Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Para o Banco Central, fuga de capital estrangeiro vai atrasar retomada

O sumiço do capital estrangeiro não só compromete a capacidade de financiamento do governo como, no curo prazo, afeta os investimentos


postado em 02/06/2020 04:00 / atualizado em 02/06/2020 07:28

 O presidente do BC, Roberto Campos Neto, tem apresentado número que indicam que a crise será demorada(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press %u2013 6/8/19)
O presidente do BC, Roberto Campos Neto, tem apresentado número que indicam que a crise será demorada (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press %u2013 6/8/19)

Qual será a velocidade de recuperação da economia brasileira? Os números apresentados pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, indicam um caminho longo e tortuoso. Segundo o executivo, a retirada de capital estrangeiro no Brasil se dá num ritmo maior do que em outros países emergentes. Na semana passada, o Tesouro Nacional identificou que a participação de recursos de não residentes no sistema financeiro caiu para 9,36%, o menor patamar desde 2010. O sumiço do capital estrangeiro não só compromete a capacidade de financiamento do governo como, no curo prazo, afeta os investimentos das instituições privadas. Em outras palavras: vai faltar dinheiro para deixar a crise para trás. Outro dado preocupante diz respeito ao emprego. Segundo o IBGE, já são 12,8 milhões de desempregados – mais do que toda a população de Portugal. Se não há recursos financeiros no mercado, a chance de encontrar uma vaga diminui. O país tem pressa para resolver esse dilema.

Rede Multicoisas antecipa lançamento de e-commerce

A rede de franquias Multicoisas, especializada em produtos para casa, antecipou o seu processo de transformação digital. Com todas as 210 unidades fechadas na pandemia do coronavírus, a empresa não viu outra saída a não ser partir para o lançamento de uma plataforma própria de e-commerce. A ideia era inaugurar a loja eletrônica no final do ano, mas ela começou a funcionar há alguns dias. Segundo a empresa, atualmente 64 unidades em 18 estados estão habilitadas para vendas online.
 

A morte de George Floyd é chocante e também um sinal de que precisamos buscar mais do que um %u2018futuro normal%u2019. Precisamos construir um futuro que inclua os maiores ideais de igualdade e justiça

Cook, presidente da Apple, em carta enviada a funcionários da empresa

 

Fôlego do e-commerce acabou?

O isolamento social estimulou o comércio eletrônico no Brasil, mas o setor começa a perder força. Na terceira semana de maio, os negócios digitais caíram 5,1% na comparação com a semana anterior. Segundo a Ebit/Nielsen, trata-se do primeiro recuo desde o início de março, quando a quarentena começou na maioria dos estados brasileiros. As vendas online de eletrodomésticos encolheram 10,7% de uma semana para a outra, acima dos aparelhos de informática (tombo de 8,8%) e artigos de moda (7,1%).

Montadoras reabrem fábricas

A indústria automotiva começa a se movimentar. Ontem, a Volkswagen religou as máquinas na fábrica de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo (foto), parada há dois meses por causa da crise do coronavírus, e a Caoa Chery retomou a operação na unidade de Jacareí, no interior paulista, interrompida desde 23 de março. Estima-se que, em no máximo um mês, todas as montadoras reabram as suas plantas, embora o ritmo de produção deva demorar um bom tempo para retornar aos níveis pré-pandemia.

55 mil


assinaturas de TV foram canceladas em abril, durante a quarentena. Em março, o resultado tinha sido pior, com o fim de 90 mil contratos. Os dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)  retratam a crise econômica


RAPIDINHAS


  • Corretoras de moedas virtuais deram um passo importante para se consolidar no Brasil. Elas foram reconhecidas por órgãos fiscais como atividade econômica regulamentar, passando a fazer parte da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). A ausência do CNAE era um dos argumentos dos bancos para pedir o fechamento das corretoras.

  • As lives continuam no radar das grandes empresas. Na próxima sexta-feira, às 19h30, o ator e cantor Bruce Gomlevsky interpretará Renato Russo, criador da Legião Urbana, em evento beneficente em prol do Retiro dos Artistas. Realizada pela Qualicorp, a live terá transmissão pelos canais oficiais da administradora de planos de saúde coletivos.

  • A petroquímica Braskem terá a partir de julho um hub de negócios na cidade portuária de Charleston, nos Estados Unidos. Segundo a empresa, a ideia é usar o endereço para atender a demanda de clientes internacionais. A unidade terá capacidade para exportar até 204 mil toneladas de polipropileno e polímeros especiais.

  • O governo da China determinou que as empresas estatais interrompam a compra de produtos agrícolas americanos. O veto é resultado do acirramento da guerra comercial entre os dois países e pode afetar os negócios da brasileira JBS, que tem sólida operação de carne suína nos Estados Unidos.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade