Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Pandemia faz SPFW celebrar 25 anos com comemoração virtual

São Paulo Fashion Week, principal evento de moda do país, apresentará agenda de conteúdos históricos e inéditos de 4 a 8 de novembro


10/09/2020 04:00 - atualizado 09/09/2020 20:16

Desfile de Ronaldo Fraga na edição 2019 do São Paulo Fashion Week: mineiro é um dos nomes mais constantes no principal evento de moda do país(foto: NÉLSON ALMEIDA/AFP)
Desfile de Ronaldo Fraga na edição 2019 do São Paulo Fashion Week: mineiro é um dos nomes mais constantes no principal evento de moda do país (foto: NÉLSON ALMEIDA/AFP)
 

Não sei se era muita badalação, mas o certo é que quando Paulo Borges criou o São Paulo Fashion Week, há 25 anos, a maior festa que a moda nacional já promoveu, era realmente um acontecimento. Os desfiles realizados em São Paulo se transformaram em lançamentos que reuniam não só a imprensa nacional e internacional, mas também uma boa fatia da sociedade. Resultado disso é que as criações de grifes pouco conhecidas se tornaram notícia, propiciando um verdadeiro mercado para um segmento industrial com muitos funcionários (na época, só a construção civil tinha mais empregados).

 

Cresceram os estilos, cresceram os verdadeiros criadores e quem tinha realmente força e talento conseguiu se sobressair. Quem apenas embarcava na badalação sumiu sem deixar rastro. De Minas, um dos nomes mais constantes e que continuou sempre foi o de Ronaldo Fraga, que continua fazendo história e mantendo seu talento em alta. Minas atraía – e de certa forma foram os desfiles do Grupo Mineiro de Moda (GMM) que alertaram Paulo Borges para montar sua semana de moda. O GMM acabou tristemente, mas Borges continua labutando para dar continuidade ao evento.

 

Foi por isso que, em 12 de março, antes da terrível pandemia fechar o mundo, Paulo Borges reuniu equipe e as principais empresas de moda do país e antecipou-se ao que estava chegando no mundo. Borges decidiu, em sua comunicação, que não haveria a edição de número 50 da São Paulo Fashion Week, prevista para outubro. "Foi a primeira vez em 25 anos que isso aconteceu. Fomos na contramão dos governos municipal, estadual e federal, cancelamos antes de qualquer decreto", falou Borges. Este 2020 havia sido traçado para trazer novidades e celebrar os 25 anos do SPFW. Mas a pandemia inverteu planos e lógicas, brecou o consumo e impôs novas atitudes.

 

De lá pra cá, todo o planejamento foi revisado, ouvindo o mercado e procurando ajustar de que forma seria possível acolher as marcas e projetar os próximos passos em resposta às novas dinâmicas impostas por esse novo contexto. Em princípio, acreditou-se que seria possível que, até o fim do ano, o cenário seria favorável para a realização de uma nova temporada de lançamentos, de 4 a 8 de novembro. Chegou-se até a se desenhar um formato híbrido, observando todos os protocolos de saúde, com uma estrutura física reduzida e restrição de público. Mas a avaliação final levou à conclusão de que seria inevitável a concentração de inúmeros profissionais que atuam nos bastidores dos desfiles e que, apesar de todos os cuidados, ficariam expostos a riscos.

 

A saída encontrada foi transferir para 2021 o projeto do Festival SPFW +. A solução, para a data não ficar em branco, foi transferir para a semana de 4 a 8 de novembro a celebração dos 25 anos de história do SPFW. A comemoração será realizada com um evento essencialmente digital, a partir de uma agenda de conteúdos históricos e inéditos, ampliados pelas redes e compartilhados em múltiplas projeções.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade