Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Mercado S/A

Brasil deve investir R$ 12 bilhões com concessões de aeroportos

Projeção é de especialista de corretora considerando a 6ª e 7ª rodadas de leilões, alienação da participação da Infraero em Guarulhos, Brasília, no Galeão e em Confins, além da relicitação de Viracopos e São Gonçalo do Amarante


18/11/2020 04:00 - atualizado 18/11/2020 07:14

(foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo - 14/11/16)
(foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo - 14/11/16)
A concessão dos aeroportos administrados pela Infraero para a iniciativa privada desperta a atenção do mercado segurador. Segundo Alexandre Chamie, especialista da corretora Galcorr, os ativos aeroportuários vão demandar R$ 12 bilhões em investimentos.

O valor considera a 6ª e a 7ª rodadas de novos leilões, as alienações de participação da Infraero em quatro aeroportos (Guarulhos, Brasília, Galeão e Confins) e a relicitação de outros dois: Viracopos (foto) e São Gonçalo do Amarante.

Não é preciso muito esforço para perceber que as concessões funcionam. O Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), um dos cinco mais maiores do país, quebrou em outubro o recorde de movimentação de cargas desde o início da concessão, em 2012.

Foram 27,8 mil toneladas, bem acima da marca anterior (23,8 mil). No acumulado do ano, também caminha para ter o melhor desempenho da história.

Boa parte do resultado deve ser atribuído ao aumento das exportações, que avançaram 36% em outubro na comparação com um ano atrás.

Restam R$ 45 bilhões para o auxílio emergencial

A preocupação dos empresários com o fim do auxílio emergencial foi em parte amenizada por uma declaração dada por Adolfo Sachsida, secretário de política econômica do Ministério da Economia. Segundo ele, restam cerca de R$ 45 bilhões a serem pagos em parcelas para os beneficiários. “Isso nos dá muita convicção de que a economia terá a necessária tração para fechar 2020 e entrar bem em 2021”, afirmou. Ok, faz sentido. Mas e depois, como fica o país sem os recursos extras?

Mesmo na crise, Renner inaugura lojas

Em ano de pandemia, fechamento de lojas e readequação dos negócios em praticamente todos os setores da economia, a Renner conseguiu a façanha de abrir unidades. Uma delas, a sétima estreia em 2020, foi inaugurada ontem em São Paulo, com investimentos de R$ 6,3 milhões. O endereço traz uma inovação: a possibilidade de finalizar a compra de forma 100% autônoma, em caixas de autoatendimento. O cliente também pode pagar por meio de aplicativo, com o próprio smartphone.

Como fica a agenda fiscal?

O mercado financeiro e os empresários começam a se perguntar se a derrota dos candidatos apoiados pelo presidente nas eleições municipais terá impacto na agenda fiscal. A leitura é que o mau desempenho nas urnas de aliados de Bolsonaro dificultará as negociações no Congresso. A maior parte dos políticos, como é sabido, move-se de acordo com os benefícios eleitorais que suas ações possam trazer. Estar ao lado do presidente não significará necessariamente a conquista de capital político.

"O nosso arcabouço legal é antigo. Há dispositivos que não conversam com a economia global. Essa é a primeira linha que precisa de modernização"
Otávio Damaso, diretor de Regulação do Banco Central

21% foi quanto cresceram as exportações brasileiras para a Argentina em outubro, na comparação com o mesmo mês de 2019, segundo dados da Fundação Getulio Vargas

RAPIDINHAS

Mesmo com o IGP-M em alta (3,23%), o valor do aluguel caiu em outubro. O Índice FipeZap de Locação Residencial, que acompanha o preço do aluguel de apartamentos prontos, encerrou o mês com queda de 0,12%. Em setembro, havia recuado 0,31%. O indicador encolheu 0,85% em Belo Horizonte e 0,17% em Brasília.

O que explica o movimento? Segundo especialistas, a diferença entre os índices é reflexo da crise do coronavírus. Com o aumento do número de imóveis vagos e o receio dos locadores de perder os inquilinos, a saída é diminuir os preços. O fenômeno é observado em quase todas as capitais brasileiras.

O futebol feminino começa a atrair a atenção dos grandes anunciantes. Nesta semana, a Riachuelo tornou-se patrocinadora oficial do Campeonato Brasileiro A-1. O contrato prevê a exibição da marca nas placas de publicidades colocadas no entorno dos gramados, backdrops de entrevistas e ativações nas redes sociais da competição.

A Ciclic, empresa da BB Seguros, fechou parceria com a Dasa, líder em medicina diagnóstica, para oferecer gratuitamente o exame de PSA para homens a partir de 50 anos que estejam em sua base de clientes. O benefício será estendido para os novos clientes cadastrados até 30 de novembro no Saúde Protegida, sistema que dá acesso a consultas por telemedicina.




*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade