Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Mercado S/A

O melhor momento da história do agronegócio brasileiro e vem mais por aí

O interessante é que as projeções otimistas ocorrem mesmo com uma base comparativa forte. Nos últimos anos, o setor tem colecionado recordes


13/05/2021 04:00 - atualizado 13/05/2021 07:07

Brasil deve registrar este ano nova safra recorde, segundo projeções de economistas do banco Credit Suisse (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 12/5/15)
Brasil deve registrar este ano nova safra recorde, segundo projeções de economistas do banco Credit Suisse (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 12/5/15)
Qual é o limite para o agronegócio brasileiro? A julgar pelos desempenhos recentes e pelas projeções futuras, não há barreiras para o crescimento. Um extenso relatório produzido pelo banco suíço Credit Suisse diz que ótimas notícias estão por vir.

“Nós acreditamos que a safra de 2021/2022 será a melhor da história do agronegócio”, diz o texto assinado pelos analistas Victor Saragiotto e Felipe Vieira. “E isso deve durar por algum tempo ainda.”

O interessante é que as projeções otimistas ocorrem mesmo com uma base comparativa forte. Nos últimos anos, o setor tem colecionado recordes, o que se deve a uma série de fatores.

Entre eles, sólidos investimentos em tecnologia aumentaram a produtividade das fazendas e a alta de preços impulsionou os resultados financeiros das empresas do ramo.

Desde 2018, por exemplo, os valores do grão de soja subiram 2,5 vezes. Apenas em 2020, a cotação do gado disparou 60%. Como se vê, o futuro do país está no campo.

Estrangeiros voltam os olhos para a Bolsa brasileira

Depois de dois meses de saída de capital, o fluxo de recursos estrangeiros na bolsa brasileira voltou a ficar positivo no mês de abril e nos primeiros dias de maio. No período, o saldo está em R$ 7,9 bilhões (até 6 de maio). Em todo o ano, o resultado permanece no azul, com R$ 23,9 bilhões. Segundo especialistas, o cenário mais favorável – como a redução dos riscos fiscais após a aprovação do orçamento de 2021 – deverá trazer mais dinheiro do exterior para a bolsa.

35%

foi quanto cresceram as exportações de carne suína do Brasil em abril, diante de igual período do ano passado, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal

Área de TI assume protagonismo nas empresas

Conhecida como provedora de recursos para outros segmentos das empresas, a área de TI vem assumindo protagonismo como principal impulsionadora dos negócios. É o que revela o INEXTI, indicador de excelência em tecnologia e inovação, que será lançado hoje pela Oi Soluções. Desenvolvido pela consultoria IDC Brasil com exclusividade para o segmento corporativo da Oi, o estudo aponta que 55% das 200 empresas de médio e grande portes entrevistadas associam a adoção de tecnologias a melhores resultados.

Poupança tem rentabilidade negativa

O investidor brasileiro está diante de enormes desafios. Enquanto a bolsa segue patinando em 2021, até a mais tradicional das aplicações traz resultados negativos. Nos últimos 12 meses, a poupança teve rentabilidade real de -4,80%. Trata-se do pior desempenho desde 2003. O dado é da consultoria Economatica e foi calculado descontando a inflação do período. Mesmo assim, a poupança seduz milhões de pessoas. Em 2020, a captação líquida ficou em R$ 166,3 bilhões, a maior em 26 anos.

''Modéstia à parte, eu fui o melhor CEO que a empresa poderia ter nesses primeiros 20 anos de história''

Guilherme Benchimol, fundador da XP


Rapidinhas

As mulheres avançam em todas as áreas de negócios. Pela primeira vez em 143 anos, o jornal americano The Washington Post, um dos mais influentes do mundo, terá uma mulher no comando das mil pessoas que integram a Redação. Sally Buzbee é vice-presidente da agência Associated Press e assume o novo posto em junho.

Um estudo realizado pela Agência Internacional de Energia (IEA) constatou que as fontes de energia renovável cresceram em 2020 no ritmo mais forte desde 1999, no início da série histórica. De acordo com o relatório, a capacidade de geração avançou 45% no ano passado – a expectativa do mercado era um salto de 30% –, chegando a 276 gigawatts (GW).

Está difícil para a economia brasileira engrenar. Segundo o IBGE, o setor de serviços encolheu 4% em março frente a fevereiro, e voltou a ficar abaixo dos níveis pré-pandemia. O resultado foi pior do que o esperado – o consenso era queda de 3,2%. Na comparação com março de 2020, porém, o setor cresceu 4,5%.

Sinal dos tempos: os jovens confiam mais nos robôs do que nos humanos nas interações de compras on-line. O estudo da consultoria Ilumeo mostrou que 66% dos usuários entre 18 a 24 anos acreditam que recomendações feitas por sistemas de inteligência artificial são úteis. Se o interlocutor for humano, o índice cai para 64%.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade