Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Meditação está na moda. Saiba como praticá-la!

Prática que proporciona recursos internos para lidar com ansiedade e estresse, ganhou sofisticação, é feita em empresas e passou a ser chamada em inglês de mindfulness


postado em 13/02/2020 04:00

Meditação pode ser feita em companhia de outras pessoas, o que gera motivação e troca de experiências(foto: PixaBay/Reprodução)
Meditação pode ser feita em companhia de outras pessoas, o que gera motivação e troca de experiências (foto: PixaBay/Reprodução)
Meditação sempre fez parte do universo zen. Os amantes do ioga, pessoas que são ligadas à espiritualidade. No ano passado, a prática ganhou sofisticação, passou a ser chamada em inglês de mindfulness e ficou na moda. Não podemos negar que faz bem para quem realmente consegue se desligar e relaxar. Causa, sem dúvida, um impacto positivo em nossa vida: reduz o risco de estresse, depressão e ansiedade, e ajuda no controle das emoções. Outro dia, fui a uma médica e uma das receitas foi: faça meditação. Inclusive, me indicou um aplicativo para ajudar nos exercícios.

Segundo a médica, como é o nosso cérebro que comanda todo o nosso organismo, ele tem que receber os estímulos corretos para, então, fazer o corpo funcionar bem. Se mandamos mensagens de estresse, medo, angústia, etc., ele joga toda essa tensão no corpo, e o organismo trava. Portanto, uma das formas de harmonizar tudo isso e acabar com o estresse é praticando a meditação, ou melhor, o mindfulness. Afinal, temos que usar os termos atuais.

Estudos mostram que entre oito e 12 semanas de práticas formais diárias já trazem mudanças psicológicas positivas. Então, o que é preciso saber para praticar o mindfulness?

Segundo a coach Vivian Wolf, como prática contemplativa e de aquietamento da mente, o mindfulness oferece, de maneira focada, tempo para relaxamento e conscientização de nosso estado. Ele proporciona recursos internos para lidar com ansiedade e estresse, cujos sentidos são muitas vezes alterados e influenciados negativamente. Com a prática, o mindfulness tem o potencial não somente de trazer alívio temporário do estresse, mas de transformar nossa maneira de interagir com o mundo. E nos treina a focar a atenção em uma coisa só, no presente, sem julgar ou reagir. “Por isso, a técnica, além de aumentar a concentração e a eficiência, torna as pessoas mais receptivas e menos reativas. Pense no mindfulness como um mastro segurando a bandeira de nossos pensamentos e fazendo um contraponto positivo ao nosso caos mental e distração contínua.”

A meditação pode ser praticada por pessoa de qualquer idade, inclusive crianças. Segundo a especialista, introduzir o mindfuness no cotidiano requer motivação, tempo para si e disciplina. No início, uma prática diária de cinco a 10 minutos pode ser uma boa maneira de começar e se automotivar. À medida que vai se aprofundando na técnica, pode aumentar o tempo. O recomendado é entre 20 a 45 minutos diários.

Não importa se vai meditar de manhã, à tarde ou à noite, mas é importante que faça isso em um lugar tranquilo e silencioso, de preferência sempre no mesmo local, e de maneira que fique confortável. O diferente agora é que no ioga a meditação é cada um por si, mas, segundo a especialista, vale uma companhia – por sinal, ela acha que acompanhado é ainda melhor, pois gera motivação e troca de experiências. Isso para mim é novidade.

A meditação está tão em voga que já existe uma empresa voltada a trabalhar com o equilíbrio emocional e o desenvolvimento pessoal através do autoconhecimento, especializada em programas corporativos de meditação e mindfulness. Alexandre Ayres e Wagner Lima criaram a MindSelf para levar para o mundo corporativo a prática regular da meditação. A dupla afirma que descobriram a meditação como forma de desenvolver o autoconhecimento e melhorar as capacidades de adaptação ao ambiente corporativo.

Tenho que confessar que não consigo meditar, não tenho paciência para isso. Não duvido dos benefícios de tal prática, mas sou um pouco cética com relação ao alcance da meditação. Tomara que faça tudo isso que os coachings e empresários prometem, será um grande ganho.

*Isabela Teixeira da Costa / Interina 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade