Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas MERCADO S/A

Análise de dados pode trazer US$ 13 tri para a economia global até 2030

Estudo mostra que análise avançada de dados vai revolucionar o trabalho


postado em 09/10/2019 04:00 / atualizado em 08/10/2019 22:32

Hospital reduz tempo de espera para atendimento de pacientes depois de cruzar informações com o uso de algoritimos(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Hospital reduz tempo de espera para atendimento de pacientes depois de cruzar informações com o uso de algoritimos (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)


Um novo estudo realizado pela consultoria McKinsey&Company, e apresentado com exclusividade por esta coluna, mostra que a análise avançada de dados não só vai revolucionar o trabalho como poderá adicionar à economia global US$ 13 trilhões até 2030, o equivalente a seis vezes o PIB do Brasil. Os ganhos virão de diferentes formas. A consultoria cita o exemplo de um hospital, que reduziu o tempo de espera para atendimento dos pacientes depois de cruzar informações de milhares de fichas, prontuários médicos e exames de triagem com o uso de algoritmos. Há casos de empresas que foram transformadas pela análise de dados. Um banco diminuiu as operações fraudulentas em cartões de crédito após descobrir o padrão utilizado pelos criminosos nas operações. Enquanto isso, as companhias de telefonia analisam dados de suas redes para melhorar a cobertura móvel. A ferramenta, diz a McKinsey, está mudando a forma como as companhias tomam decisões, recrutam e retêm talentos e fazem negócios.
 
 
 
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Flávio Rocha recorre a 
Odorico Paraguaçu para falar da Reforma Tributária
Apesar de as discussões sobre a reforma tributária estarem em segundo plano no Congresso, o empresário Flávio Rocha não desistiu de emplacar a proposta de seu grupo, o Brasil 200. E não tem economizado críticas a outros projetos. Em sua conta no LinkedIn, o presidente do conselho do Grupo Guararapes classifica as sugestões do economista Bernard Appy como “ideias mortas”. Mas não fica por aí. Rocha usa uma foto do personagem Odorico Paraguaçu, de Dias Gomes, para ilustrar o comentário. E explica: “É a turma que pensa só ‘pratrasmente’, como bradava Odorico.”

 

 
 
iFood quer melhorar a 
vida dos entregadores
O trabalho sem vínculo é um dos maiores desafios para as startups que dependem de entregadores para rodar seus negócios. Por isso, o iFood decidiu lançar um clube de benefícios para esses profissionais. Segundo a empresa, a ideia é oferecer descontos em serviços e produtos tanto para os entregadores quanto para seus parentes. Entre as opções estão assistência de saúde, cursos em faculdades e manutenção de motos e bikes. A pontuação é calculada com base nas entregas realizadas.



R$ 1,54 bilhão
é o valor inscrito nas dívidas concursais (passíveis de reestruturação) que Banco do Brasil e  Caixa têm a receber do estaleiro Enseada, do Grupo Odebrecht, que pediu 
recuperação judicial

 
 
 
(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)
(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press)
"A privatização da Petrobras não está na mesa, não existe nenhum plano. De vez em 
quando alguém fala. É sempre esse fantasma”
Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras

 
 
(foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação)
(foto: Fernando Frazão/Agência Brasil/Divulgação)

Suínos avançam em direção ao mercado chinês
A peste suína africana, que atingiu especialmente o mercado chinês, continua trazendo dividendos para os produtores rurais brasileiros, especialmente os de Santa Catarina, que terão suas unidades de abate habilitadas pelo país asiático para exportar produtos e subprodutos de carcaças suínas. Com a novidade, a expectativa é que os embarques contem com um reforço mensal de 7 mil toneladas. Em um ano, devem ser acrescidos US$ 180 milhões às vendas que partem de Santa Catarina para o exterior.




rAPIDINHAS


» O conceito de economia circular avança na moda, uma das atividades que ainda enfrenta críticas pelos danos ambientais causados durante seu processo produtivo. A grife internacional de luxo Burberry está se associando ao The RealReal, conhecido e-commerce de moda de luxo de segunda mão, para ter um canal exclusivo.

» Quem comprar um produto Burberry na loja virtual será convidado para fazer um tour em uma das lojas físicas da marca britânica, nos Estados Unidos, com direito a chá da tarde. Apesar do risco de canibalização entre os negócios, unir forças é uma maneira de chegar ao público de poder aquisitivo menor.

» Desde 12 de setembro e até o Dia das Crianças, as campanhas publicitárias de 12 empresas do setor de alimentos e bebidas estarão sob monitoramento da KPMG. O grupo, composto por Ambev, Coca-Cola Brasil, Ferrero, General Mills, Grupo Bimbo, Kellogg, Mars, McDonald’s, Mondelz? International, Nestlé, PepsiCo e Unilever, é signatário do Compromisso pela Publicidade Responsável para Crianças.

» Com a iniciativa, as empresas se comprometem a não realizar publicidade de produtos voltados a menores de 12 anos, 
exceto daqueles que atendem a critérios nutricionais 
previamente estabelecidos. Como consultoria independente, 
a KPMG monitora as ações das marcas nas férias escolares, Páscoa, Dia das Crianças e Natal. 


Publicidade