Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Como agir em casos de dente quebrado, queda sangramento e dor?

Ortodontista enumera oito dicas para ajudar a abordar possíveis problemas com a dentição Tags


26/08/2020 04:00

Criei um bordão para meu primo dentista: “Basta abrir a boca para sair um carro”. Ele acha a maior graça e dá os preços dos colegas. Realmente, dentistas são um caso à parte. Deve ser por isso que no Canadá, onde o serviço médico da população é todo gratuito, os dentistas não estão incluídos. Mas dentes têm uma necessidade constante de controle. Principalmente para evitar emergências. Quem fala delas é a especialista em ortodontia Silvia Reis, que aborda muitos problemas que parecem comuns, mas são pouco conhecidos:

1. O que fazer quando um dente cai? 
Antes de tudo, é importante colocar o dente em um copo com leite ou soro fisiológico, pois esses líquidos são capazes de manter vivas as células necessárias para um possível reimplante. Outra dica fundamental é não lavar ou esfregar o dente para não haver risco de eliminar tais células. Nesses casos, o procedimento de reimplante deve ser feito em, no máximo, duas horas. Quanto maior o tempo entre o acidente e a cirurgia, menor o índice de sucesso.

2. E se o dente quebrou, o que fazer? 
Pedaços maiores de dente quebrado podem ser mantidos em soro fisiológico ou leite e levados ao dentista para ser colados na parte do dente que permaneceu. Se eles não forem localizados, não estiverem em bom estado ou a quebra não for tão grande, restaurações com resinas ou cerâmicas reabilitam perfeitamente a estética e a função da falha. Grande ou pequena, a quebra exige um controle radiográfico para verificar se houve danos à polpa do dente. Se a resposta for positiva, será preciso fazer um tratamento de canal.

3. O que fazer em caso de sangramento da gengiva? 
Sangramentos muito abundantes são raros e geralmente associados a doenças graves. Logo, é imprescindível ir a um pronto-socorro hospitalar imediatamente. Os sangramentos mais frequentes, decorrentes da escovação e do uso de fio dental, são moderados e têm a ver com doenças periodontais, como a gengivite e a periodontite. Normalmente, cessam rapidamente, o que não elimina a necessidade de procurar um periodontista o quanto antes para que seja indicado o tratamento adequado.

4. Como agir em caso de sangramento da língua ou dos lábios?
Isso costuma ser decorrente de acidentes com cortes. Para cortes pequenos, umedeça uma gaze com água filtrada e comprima a região para controlar totalmente o sangramento. Para cortes maiores, o mesmo procedimento deve ser realizado, com a diferença de que se deve manter a gaze pressionada sobre a área até chegar a um serviço de emergência para que uma sutura seja feita por profissionais.

5. Como proceder se houver a desconfiança de quebra ou deslocamento da mandíbula? 
Deve-se ir imediatamente ao pronto-socorro e procurar um profissional do setor de emergência bucomaxilofacial. Serão investigadas possíveis fraturas nos ossos da face por meio de radiografias e tomografias e, em seguida, definida a necessidade ou não de cirurgia, além da indicação de exames complementares e tratamentos adequados.

6. Como remover, com segurança, objetos presos na boca ou entre os dentes? 
Em primeiro lugar, mantenha o corpo ereto e não tombe a cabeça para os lados ou para trás, para evitar que os objetos caiam por acidente no sistema respiratório. Dirija-se a um pronto-socorro odontológico. As chances de machucar ainda mais a boca ao tentar fazer a retirada sem auxílio especializado são grandes. No caso de algo preso entre os dentes, o mais comum é que sejam restos de comida. Use fio dental para removê-los.
7. Como aliviar uma dor de dente inesperada até conseguir chegar a um profissional? 
Analgésicos e anti-inflamatórios são suficientes para controlar a dor até a intervenção profissional. Mas somente o dentista poderá diagnosticar o problema, agir com medicação local, fazer os procedimentos corretos e sanar de fato a origem da dor.

8. O que fazer se a bochecha começar a inchar, aparentemente sem explicação? 
O inchaço normalmente é consequência de uma inflamação, sendo prudente ir ao dentista para checar o motivo do inchaço, que pode ser desde algum alimento acumulado por baixo da gengiva até caxumba, passando por inflamação nos dentes ou no osso ou, ainda, alergia.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade