada é pele saudável. A hidratação ajuda a manter a barreira cutânea firme e equilibrada, o que está diretamente ligado à menor formação de manchas", afirma.

A linha de produtos especiais também tem cremes e loções hidratantes de ação instantânea, profunda e prolongada. Vale lembrar que consultar um médico dermatologista é essencial para definir os melhores tratamentos. "As atividades contra o melasma preveem um conjunto de medidas eficazes a fim de clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte, como a própria Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda", esclarece Carolina Zerbini.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade