Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Os partidos e ideologias são diferentes, mas o Brasil é um só

Os rebuliços políticos reduzem em alguns decibéis o nível de empolgação dos executivos


postado em 06/12/2019 04:00 / atualizado em 06/12/2019 07:00

É surpreendente como a percepção dos empresários a respeito do governo Bolsonaro flutua ao sabor dos acontecimentos. Numa semana, os bons indicadores econômicos e as iniciativas para melhorar o ambiente de negócios do país deixam a turma animada. Em outra, os rebuliços políticos reduzem em alguns decibéis o nível de empolgação dos executivos. “O que o Brasil precisa é de estabilidade”, diz o presidente de uma grande empresa brasileira da área de tecnologia, que prefere não se identificar para não ser “mal compreendido” e virar “alvo da fúria nas redes sociais”. O empresário diz que se encontrou recentemente com algumas lideranças do governo e que pediu diretamente para que o discurso seja suavizado. “Não dá para ir para o confronto o tempo todo. Os partidos e ideologias são diferentes, mas o Brasil é um só.”


RAPIDINHAS

» Um levantamento realizado pelo Nubank revela a força do setor de alimentação no Brasil. Segundo o estudo, 50% dos gastos com cartão de crédito dos clientes da fintech estão ligados a essa área. O cálculo inclui as compras feitas em supermercados e restaurantes. Desde a fundação, em 2013, o Nubank emitiu 10 milhões de cartões de crédito.

» O Aeroporto Santos Dumont, no Rio, se prepara para receber nos próximos dias o maior número de passageiros de sua história. Segundo a Infraero, entre 16 de dezembro e 5 de janeiro de 2020, período marcado pelas festas de fim de ano, 657 mil viajantes deverão passar pelos terminais, número 28% superior ao do ano passado. 

» O mercado de smartphones ilegais é um fenômeno no Brasil. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), 4 milhões de unidades serão vendidas em 2019, um salto de 500% em relação ao ano passado. Os aparelhos chineses lideram a lista dos ilegais, que em geral entram no Brasil pelo Paraguai e são vendidos no varejo on-line. 

» Embalada pelos bons resultados financeiros, a fabricante brasileira de armas Taurus inaugurou ontem uma nova fábrica nos Estados Unidos. Localizada em Bainbridge, no estado da Geórgia, a unidade ocupa uma área de 20 mil metros quadrados e exigiu investimentos de US$ 42 milhões. 
 
 
 
(foto: Lauro Rocha/Divulgação 16/11/2017)
(foto: Lauro Rocha/Divulgação 16/11/2017)

Renner amplia investimentos em tecnologia

O varejo se tornou um dos setores mais pulsantes para a inovação tecnológica. A varejista de moda Renner (E) lançou nesta semana seu cartão para pagamentos por aproximação, chamado no mercado de “contactless”. Com ela, os clientes que possuem o cartão da empresa podem pagar suas contas sem inserir o cartão na maquininha. Além disso, a análise de crédito é feita em aparelhos móveis que digitalizam os documentos do cliente, cadastram o reconhecimento facial e registram a assinatura digital.
 
 

No setor de aço, um ano para esquecer

A indústria brasileira do aço terá um 2019 difícil. Segundo dados do Instituto Aço Brasil, o setor deve fechar o ano com queda de 6,7% no volume de exportações. “O primeiro semestre foi muito ruim”, disse o presidente-executivo do Instituto, Marco Polo de Mello Lopes. No segundo, veio a ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de sobretaxar os produtos brasileiros. Lopes afirma que novas negociações com clientes americanos estão suspensas em decorrência do clima de insegurança.


(foto: Wilson Dias/Agência Brasil 27/11/2018)
(foto: Wilson Dias/Agência Brasil 27/11/2018)

O ministro das boas notícias

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas (E), se tornou uma espécie de porta-voz de boas iniciativas do governo. Ontem, ele afirmou que a sua pasta pretende fazer entre 40 e 44 desestatizações no ano que vem. A estimativa pode representar um crescimento significativo em relação ao total de concessões realizadas em 2019 (foram 27). Segundo Tarcísio, estão nos planos do ministério três leilões para a privatização de 22 aeroportos, além da licitação de 5 mil quilômetros de rodovias.

 
(foto: Reuters 14/3/2014)
(foto: Reuters 14/3/2014)
 
"Quando você achar que vai enlouquecer, essa é a hora exata de seguir em frente”, Travis Kalanick, fundador da Uber 
 
 
R$ 8 bilhões  é quanto a JBS, maior produtora de proteína 
animal do mundo, planeja investir no Brasil nos 
próximos cinco anos, segundo informou o 
presidente da empresa, Gilberto Tomazoni 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade