Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Saiba qual exercício físico é indicado para controlar o diabetes

Seja aeróbica ou anaeróbia, atividade física ajuda no controle e prevenção da taxa de glicemia


postado em 14/05/2020 04:00

Seja aeróbica ou anaeróbica, atividade física ajuda no controle e prevenção do diabetes (foto: Smart Fit/Divulgação)
Seja aeróbica ou anaeróbica, atividade física ajuda no controle e prevenção do diabetes (foto: Smart Fit/Divulgação)
Uma tradição familiar, pelo menos até a minha geração, era não se ligar a exercícios físicos. Só tive um irmão que jogava futebol de salão e até viajava com seu time, um caso raro. Meu neurologista, Francisco Cardoso, não acha a menor graça quando me recomendava fazer exercícios e eu finjo que faço. Precisava fazer, principalmente por causa do diabetes. Quando era mais nova, ia de minha casa, no Gutierrez, até o jornal, na Rua Goiás. Subia a ladeira da Álvares Cabral numa boa, não chegava nem a suar. A idade chegou e para andar uns 10 minutos sofro bem. E até devia fazer pelo menos esse exercício para tentar melhor o desempenho do meu exame de glicemia, que não está tão legal quanto meu outro médico, Walter Caixeta, gostaria. Só que credito o aumento do resultado do exame que faço toda manhã ao estresse provocado pela situação atual. Para quem não tem preguiça de malhar, a coluna trás hoje recomendações de uma especialista.

Diante das limitações impostas pelo período de quarentena, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) explica como diferentes exercícios físicos podem contribuir para a estabilidade glicêmica, sendo uma ferramenta eficaz para o controle e prevenção do diabetes. Segundo a endocrinologista Andrea Fioretti, membro do Departamento de Nutrição, Exercícios e Esporte em Diabetes da SBD, cada tipo de exercício atua de modo distinto no corpo. Enquanto os aeróbios (como caminhada rápida, natação e ciclismo) estimulam a queda nos níveis de glicemia, os anaeróbios (musculação e outras atividades de força ou resistidas) promovem sua manutenção ou elevação. A médica, contudo, aponta outros fatores que as pessoas com diabetes devem observar ao escolher seus exercícios físicos.

A atividade física é muito importante para a manutenção da saúde como um todo. No caso do diabetes, os exercícios ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, pois aumentam a sensibilidade à insulina. Além disso, colaboram para a redução/controle do peso e promovem melhorias no condicionamento do sistema cardiovascular.

Durante a prática de exercícios aeróbios, os músculos tendem a captar mais glicose por um período de até duas horas (por mecanismos independentes da insulina) e por 48 horas (por meio de mecanismo dependente da insulina). Dessa maneira, o exercício aeróbio provoca a queda da glicemia.

Em outra medida, os exercícios anaeróbios ou resistidos, por meio de pesos livres, garrafas pet com água ou areia, aparelhos de musculação, ou mesmo calistenia, provocam a manutenção ou elevação da glicemia, evitando quadros de hipoglicemia durante o esforço. “Como o exercício anaeróbio é de curta duração e alta intensidade, exige uma mobilização rápida e aguda das fontes de carboidratos e gorduras para a obtenção da energia adequada para o esforço. Para tanto, ocorre uma elevação significativa dos hormônios hiperglicemiantes. Dessa forma, esse tipo de exercício físico eleva ou mantém a glicemia”, comenta a especialista.

A endocrinologista comenta que ambos os tipos de exercícios são importantes e complementares para as pessoas com diabetes: os aeróbios atuam no condicionamento cardiovascular. E os anaeróbios no ganho de massa muscular e força. “Uma estratégia interessante para melhoria do controle glicêmico é escolher a sequência dos dois tipos de exercício na sessão do treino, combinados a depender da glicemia realizada antes da sessão, ou seja, iniciar a sessão de treino com o exercício resistido quando a glicemia estiver tendendo a cair; e o aeróbio quando a glicemia estiver relativamente mais alta ou tendendo a se elevar antes do esforço”, sugere a endocrinologista.

Outra opção é selecionar o tipo de exercício a ser realizado a depender da glicemia pré-treino, quando apenas um dos tipos de exercício for praticado: praticar o resistido quando a glicemia estiver normal ou tendendo a cair e praticar o aeróbio quando a glicemia estiver relativamente mais alta ou tendendo a se elevar antes do esforço.

Andrea Fioretti orienta ainda para que as pessoas com diabetes realizem uma avaliação médica detalhada para a triagem de possíveis complicações secundárias ao diabetes, que exigem prescrição individualizada de exercício e alerta sobre a importância da monitorização da glicemia antes, durante e após o exercício para que o indivíduo realmente usufrua dos benefícios da prática do exercício. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade