Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Pesquisa indica que home office caminha para ser um padrão

A partir de consulta a seus colaboradores a XP já decidiu que manterá o trabalho remoto depois de superada a pandemia de coronavírus


19/04/2021 04:00 - atualizado 19/04/2021 08:03

Recentemente, a Cielo devolveu cinco dos 11 andares que ocupava em um prédio em Alphaville, na Grande São Paulo(foto: Pixabay)
Recentemente, a Cielo devolveu cinco dos 11 andares que ocupava em um prédio em Alphaville, na Grande São Paulo (foto: Pixabay)

A corretora XP realizou uma pesquisa para identificar o interesse dos colaboradores em trabalhar remotamente. O resultado surpreendeu: apenas 5% querem voltar ao escritório todos os dias. Não à toa, a empresa anunciou o home office permanente e está construindo uma nova sede em São Roque, no interior paulista, para encontros pontuais entre as equipes. A tendência é irreversível.

A credenciadora de cartões Cielo fez um levantamento parecido e descobriu que a maioria dos 4 mil funcionários considera positiva a oportunidade de dar expediente a distância. Recentemente, a Cielo devolveu cinco dos 11 andares que ocupava em um prédio em Alphaville, na Grande São Paulo.

Agora, a ideia é que os empregados passem pelo menos três dias por semana em casa. O mercado de imóveis comerciais poderá sofrer as consequências. Segundo a consultoria SiiLa Brasil, a vacância em escritórios de alto padrão em regiões centrais de São Paulo passou de 15,3% no último trimestre de 2019 para 19,3% no mesmo período de 2020.


(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

''No meio da tragédia da pandemia, tivemos o maior rearranjo digital do século"

Rodrigo Abreu, presidente da Oi



 

A ferrovia da polêmica

Causou surpresa entre alguns governadores a declaração do presidente da VLI, Ernesto Pousada, de que o foco da concessionária de ferrovias está no escoamento agrícola pelos portos do Norte e não na renovação da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), que cruza sete Estados (MG, ES, RJ, SE, GO, BA e SP). Hoje, o clima deverá ferver em audiência pública na Câmara, convocada pelo deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ) para debater a devolução de 1.751 quilômetros da FCA, dos quais 1.000 km ficam no Rio de Janeiro.

Fusões e aquisições em alta

As fusões e aquisições ganharam fôlego no primeiro trimestre. Em março, foram realizadas 159 transações, um aumento de 27,2% em relação ao mês anterior, com investimentos de
R$ 30,7 bilhões. Apesar dos bons números, Alexandre Pierantoni, diretor-executivo da consultoria americana Duff & Phelps no Brasil, alerta: “Precisamos dar um direcionamento a políticas de vacinação em massa, alinhar os poderes e permitir que o investidor, inclusive o estrangeiro, tenha uma visão de longo prazo de Brasil.”

A ferrovia da polêmica

Causou surpresa entre alguns governadores a declaração do presidente da VLI, Ernesto Pousada, de que o foco da concessionária de ferrovias está no escoamento agrícola pelos portos do Norte e não na renovação da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), que cruza sete Estados (MG, ES, RJ, SE, GO, BA e SP). Hoje, o clima deverá ferver em audiência pública na Câmara, convocada pelo deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ) para debater a devolução de 1.751 quilômetros da FCA, dos quais 1.000 km ficam no Rio de Janeiro.

R$ 2,8 trilhões

é quanto a adoção de práticas de baixo carbono poderia gerar para o PIB brasileiro até 2030, segundo estudo do instituto de pesquisa WRI Brasil

RAPIDINHAS

  • A Fundação Instituto de Administração (FIA), uma das principais escolas de negócios do Brasil, abriu as inscrições para a nova edição de seu programa gratuito de capacitação, o CapExecutivo, voltado para profissionais que estão desempregados e buscam recolocação no mercado. O programa tem 252 horas/aula, abrangendo de finanças a marketing.

  • Segundo a FIA, podem participar do processo de seleção executivos que se graduaram há pelo menos cinco anos e estão sem emprego há pelo menos quatro meses. As aulas em formato EAD são às sextas e sábados. O projeto existe há 12 anos e é oferecido pela FIA em parceria com a Associação Beneficente Anhembi.

  • Nasceu o projeto mais ambicioso para substituir o Concorde. Trata-se do AS3, avião da americana Aerion, que promete voar com o dobro de velocidade do antecessor. Segundo os engenheiros da empresa, o Aerion poderia fazer a rota São Paulo-Paris em menos três horas. A Aerion diz que sua inovação estará pronta para rasgar os céus antes de 2030.

  • A fabricante de motores elétricos Weg está enviando para a África os dois maiores transformadores que já fabricou. Segundo a empresa, eles serão responsáveis pela estabilidade do fornecimento de energia elétrica para o sul do continente. Os equipamentos serão instalados com o apoio da filial da Weg na África do Sul.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade