SIGA O EM

Roberto Justus diz que considera ser candidato a presidente do Brasil

O apresentador disse à reportagem que jamais tinha avaliado a possibilidade de ser candidato, mas que esse caminho já não é mais tão estranho assim

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1087712, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Roberto Nemanis/SBT.', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/21/825514/20161121152622675035i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 21/11/2016 14:19 / atualizado em 21/11/2016 15:30

Agência Estado

Roberto Nemanis/SBT.

No embalo de empresários que têm deixado o mundo dos negócios para entrar na política, o empresário Roberto Justus disse, nesta segunda-feira, 21, que passou a considerar a possibilidade de ser candidato à Presidência da República nas eleições de 2018.

Justus participou nesta segunda-feira do encontro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, realizado no Palácio do Planalto, com o presidente Michel Temer e outros 95 integrantes do Conselhão.

Depois de deixar o encontro, Justus disse à reportagem que jamais tinha avaliado a possibilidade de ser candidato, mas que esse caminho já não é mais tão estranho assim. "Quem sabe, não é? Se eu me candidatar...", comentou, sorrindo. "Eu nunca tinha pensado, mas agora eu comecei a pensar na possibilidade, mas não é nada ainda definido".

Questionado sobre filiação partidária, Justus disse que ainda não há nada em mente. "Não tenho nenhuma filiação. Aliás, não tenho nenhuma identificação com partido nenhum no Brasil", disse.

Com ou sem partido, o empresário fez questão de deixar claro seu interesse em entrar no mundo da política. "Tenho pensado. Acho que todos nós, empresários, pessoas da sociedade, temos que pensar em ajudar o País de alguma forma, não sei se é sendo candidato a presidente ou não, mas é estar mais próximo do governo", comentou. "Estar participando desse Conselho já é um primeiro passo."

O executivo, que chegou atrasado ao encontro, 23 minutos depois de Temer começar seu discurso, disse que considerou o evento uma "iniciativa importantíssima".

"Eu tinha um pouco de dúvida sobre como é que pode ter eficiência uma reunião com quase 100 pessoas, mas acho que a ideia de dividir a primeira plenária, para falar de coisas mais macro, e depois os grupos de trabalho, para especificamente entrar nas propostas que cada grupo pode trazer, acho que vai funcionar bem", comentou, referindo-se aos encontros que prosseguirão pela tarde desta segunda-feira.

Justus disse ter ficado com vontade de falar durante o encontro, mas não foi possível. "Achei que deram palavras aos conselheiros, o que achei muito interessante. Pena que eu não falei, adoraria ter falado também. Parece que farão um rodízio nas próximas reuniões entre os conselheiros, e cada um vai poder falar um pouquinho sobre sua visão das coisas."

Na opinião de Justus, Temer "foi muito feliz em sua exposição". O executivo também elogiou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, "que passou também para todos nós um pouco dos projetos que estão sendo feitos".

"Eu estou animado. Acho que não podemos ser ansiosos com um governo que está só há quatro meses aí, mas nós podemos pelo menos ser esperançosos de que são mudanças que vieram para ficar."
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Andre
Andre - 21 de Novembro às 21:22
Esse sujeito se acha o clone do Trump tupiniquim. Não sei quem é o pior, o original ou esse paralelo. MUDA BRASIL.
 
Carlos
Carlos - 21 de Novembro às 20:45
Se isto acontecer, se ele se candidatar, poderemos nos proclamar sem dúvida alguma, uma república de bananas.
 
Gustavo
Gustavo - 21 de Novembro às 17:06
Que é isso? Estamos voltando mesmo aos anos 80/90? Abrindo mão da nossa identidade e criatividade e copiando tudo que vier da "América"?