Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Pequenos cuidados podem garantir a saúde perfeita dos pés

Recomenda-se secar bem a região entre os dedos, meias antitranspiração, autoexame durante o banho e cortar as unhas em linha reta


postado em 19/11/2019 04:00

(foto: Nivea/divulgação)
(foto: Nivea/divulgação)


Exames físicos para doenças como diabetes, por exemplo, começam avaliando a sensibilidade dos pés. Quando o paciente sente a passagem da pecinha de metal pelo pé, é sinal de que não há perigo – um dos mais sérios problemas do diabetes é a perda das pernas. Os pés são parte importante de outra tendência bem forte desta época: os exercícios físicos. Pés saudáveis são importantes para você se sentir bem, ficar ativo e, acima de tudo, praticar esportes.

Mantê-los com saúde é surpreendentemente fácil. Medidas simples incluem boa higiene, autoexame e sapatos de tamanho adequado. Pequenos cuidados devem ser adotados. Limpe e esfregue os pés com água e sabão durante o banho. Depois, seque-os bem. Organismos fúngicos gostam muito de umidade. Privando-os de qualquer calor e umidade, você dificultará que fungos prosperem. Certifique-se de secar bem a região entre os dedos, essa é a dica maior. Vale a pena perder uns minutinhos, pois qualquer excesso de umidade nessa área pode criar um ótimo ambiente para infecções fúngicas.

Outra atenção importante é observar os pés para saber se há algum problema. Não custa nada fazer o autoexame – uma vez por semana, pelo menos, durante o banho. Dê uma boa olhada na sola e, principalmente, entre os dedos para verificar se há áreas descascadas. Isso pode sinalizar pé de atleta. Também verifique se há descoloração das unhas, o que pode indicar um fungo. Se você tem diabetes, deve inspecionar seus pés todos os dias, pois é maior o risco de ferimentos e infecções.

Corte as unhas em linha reta, evite apará-las demasiado perto da pele ou arredondá-las de forma drástica. Não corte os cantos das unhas, pois isso pode causar encravamentos dolorosos e infecções. Unha descolorida, grossa, rachada, escura ou em ruínas pode sinalizar fungo ou lesão dermatológica. Se você aplicar esmalte a uma unha infectada, pode piorar.

Proteja os pés nas áreas públicas. Certifique-se de usar sapatos de plásticos ou chinelos no chuveiro do ginásio, vestiários e piscinas. Esses locais tendem a ser terreno fértil para fungos causadores de infecções. As infecções fúngicas podem estar associadas a sapatos ou meias usados por outras pessoas. Use sempre seu próprio calçado.

Os pés têm glândulas de suor em abundância, cerca de 250 mil em cada. A transpiração cria o ambiente perfeito para as bactérias se alojarem. Vestir meias que mantenham os pés secos os ajuda a permanecer saudáveis. Meias de fibras sintéticas tendem a manter a umidade, “molhando” o pé, se comparadas às de algodão ou de lã. Além disso, evite usar meias excessivamente apertadas, o que também favorece manter o pé abafado, gerando umidade.

Para ajudar a mantê-los secos e saudáveis, use sapatos arejados. Se você é propenso a ter pés excessivamente suados, procure sapatos de tecidos de malha que permitam respirabilidade máxima. Muitos tênis de corridas já trazem esse sistema. Use tênis que se encaixam corretamente. Calçados demasiadamente apertados podem causar problemas a longo prazo.

Na hora de adquirir o produto, vá à loja no fim da tarde, para compensar o inchaço do pé que ocorre no final do dia. Qualquer dor, vermelhidão, pus, inchaço e descoloração que persista e incomode deve ser verificada por um médico especialista. Geralmente, o problema é resolvido com medicamentos ou pequenos procedimentos no consultório.



Publicidade